Earn2Trade Blog
US Futures Exchanges

Bolsas de Futuros dos EUA – Tudo o que você precisa saber sobre elas

As Bolsas de futuros dos EUA abandonaram o antigo sistema de pregão viva-voz e adotaram plataformas de trading sofisticadas. No início, tratavam-se apenas de lugares voltados para a comercialização de produtos agrícolas, mas hoje as Bolsas são capazes de atender às mais diversas necessidades dos acionistas. Embora o mercado tenha se consolidado com apenas algumas Bolsas grandes, a competição entre elas é enorme. Essas Bolsas estão sempre evoluindo e buscando novas formas de aumentar sua participação no mercado, oferecendo termos melhores, produtos novos e plataformas mais modernas. As Bolsas também tiveram um papel importante no desenvolvimento dos mercados de capitais nos EUA.

blog ad pt e2t

O que é uma Bolsa de futuros?

Uma Bolsa de futuros é uma plataforma pela qual os traders podem comprar ou vender contratos futuros. Esses contratos futuros podem se basear em diversos ativos subjacentes, variando de commodities a índices de ações. Ao padronizar o contrato futuro, essas Bolsas facilitam o acesso e aumentam a liquidez do mercado. Para contratos mais personalizados, os participantes podem entrar no mercado a termo, onde é possível ajustar os contratos de acordo com os requisitos do trader. Um mercado a termo não possui a mesma liquidez, e não há um intermediário para liquidar esse tipo de contrato.

Bolsas de futuros possuem mais informações de preço, e a liquidação diária das operações e os requisitos de margem minimizam o risco de inadimplência na data de vencimento. Esse nível de transparência é outra vantagem que uma Bolsa de futuros oferece, pois o risco de inadimplência em um contrato a termo é significativamente mais alto. Os serviços de compensação dessas Bolsas garantem que até mesmo traders pequenos possam liquidar suas operações sem ter que esperar muito para encontrar uma contraparte.

O processo de liquidação em uma Bolsa de futuros também é relativamente simples. Um trader pode estender o contrato na data de vencimento a partir da compra de um novo contrato futuro com uma data de vencimento estendida. O trader também pode assumir uma posição contrária no mesmo contrato – operando vendido se já estiver em uma posição comprada, por exemplo. Em alguns casos, há uma entrega física do ativo subjacente em troca do preço estabelecido. A flexibilidade oferecida por uma Bolsa de futuros não é algo você poderá obter com um contrato a termo.

Ao longo dos anos, houve um aumento da participação de traders menores nas Bolsas de futuros devido à sua facilidade de acesso e de uso. As plataformas de trading se desenvolveram significativamente, permitindo que os participantes do mercado tomem decisões bem fundamentadas.

Uma visão geral das Bolsas de futuros dos EUA

No início, as Bolsas de futuros dos EUA ofereciam apenas contratos de produtos agrícolas. A Chicago Board of Trade (CBOT) foi a primeira Bolsa dos EUA a oferecer contratos futuros de milho, trigo, soja e afins. Essa limitada seleção permaneceu assim por bastante tempo. Não houve mudanças significativas no mercado futuro quanto à diversidade de produtos. Novas commodities agrícolas, como algodão, cacau e açúcar, foram introduzidas conforme seu consumo aumentava nos EUA.

Nos anos 1970, o mercado futuro nos EUA sofreu grandes mudanças, principalmente com a introdução da Commodity Futures Trading Commission. Em 26 de novembro, a CFTC permitiu o trading de contratos futuros de US Treasury Bills de 90 dias na Chicago Mercantile Exchange. Em 1977, as operações de contratos futuros de títulos de longo prazo passaram a ser oferecidas na CBOT. Também houve a introdução de contratos de moedas estrangeiras, e aos poucos o escopo do trading de futuros deixou de ser limitado a produtos agrícolas.

