Earn2Trade Blog
arbitragem financeira

Arbitragem financeira: o que é, riscos e como operar corretamente no dia-a-dia de trader

O conceito de arbitragem financeira no mercado de ações especificamente, refere-se a operação de compra e venda de um ativo, buscando conseguir uma lucratividade com essa diferença de preços de cada uma.

Em tese, esse seria o princípio básico para que o trader possa dar seus passos operando na bolsa de valores, porém, quando vamos esmiuçando os detalhes, veremos que temos mais coisas para encorpar a estratégia de trading.

Então, você que é day trader vai poder conhecer no artigo de hoje como funciona exatamente a arbitragem financeira e de qual maneira você pode aplicar nas suas estratégias diárias pensando em otimizar seus ganhos.

Boa leitura.

Trader patrocinado earn2trade

O que é arbitragem financeira?

A arbitragem financeira é a base das operações financeiras mais efetuadas nas bolsas de valores e tem por premissa a compra e venda de ativos com obtenção de lucro rápido sobre a diferença dos preços.

Essa ideia apesar de simples em conceito, na prática requer um bom conhecimento do mercado financeiro para entender as oscilações e se basear nisso para criar estratégias de quando comprar e vender.

Inclusive, a arbitragem é muito utilizada nas operações de day trade justamente por essa característica de permitir a chance de lucros rápidos com a variação de preço das ações.

O que é arbitragem financeira?

Arbitragem financeira: como funciona

Em geral, a estratégia de arbitragem financeira passa por comprar na baixa e vender na alta como dizem no jargão do mercado financeiro, sendo que a diferença representa o lucro do operador.

Portanto, se você compra uma ação por 10 dólares, e em alguns minutos ela sobe para 15 e você vende, essa operação curta gerou 5 dólares de lucro, ou seja, 50% de crescimento nesse investimento.

Claro que esse é um exemplo simplista, pois quando falamos de mercado financeiro, essa variação pode ser de centavos até, o que faz muita diferença quando o operador tem várias cotas daquele mesmo ativo.

Essa operação pode ser feita de várias maneiras, sempre visando em minimizar riscos, inclusive é possível automatizar algumas ações para ter mais eficiência na estratégia.

Como a arbitragem financeira acaba?

Em linhas gerais, podemos dizer que a natureza da operação de arbitragem financeira é eventualmente ela se anular, pela simples lógica da oferta e demanda.

Para ilustrar isso, vamos considerar o lançamento de um novo produto, como um celular de última geração que custa 5 mil reais no Brasil, porém você descobre que no Paraguai o mesmo modelo tá saindo pelo equivalente a 3 mil reais por vários motivos.

Então, buscar celulares lá para vender aqui seria uma forma de obter 2 mil reais de lucro bruto, o que seria um ótimo negócio, certo?

Certo. Um negócio bom desses vai atrair mais pessoas que vão querer fazer o mesmo processo subindo a demanda pelo dispositivo no país vizinho e aumentando a oferta aqui no Brasil.

Se sobe a demanda, sobre o preço e se sobe a oferta, cai o preço, portanto, em algum ponto dessa história o celular estará com preços bem aproximados em ambos os países, fazendo com que não valha a pena fazer o processo de buscar fora para vender aqui.

É um exemplo hipotético de fato, mas serve para ilustrar como a arbitragem financeira em algum momento se anula, deixando valer a pena a compra e a venda.

Mas vale destacar uma coisa aqui: a alta e baixa de determinadas ações não tem a ver só com oferta e demanda, mas também com especulação, por isso esse exemplo ajuda ilustrar, mas não deve ser a única motivação da sua estratégia.

Como a arbitragem financeira acaba

Possíveis riscos da arbitragem financeira: entenda

Não há estratégia lucrativa sem riscos no mercado financeiro e isso é algo que todo operador aprende mais cedo ou mais tarde, então o trabalho envolve sempre compreender os riscos e tentar controlá-los da melhor maneira possível.

A arbitragem financeira pode oferecer sim alguns riscos para o operador, em especial 3 que são os mais observados nas operações, por isso separamos uma explicação para que você entenda melhor cada um deles e seus possíveis impactos na sua estratégia.

– Risco operacional

Os riscos operacionais são aqueles inerentes às ações do operador em cima daqueles ativos adquiridos, então se trata de situações onde não é possível executar uma determinada ação e assim perder o timing de uma alta ou queda.

Contra isso, cabe a experiência e principalmente a agilidade do trader para não se perder em meio às operações e saber exatamente a hora de fazer o movimento dentro da estratégia previamente estabelecida.

Mas na prática, vale dizer que microssegundos contam para o sucesso de uma boa arbitragem, o que é humanamente impossível de fazer, sendo assim, muitos operadores utilizam robôs e softwares que ofereçam algum tipo de automação para que essas tarefas sejam executadas sem necessidade da ação humana.

