Earn2Trade Blog
Análise Técnica

Análise Técnica – O que é e como funciona?

Há diversas linhas diferentes de análise técnica. Em sua forma mais básica, a análise técnica usa dados históricos para prever o comportamento futuro do mercado. De diversas formas, essa estratégia de investimento se baseia no conceito de que a história se repete por meio de padrões gráficos. Ao nos aprofundarmos um pouco mais, você verá que muitas pessoas usam diferentes tipos de análise técnica em conjunto – muitas vezes também combinando com uma análise fundamentalista. Embora seja preciso uma certa habilidade para “ler a análise técnica”, o principal atrativo desse tipo de investimento é que ele retira as emoções do processo. Como sabemos, medo e ganância são as duas emoções mais poderosas no mercado. Elas costumam interferir nas decisões de investimento, e a análise técnica é um método para mantê-las sob controle.

blog ad pt e2t

O que é análise técnica?

Se você perguntar a 10 pessoas diferentes qual é a definição de análise técnica, com certeza você receberá diversas respostas diferentes. Mesmo assim, o conceito principal é simples: ao analisar os dados históricos de um dado ativo, é possível identificar tendências em tempo real. Teoricamente, não há um vínculo entre a análise técnica e a análise fundamentalista… ou há?

Vamos dar um passo atrás e analisar uma Bolsa de ações qualquer. Em sua forma mais pura, uma Bolsa é simplesmente um ambiente de troca de informações altamente eficiente. Diferentes visões e opiniões são introduzidas a partir de decisões de investimento de múltiplos investidores. Por exemplo, quem usa análise técnica para avaliar o volume de negociação muitas vezes verá grandes saltos antes de anúncios importantes.

A história da análise técnica

As discussões comparando análise técnica e análise fundamentalista são comuns. Muitos traders possuem opiniões diferentes quanto a qual delas é a mais produtiva. Já demos a deixa acima: a ideia de que análise técnica e análise fundamentalista são conceitos muito diferentes não é completamente verdadeira. Dito isso, a história mostra que tivemos alguns pioneiros de destaque na análise técnica ao longo dos anos.

Munehisa Homma

O Extremo Oriente foi um tesouro de informações e estratégias de investimento por centenas de anos. No século 18, os traders japoneses usavam a análise técnica para investir em diferentes ativos. Um dos grandes nomes durante esse período foi Munehisa Homma. Descrito como um dos primeiros economistas comportamentais do mundo, ele criou o que chamamos de gráficos de Sakata – hoje mais conhecidos como gráficos de candlestick ou de velas japonesas. O termo “Sakata” se refere à cidade natal de Munehisa Homma, criando uma referência histórica ao seu papel no mundo da análise técnica.

Charles Dow

Talvez mais conhecido por ter criado o Índice Dow Jones Industrial Average, Charles Dow criou as bases para a análise técnica moderna. Usando dados históricos do índice, ele escrevia regularmente artigos identificando o surgimento de diversas tendências. Isso é muitas vezes chamado de Teoria de Dow, uma ideia aplicada pela primeira vez por William P. Hamilton.

William P. Hamilton

William P. Hamilton foi pioneiro na aplicação da Teoria de Dow, adicionando novas regras para criar previsões incrivelmente precisas para a época. Ele foi o primeiro a identificar o conceito de tendência de longo prazo de quatro anos, incorporando ondas de curto prazo que poderiam durar dias, semanas ou até meses. Muitos veem William P. Hamilton como o pai da análise técnica. Embora ele tenha previsto o crash de 1929 um pouco antes da hora, demonstrando sua preocupação em 1927 e 1928, ele fez seu último apelo aos investidores em 21 de outubro de 1929 – apenas três dias antes do crash da Bolsa de NY em 1929, evento que levou à Grande Depressão durante a década de 30. Embora ele tenha morrido apenas algumas semanas após o crash de 29, seu legado permanece vivo até hoje.

Robert Rhea

Você notará algo em comum entre alguns dos primeiros analistas técnicos: a Teoria de Dow. Podemos dizer que Robert Rhea aprimorou a teoria e construiu seus negócios com base na análise técnica. Descrito como um dos primeiros condutores do mercado, Robert Rhea conquistou a maior parte da sua fortuna por meio da assinatura de suas cartas de investimento, a “Dow Theory Comments”. Portanto, não apenas tivemos alguém que mudou completamente o mundo da análise técnica, mas que também introduziu o primeiro boletim de investimento por assinatura!

Edson Gould

Talvez o analista técnico de longo prazo de maior sucesso da história, Edson Gould obteve boa parte da sua fortuna a partir da assinatura de seus boletins. Mesmo nos anos 30, esses comentários e análises já eram bastante procurados. Registros mostram que as assinaturas por suas cartas de investimento chegaram a custar US$500. Ele foi um líder na área de análise técnica, e muitos traders seguiram seu exemplo. Ele previu diversas altas de baixa no Índice Dow Jones durante muitos anos. Quando o DJIA ficou abaixo de 1000 pontos em 1979, ele foi capaz de prever que o índice superaria os 3000 pontos em 1991, mesmo considerando o crash de 1987.

John Magee

Em 1949, John Magee estava reescrevendo a teoria de análise técnica com seu livro “Technical Analysis of Stock Trends”. Ele foi visto por muitos como a primeira pessoa a operar usando somente análise técnica. Na prática, ele estava apostando que a história se repete e foi capaz de identificar inúmeros padrões gráficos. Triângulos, bandeiras, cabeça e ombros – a lista começou a crescer rapidamente. Curiosamente, apesar de suas previsões precisas obtidas com análise técnica, ele tomou diversas decisões de investimento pessoais com base em sua intuição. Foi apenas a partir dos 40 anos de idade, até sua morte aos 80 anos, que ele obteve a disciplina necessária para investir com base em seus próprios sinais de análise técnica. Ao contrário de outros traders que gostavam de publicar suas ideias no jornal, John Magee preferia que sua forma de análise técnica falasse por si – sem interferência da opinião pública.

Há diversas outras figuras importantes no mundo da análise técnica ao longo dos últimos séculos. A partir do século 19, o conceito de análise técnica se solidificou. O uso de dados históricos para prever tendências futuras, identificando sinais de compra e venda, é ainda mais poderoso agora do que no passado. Hoje em dia, computadores poderosíssimos são capazes de analisar quantidades enormes de dados e tomar decisões de trading em frações de segundo.

O básico da análise técnica: 3 princípios

A pergunta “o que é análise técnica” é melhor respondida a partir de três princípios básicos.

Os mercados descontam tudo

Como já mencionamos, a melhor forma de ver o mercado financeiro é como uma grande troca de informações. Ele refletirá as informações públicas e não públicas que estão disponíveis, as quais, por sua vez, influenciam as decisões de investimento. Consequentemente, temos que o preço reflete todas informações sobre a empresa, o setor, a economia, as perspectivas, etc. A forma mais comum de descrever esse fenômeno é dizer que esses fatores são “precificados”. Teoricamente, o preço nos diz tudo o que devemos saber. Logo, o monitoramento do preço e do volume deve nos dar uma ideia das tendências futuras.

Inércia do mercado

Se trocarmos o termo “inércia” por “tendências”, talvez seja mais fácil de reconhecer esse conceito. Há um velho ditado entre os traders que diz: “A tendência é sua amiga”, e isso vale se ela for de alta, de baixa ou lateral. Tendências tendem a continuar até que sejam desafiadas por um momento de “rompimento”, e isso é especialmente importante para os traders. A capacidade de operar a tendência e sair quando a análise técnica sugere que a tendência está mudando é suficiente para que muitos traders construam uma carreira de sucesso.

Os mercados se movem em ondas

Seja analisando tendências de curto, médio ou longo prazo, você notará diversos exemplos de mercados em sobrecompra e sobrevenda. A analogia de que os mercados se movem em ondas funciona muito bem. Por exemplo, se uma empresa tiver um grande anúncio, ela pode incentivar compradores e vendedores a se moverem. É como soltar uma pedra na água – o impacto gerará ondas na superfície da água até que tenhamos um “novo equilíbrio”. A mesma ideia se aplica às mudanças técnicas e fundamentalistas nos preços dos ativos.

A ideia de usar ondas como uma analogia para análise técnica é interessante. O ideal é que os traders entrem na onda no início, sigam nela até a crista e só saiam no pico.

Como a análise técnica pode ajudá-lo a melhorar suas operações

É muito comum ver as pessoas debatendo e comparando análise técnica e análise fundamentalista. Embora ninguém diga que a análise fundamentalista não é importante, a análise técnica é crucial para traders de curto e médio prazo. Mas como a análise técnica pode melhorar seu trading no geral? Apresentamos alguns exemplos.