– Falta de liquidez

A arbitragem depende de um fenômeno que em geral é difícil de prever, mas quem é experiente consegue notar indícios que podem mostrar uma tendência para determinados ativos.

Principalmente no day trade, essa oscilação que acontece num curto prazo é vital para o sucesso da estratégia, mas justamente essa velocidade é que vai impactar diretamente na liquidez.

Por exemplo, você compra um ativo por 10 reais, e ao subir para 12 você vende, porém em algum tempo depois a ação chega a 15, então, fica aí uma liquidez para trás que poderia ser aproveitada numa operação mais longa.

– Risco de Governo

O risco de governo não é um dos mais presentes na vida de quem faz arbitragem financeira, mas pode ocorrer quando influencia ações ordinárias deixando elas mais caras que as ações preferenciais, e isso impacta diretamente nos dividendos.

O contra ataque é ter sempre um stop loss configurado para mitigar suas perdas, então busque uma forma de automatizar suas operações para conseguir operar com mais sucesso.

Ainda sobre o Governo, também podemos falar dos riscos diretos nas ações de estatais, como a Petrobras, cujas ações podem subir ou descer a depender das atividades governamentais, e neste caso há uma influência direta.

Para demais ativos, o risco de governo é realmente bastante baixo.

O que é estratégia de arbitragem?

Na verdade são estratégias de arbitragem, porque há mais de um tipo que você pode utilizar nas suas operações de trader, cada uma com uma função diferente, podendo ser utilizada para obter vários benefícios.

Principalmente no day trader, as estratégias de arbitragem tem que ser muito bem construídas, pois qualquer erro pode impactar diretamente a lucratividade desses ativos.

Como operar arbitragem?

De forma simples, você pode operar arbitragem comprando o mesmo ativo em diferentes mercados buscando ganhar o spread que é a diferença entre o preço de compra e venda.

Mas a bem da verdade, existem vários tipos de arbitragem que você pode utilizar na sua estratégia de day trade, então a seguir vamos explorar mais sobre isso.

Quais são os tipos de arbitragem existentes?

Arbitragem Cambial

O primeiro tipo é a arbitragem cambial, que como o nome já nos dá uma pista, é aquela que é feita em cima da variação de moedas de diferentes mercados.

Operar mini dólar por exemplo é uma forma de fazer isso, até porque é a moeda que mais tem opções de operar nas bolsas brasileiras e mundiais.

Arbitragem de Futuros

Outra forma de fazer arbitragem é operando também no mercado de futuros, fazendo uma análise baseada nos contratos futuros em busca de operações que podem ser lucrativas.

A diferença aqui se encontra justamente na variação do preço do ativo atualmente e também na perspectiva futura de aumento.

Arbitragem de Ações

Também tem o tipo de operação que é a arbitragem de ações, que considera ações preferenciais (PN) e ações ordinárias (ON) de uma mesma empresa que pode apresentar diferenças de preços.

É possível conseguir lucros consideráveis com este tipo de arbitragem.

Arbitragem de Mercado Fracionário

A opção de arbitragem do mercado fracionário costuma ser mais cara para operar mas também oferece possibilidade de mais liquidez. No fracionário é possível comprar 100 ações e vendê-las em lote cheio. A alteração de valor pode ser muito lucrativa nesse modelo.

Arbitragem de ADRs

Por fim temos a arbitragem de ADRs que é para compra e venda de ativos em outros países, se beneficiando com a diferença do valor da ação fora e aqui no Brasil.

tipos de arbitragem existentes

Convergência de preços na arbitragem: o que é?

Direto ao ponto: a arbitragem tem como efeito final a convergência de preços, que seguindo o princípio de oferta e demanda, faz com que em determinado momento os valores dos ativos se igualem mesmo em mercados diferentes.

No exemplo que demos lá no tópico sobre como acaba a arbitragem dá pra ter uma ideia, mas só para reiterar, se um ativo está com preço atrativo para compra e possibilidade de crescer para uma venda lucrativa, só vai ter bons lucros os traders que pegarem a oportunidade no começo, pois a tendência é que logo os preços voltem a paridade.

No fim das contas, entender como funcionam esses processos de trading ajuda, mas só nas operações reais é que você aperfeiçoa as técnicas.

Aproveite que a Earn2Trade te ajuda a se tornar um trader eficiente, sem precisar operar com seu dinheiro. Conheça mais sobre nossos programas e enriqueça seu portfólio de estratégias de trading.

Conclusão

A arbitragem financeira é um fenômeno bastante interessante que acontece naturalmente no mercado financeiro, devido a volatilidade intrínseca a esse mercado.

Saber a hora de aportar e a hora de retirar a posição é que faz com o que trader lucre com esse tipo de operação, então para aprender a ter uma boa noção dessas altas e baixas, você precisa operar de fato.

Na Earn2trade você pode ser um trader patrocinado e ainda se qualificar para operar com eficiência, conheça nossas opções.

Trader patrocinado earn2trade