Entendendo os movimentos do mercado

A capacidade fazer uma análise mais ampla dos movimentos de preços e índices é inestimável. Mesmo durante tendências de alta, você verá períodos de extrema volatilidade. Esses momentos podem ocorrer mesmo dentro dos limites de uma tendência de alta de longo prazo e são vistos como oportunidades de compra ou venda.

Disciplina

É muito fácil ser influenciado pelas emoções, principalmente o medo e a ganância. Elas podem fazer com que você abandone uma abordagem de investimento disciplinada. Embora nenhuma estratégia de investimento seja inflexível, você deve ter disciplina. É preciso focar e lidar com fatos, não sentimentos.

Identificando linhas de tendência

Ao avaliarmos a análise técnica, é muito fácil olhar para um momento no passado e identificar uma linha de tendência surgindo que parecia “óbvia”. Identificar uma tendência no início não é algo fácil, mas pode ser extremamente lucrativo se você identificá-la a tempo. Quanto mais tempo você esperar pela linha de tendência, mais “seguro” será seu investimento, mas isso também pode limitar seus ganhos. Portanto, como em qualquer tipo de investimento, é simplesmente uma questão de equilibrar a relação entre risco e retorno para o cenário em questão.

Alvos flexíveis

Ao operar comprado ou vendido qualquer ativo, é importante ser disciplinado, mas você também deve ser flexível. Por exemplo, aumentar seu stop loss durante uma tendência forte faz todo o sentido. No entanto, quando um ativo atinge o stop loss, você precisa ser disciplinado o bastante para abandonar a posição.

Operando caixas

Talvez você já tenha ouvido alguém usar o termo “operar caixas” no lugar de operar ações, futuros e outros ativos. Esse termo significa simplesmente que você deveria ver qualquer ativo como uma “caixa vazia”, pela qual você não possui qualquer ligação ou apego emocional. Portanto, é simplesmente um caso de comprar a “caixa” no mínimo do intervalo e vendê-la no topo. Embora seja fácil falar, esta é uma forma muito útil de remover o apego emocional ou o tratamento especial em relação a uma determinada empresa ou ativo. Todos nós temos nossos favoritos.

Paciência

Dizem que paciência é uma virtude; no mundo do trading, esta é uma característica inestimável. Todos nós já passamos por esta situação: você acabou de lucrar com um investimento e já está buscando sua próxima operação. No entanto, investidores de longo prazo bem-sucedidos são pacientes e nem sempre pulam de uma operação para outra. Eles lucram no momento certo e investem quando notam que uma nova tendência está surgindo. É como dizem:

Um idiota e seu dinheiro são facilmente separados

Há diversas coisas que você pode aprender com a análise técnica. As duas coisas mais importante são provavelmente disciplina e paciência.

Como aprender análise técnica para operar

Quando começamos a aprender sobre análise técnica, é muito tentador entrar com tudo no mercado e colocar a técnica em prática. Parece fácil e os sinais são relativamente simples, o que pode levá-lo a acreditar que o dinheiro vai entrar rapidamente. Uma pena que não é tão simples assim. É essencial fazer sua pesquisa antes de trocar sua estratégia de trading para algo dentro da análise técnica. A informação está bem na sua frente, mas você ainda precisa lê-la e interpretá-la.

Aprenda os conceitos principais

A chave para obter sucesso usando análise técnica é pesquisar e aprender os conceitos principais, os quais já mencionamos acima:

  • O mercado é um ambiente de troca de informações altamente eficiente
  • A inércia do mercado gera tendências de preço
  • A história se repete de tempos em tempos

Estes são os três conceitos principais que devem ser considerados na análise técnica. Enquanto alguns investidores ganham dinheiro “indo contra o mercado”, o mercado é extremamente capaz de precificar os eventos – tanto os esperados quanto os inesperados. Se um investimento parece bom demais para ser verdade, então não deve ser mesmo uma boa ideia!

Há inúmeros tipos diferentes de indicadores quando se trata de análise técnica:

  • Tendências de preço
  • Padrões gráficos
  • Indicadores de volume
  • Indicadores de momentum
  • Osciladores
  • Níveis de suporte
  • Níveis de resistência
  • Médias móveis

Quando você começar a entender o conceito de análise técnica e se familiarizar com os diversos indicadores existentes, eles se tornarão poderosas ferramentas de investimento.

Aprenda a analisar gráficos

A primeira coisa que você deve lembrar é que análise técnica e análise de gráficos não são uma ciência exata. Há um certo grau de interpretação humana que pode influenciar as ações tomadas. Vale observar que, quanto mais pontos de preço no gráfico você puder envolver em uma linha de tendência, mais forte será o sinal. Incluímos diversos gráficos para dar exemplos das formas possíveis de analisar e usar os dados de um gráfico para construir sua estratégia de investimento.

Gráfico 1

Como você pode ver no gráfico abaixo, há três linhas diferentes de suporte e resistência. Inicialmente, há um período de tendência lateral entre as linhas verde e azul. Quando o índice cai abaixo da linha de tendência verde, isso causa um aumento nas vendas. Por outro lado, um rompimento da linha verde gera um forte movimento de alta, que é interrompido temporariamente pela linha azul, que agora se tornou uma linha de resistência. Em seguida, vemos outro período de trading lateral entre as linhas azul e laranja, com uma forte queda abaixo da linha azul. Posteriormente, obtemos a confirmação de que essa queda se trata de um “sinal falso”. Assim que o índice rompe a linha laranja, temos outra forte alta, com o preço seguindo para um novo território no gráfico. Este é o sonho de qualquer trader!

É fácil ver como investidores diferentes podem interpretar diferentes linhas de tendência como suporte ou resistência. Na verdade, uma linha de suporte pode se tornar rapidamente uma linha de resistência e vice-versa.

Análise técnica - suporte e resistência
Fonte: Finamark

Gráfico 2

Este gráfico é fascinante, pois é possível ver dois conjuntos de linhas de suporte e resistência. Isso destaca um intervalo de atividade estreito, enquanto o índice ainda está em uma tendência de alta de longo prazo. Você verá que, após a alta inicial, a linha mais alta se torna uma linha de suporte para a primeira fase da tendência. Assim que o índice cai abaixo da linha de suporte, isso forma outro intervalo de atividade relativamente estreito, enquanto a tendência de alta de longo prazo se mantém. No entanto, quando o índice cai além da linha de suporte inferior, a tendência de alta é rompida, o que gera uma queda no valor do índice em seguida.

Não é difícil identificar um sinal de venda relativamente forte à medida que o índice cai abaixo da linha de suporte inferior.

Análise técnica - tendências
Fonte: Finamark

Gráfico 3

Este gráfico é mais um exemplo de uma tendência de alta com uma linha de resistência superior e uma linha de suporte inferior bastante evidentes. Isso cria um corredor de atividade mais estreito, com o índice variando entre a resistência superior e o suporte inferior. Curiosamente, o índice parece persistir no nível de suporte inferior o máximo possível antes de haver uma venda generalizada. É bastante provável que tenha havido uma redução no momentum nos últimos dias antes do movimento de venda, o que foi identificado por meio de outras formas de análise técnica. Por essa razão, o rompimento inferior da tendência gerou preocupação no mercado.

Usando uma forma de análise técnica, parece que o índice está se segurando o máximo que pode no nível de suporte. Ao incorporar uma análise de momentum adicional, você provavelmente veria um enfraquecimento da tendência de alta e ficaria atento quanto a uma queda no índice – antes mesmo que ela ocorresse.

Análise técnica - tendências 2
Fonte: Finamark

Gráfico 4

Quem sugere que a análise de gráficos é fácil ao analisar os movimentos no futuro provavelmente não entendeu os fundamentos dessa forma de análise técnica. Como você pode ver no gráfico abaixo, há evidências de que uma tendência de alta de médio prazo está criando um intervalo de trading relativamente estreito. Conforme o corredor se estreita ainda mais, isso cria um padrão gráfico clássico que indica um rompimento superior ou inferior. Nesse caso, houve um forte sinal de venda antes de um movimento de venda generalizado. Esse tipo de sinal seria útil para quem busca lucrar com posições compradas ou para que prefere assumir uma posição vendida para tirar proveito de novas tendências de baixa.

Conforme a janela de trading se estreita e a tendência de alta se mantém, temos um sinal de que um rompimento significativo está próximo. Também seria possível traçar linhas de tendência após o movimento de venda inicial, entre 2811,25 e 2638,25, considerando algumas oscilações do mercado. Em seguida, temos um rompimento abaixo de 2638,25 e outro movimento de venda significativo.

Triângulo
Fonte: Finamark

Gráfico 5

Este gráfico mostra uma tendência de alta de longo prazo no índice entre novembro de 2016 e outubro de 2018. Essa tendência de longo prazo incorpora diversas tendências de curto prazo, como os fortes movimentos de alta e de baixa no início de 2018. Você também pode ver diversos possíveis sinais falsos onde o índice caiu abaixo da linha de tendência de longo prazo, mas se recuperou. Seria fácil considerar isso como um movimento de baixa no calor do momento. Ao agir por impulso e fechar suas posições compradas, você provavelmente perderia uma nova alta de 200 pontos no índice. Analisando essa situação agora, é fácil reconhecer que temos um sinal falso. Novamente, é aqui que múltiplas estratégias de análise técnica entram em jogo.

Muitas pessoas consideram que quem busca oportunidades de trading de curto prazo ignora as tendências de longo prazo – isso não é verdade. Como você pode ver no gráfico abaixo, embora haja oportunidades para operar do lado de cima e do lado de baixo enquanto a tendência de alta permaneceu intacta, o movimento de venda foi bastante abrupto. Portanto, a chave é manter o foco na sua estratégia de investimento. Traders de curto prazo buscam movimentos de preço de curto prazo enquanto monitoram possíveis mudanças nas tendências de longo prazo.

Linha de tendência
Fonte: Finamark

Usando indicadores

Há diversos indicadores diferentes que podem ser usados na análise técnica. As duas principais áreas de interesse são os movimentos de preço e o volume de negociação. Embora o volume seja negligenciado por muitos traders, um aumento significativo pode antecipar um grande movimento de alta ou de baixa no mercado. Ao operar ações, o volume de negociação pode aumentar antes de anúncios importantes de uma determinada empresa. E algumas empresas gostam muito de atenção!

A seguir, apresentamos uma lista com os 10 indicadores mais populares usados para análise técnica. Todos eles são excelentes por conta própria, mas usar dois ou mais em conjunto pode produzir sinais mais sólidos e confiáveis.

Oscilador Estocástico

O Oscilador Estocástico compara o preço atual com o intervalo de preço recente. Isso ajuda a identificar mercados em sobrecompra ou sobrevenda.

Bandas de Bollinger

O conceito básico por trás das Bandas de Bollinger é que, após oscilações muito grandes, o preço tende a retornar a um ponto de equilíbrio – assim como um elástico. Baseado em médias móveis, esse indicador usa a volatilidade como método para identificar mudanças nas tendências.

Média Móvel Convergente e Divergente (MACD)

O MACD é uma ferramenta versátil que mostra a relação entre duas médias móveis para identificar novas tendências.

Índice de Força Relativa (RSI)

O RSI é um método útil de identificar cenários de sobrecompra e sobrevenda usando a força relativa em comparação com os movimentos de preço recentes. Esse indicador influencia muito os traders!

Retração de Fibonacci

Muito usada por traders de curto prazo, como aqueles que investem em futuros de índices e moedas, a teoria da Retração de Fibonacci foi desenvolvida por um matemático italiano no século 13. O uso de proporções de Fibonacci estritamente definidas cria uma série de linhas de suporte e resistência, o que é perfeito para swing traders.

Índice do Fluxo de Dinheiro (MFI)

O Índice do Fluxo de Dinheiro oferece um meio de medir saltos no volume de negociação, indicando uma mudança na tendência ou notícias iminentes.

SAR Parabólico

Este indicador é um forma útil de identificar possíveis reversões na direção do preço de um índice ou de uma ação.

Média Móvel Simples (MMS)

A linha de tendência de uma MMS é usada para suavizar as oscilações de curto prazo no preço de um índice ou ativo para destacar a tendência predominante.

Indicador Aroon

O indicador Aroon incorpora dois componentes específicos – o “Aroon de Subida” e o “Aroon de Descida” –, destacando movimentos de preço limitados por um intervalo e padrões de mudança da tendência.

Ichimoku Cloud

O Ichimoku Cloud é um indicador relativamente novo que está ficando cada vez mais popular. É uma forma muito útil de medir o momentum do preço, aplicando um atraso proposital para reduzir sinais falsos.

Tente combinar dois ou mais indicadores

Quando chegamos ao cerne da análise técnica, vemos que ela trata basicamente de tendências – seja de curto, médio ou longo prazo. Você verá que dois indicadores técnicos nunca darão exatamente o mesmo sinal ao mesmo tempo. Usar um tipo de análise técnica isolado pode gerar sinais falsos, levando você a reagir antes da hora. O uso de dois ou mais tipos de análise técnica reduzirá a influência dos sinais falsos. No entanto, há uma desvantagem em usar dois ou mais indicadores técnicos.

Ao identificar uma mudança na tendência usando um indicador técnico de mais curto prazo, você corre o risco de comprar muito cedo. Quem se baseia nos sinais de dois ou mais indicadores técnicos antes de investir entrará no mercado com um certo atraso. Por um lado, quanto mais indicadores técnicos estiverem positivos, mais forte o sinal – isso significa que a tendência está realmente mudando. Por outro lado, um atraso em uma média móvel, por exemplo, pode significar que você entrará na festa mais tarde. É importante não usar muitos indicadores técnicos ao mesmo tempo, pois isso pode complicar demais o processo e acabar atrasando suas decisões de investimento.

Combine a análise técnica com a análise fundamentalista

Muitos investidores já ouviram a expressão “a tendência é sua amiga”, que é uma ideia bastante simples, porém muito adequada para o nosso caso. Para um olhar desatento, os movimentos de preço de um ativo podem parecer relativamente aleatórios e voláteis, mas há um método para enxergar além da loucura aparente dos movimentos de preço. Os mercados de ações reagem à oferta e demanda em sua forma mais básica. Há um argumento que sugere que a análise fundamentalista já é incorporada pelos preços a partir das informações públicas e não públicas. No entanto, para quem possui uma visão de investimento de mais longo prazo, a integração entre a análise fundamentalista e a análise fundamentalista pode ser muito útil.

Vantagens e desvantagens da análise técnica

Assim como acontece com qualquer estratégia de investimento, há inúmeras vantagens e desvantagens de usar a análise técnica. Nenhuma estratégia de investimento é uma ciência exata, e há diversos fatores diferentes a serem considerados.

Vantagens de usar a análise técnica

As principais vantagens de usar a análise técnica incluem:

  • Muito útil para prever tendências atuais e futuras
  • Ela ajuda a identificar pontos de entrada e saída
  • Os primeiros sinais podem ser mais arriscados, mas indicam uma mudança na tendência
  • Mais rápida e mais barata que a análise fundamentalista
  • Linhas de tendência de curto, médio e longo prazo fornecem dados cruciais

Para tirar o máximo de proveito da análise técnica, você precisa realmente adotar o conceito, aprender a ler gráficos e identificar novas tendências. Disciplina e foco são essenciais.

Desvantagens de usar a análise técnica

As principais desvantagens de usar a análise técnica incluem:

  • Como os investidores usam os dados dos gráficos vai depender da interpretação individual, isso não é uma ciência exata
  • Indicadores diferentes podem apresentar sinais diferentes ao mesmo tempo
  • Indicadores de tendência de longo prazo podem sofrer atrasos significativos em relação a mudanças em tendências de curto prazo
  • Indicadores técnicos de curto prazo podem gerar sinais falsos
  • A introdução manual de linhas de tendência no gráfico pode gerar imprecisões

Usar um tipo de análise técnica pode levar a resultados muito diferentes. Um sinal falso pode levar a uma decisão de investimento ruim. Um indicador que identifique uma mudança na tendência logo no início pode levar a investimentos lucrativos. É por isso que muitas pessoas tendem a incorporar pelo menos dois métodos de análise técnica diferentes ao seu processo de tomada de decisão de investimento, equilibrando as vantagens e desvantagens.

Como a análise técnica se diferencia da análise fundamentalista

A análise fundamentalista de um investimento – uma empresa de tecnologia, por exemplo – dependerá apenas das informações disponibilizadas pela empresa e por analistas. Sempre haverá coisas acontecendo “nos bastidores”, o que pode impactar o preço das ações, mas não o conhecimento público. Consequentemente, os anúncios de resultados trimestrais, provisórios ou anuais são muitas vezes apresentados em conjunto com declarações que oferecem uma orientação futura em relação à empresa. Observe que relatórios e resultados contábeis refletem um dado momento específico e podem ser manipulados para dar a melhor impressão possível naquele momento.

Retomando a ideia de mercados e trocas de informações altamente eficientes, há um argumento que sugere que os mercados já incorporam a análise fundamentalista aos preços. Se analisarmos os futuros de índices, o nível do índice tende a incorporar a situação atual a as expectativas para o futuro. Por exemplo, como as taxas de juros devem ficar no curto prazo? Há estabilidade política para se fazer bons negócios ou estamos prestes a enfrentar um período de recessão?

Os investidores devem estar preparados para o inesperado, como mudanças repentinas nas taxas de juros, desentendimentos comerciais entre os países, indicadores econômicos decepcionantes e resultados abaixo do esperado para as empresas de interesse. Mesmo que os mercados não consigam incorporar esses problemas inesperados, eles reagirão e encontrarão o “nível correto” em algum momento.

Riscos de depender apenas da análise técnica

Embora muitos investidores obtenham lucros razoáveis com operações de curto prazo baseadas unicamente em análise técnica, essa prática também tem seus riscos.

Viés na interpretação

Mesmo se as mesmas informações estiverem disponíveis para todos os investidores usando análise técnica, pode haver um certo viés na interpretação. Se estiver otimista em relação a um determinado índice, então você pode interpretar um rompimento de curto prazo da linha de resistência como a criação de uma nova tendência. É perigoso reagir a um movimento acima ou abaixo de uma linha de tendência, pois ele pode ser revertido rapidamente.

Favorecendo um estilo de análise técnica

Como mencionamos acima, muitas pessoas tendem a usar diferentes tipos de análise técnica antes de fazerem qualquer mudança fundamental no seu portfólio de investimento. Elas podem incorporar indicadores de curto, médio e longo prazo para se prepararem para qualquer mudança nas tendências. Alguns investidores “veem o que querem” e acabam se concentrando em apenas um aspecto da análise técnica, o que lhes fornece os resultados que eles buscam a partir de ideias preconcebidas.

Desvalorização dos fundamentos

Se você depender apenas da análise técnica e não valorizar os fundamentos, seja para um índice, ação ou algum tipo de commodity, isso pode criar altos riscos para suas operações. Você não precisa necessariamente operar com base nos fundamentos, mas é bom entender e valorizar os fundamentos que movem um determinado índice ou tipo de investimento.

Valorização de tendências de curto, médio e longo prazo

Ao avaliar a análise técnica, você verá que é possível haver diferentes tendências de curto e longo prazo. Alguns traders investem em movimentos de curto prazo, enquanto outros adotam uma abordagem de mais longo prazo e aproveitam a “volatilidade de curto prazo”. No entanto, é importante valorizar tendências de médio ou longo prazo estáveis, mesmo se você estiver operando com base em movimentos de mais curto prazo.

A análise técnica realmente funciona?

Responder se a análise técnica realmente funciona depende da sua visão sobre essa técnica. Há grandes divergências sobre o assunto em ambos os lados do espectro. Na verdade, se você não acreditar na análise técnica e não se comprometer de verdade, ela não funcionará para você. Se você usar a análise técnica em suas diversas formas e se manter disciplinado e focado, então é muito provável que ela funcione para você. Também vale observar que há inúmeros tipos diferentes de métodos de análise técnica: médias móveis, candlesticks, volume e vários outros estão disponíveis para todos os investidores.

Como investidores, todos nós tendemos a reagir a altas e baixas, e isso gera máximas e mínimas em torno da tendência central. No fim das contas, as máximas e mínimas são suavizadas e o preço do ativo acaba encontrando o “nível correto”. Não se esqueça de que os mercados de ações e outras Bolsas de ativos são extremamente robustos, com os preços geralmente já incorporando as informações públicas e não públicas – mais informações do que o investidor médio poderia acessar a qualquer momento.

Considerações finais

Afinal, do que se trata a análise técnica? O conceito de análise técnica existe desde o século 19 – ou até antes disso. Ele se baseia na ideia de que movimentos de preço históricos se repetirão de tempos em tempos. Portanto, é possível extrapolar as tendências atuais a partir dos movimentos de preço históricos. Embora muitas pessoas possam discordar de que a história se repete para os movimentos dos índices, nós sabemos que o comportamento do investidor é bastante previsível. Na prática, esta é a grande pergunta: é a tendência que dita os movimentos do investidor ou são os movimentos do investidor que ditam a tendência? É quase como o dilema do ovo e da galinha – quem veio primeiro?

Você pode acreditar ou não que a análise técnica é uma profecia autorrealizável, a questão é que ela funciona e há diversos exemplos que provam isso. Todos nós temos as mesmas informações diante de nós, mas aprender a ler, entender e prever os movimentos de preço futuros é uma verdadeira arte.