O mercado futuro dos EUA possui o maior volume de negociação do mundo, além de ser um dos mercados mais avançados. Ele oferece futuros de uma enorme variedade de produtos, como Bitcoins, que são oferecidos pela Chicago Mercantile Exchange e pela Chicago Board Options Exchange. Inicialmente, os contratos eram liquidados no pregão físico, mas hoje as plataformas eletrônicas facilitam a vida dos traders. As Bolsas também se consolidaram no mercado, com apenas algumas grandes controlando a maior parte do volume. Algumas dessas Bolsas serão discutidas no tópico a seguir. Como a manipulação de mercado é uma grande preocupação, essas Bolsas são rigorosamente reguladas, e diretrizes específicas devem ser seguidas durante o trading.

CME Group

O Chicago Mercantile Exchange Group, também conhecido como CME Group, é um dos principais mercados de derivativos do mundo, oferecendo diversos produtos diferentes. O grupo é composto de quatro Bolsas: Chicago Mercantile Exchange (CME), New York Mercantile Exchange (NYMEX), Chicago Board of Trade (CBOT) e Commodity Exchange (COMEX). Cada uma dessas Bolsas do CME Group oferece futuros de classes de ativos específicas, e a grande variedade de produtos disponíveis fez do CME Group uma das maiores Bolsas do mundo quando se trata de trading de futuros.

As Bolsas do CME Group também foram fundamentais para o desenvolvimento de plataformas de trading eletrônicas, o que aumentou a penetração do mercado de derivativos. Operar em plataformas eletrônicas continua dominando o mercado, com o pregão viva-voz representando apenas uma pequena parte das operações. Com o tempo, a contribuição das liquidações por meio do pregão físico deve diminuir ainda mais, com as operações eletrônicas ganhando mais espaço entre os traders.

Além de dominar os mercados dos EUA, as Bolsas do CME Group possuem um alcance global, com uma presença significativa na Europa, Ásia-Pacífico e América Latina.

Chicago Mercantile Exchange

A Chicago Mercantile Exchange, ou apenas CME, foi criada como uma Bolsa de commodities agrícolas e está entre as mais antigas Bolsas de futuros dos EUA. Ela se fundiu com a NYMEX e a COMEX em 2008, e desde então o volume de operações disparou. A maioria das operações ocorre por meio da sua plataforma online, chamada Globex Trading System. A Bolsa oferece futuros em quatro amplas classes de ativos bastante amplas: Taxas de Juros, Produtos Agrícolas, Forex e Ações. Alguns dos contratos futuros dentro de cada tipo incluem:

Taxas de JurosFuturos de Eurodólar de um mês, futuros de MPC SONIA, futuros de SOFR de um mês
Produtos AgrícolasFuturos de queijo em bloco, futuros do spread entre óleo de palma bruto da Malásia e gasóleo, futuros de leite classe 3
ForexFuturos de Dólar australiano, futuros de Dólar australiano/Iene japonês, futuros de Real brasileiro
AçõesFuturos de retorno total do S&P 500 ajustado pela taxa de juros, futuros de índice de BTIC E-mini FTSE China 50, futuros de BTIC E-mini Nasdaq-100

A partir da tabela acima, é possível entender como o CME Group se tornou um player dominante no mercado futuro. A CME criou um mercado para produtos internacionais e ainda forneceu aos traders uma plataforma que lhes permite assumir posições em moedas e taxas de juros de fora dos EUA.

New York Mercantile Exchange

A New York Mercantile Exchange, ou NYMEX, se tornou parte do CME Group em 2008, e seu foco principal está em produtos de energia. Embora essa classe de ativos seja limitada apenas a energia – além de algumas commodities agrícolas –, sua seleção dentro de futuros de energia é bastante ampla.

EnergiaFuturos de Brent (Mercado de Singapura), futuros de baixo volume do carvão de coque australiano (Platts), futuros de petróleo WTI diários, futuros E-mini de gás natural, futuros de óleo de aquecimento da costa do Golfo (Argus) vs. N.Y. Harbor ULSD
Produtos AgrícolasFuturos de cacau, futuros de café

A Bolsa cobre quase todo ativo no setor energético e oferece aos traders a flexibilidade de escolher entre uma grande variedade de ativos disponíveis. Alguns futuros incluem produtos de energia essenciais de fora dos EUA, e a NYMEX fornece um mercado para operar esses produtos. A NYMEX se especializou em produtos de energia e, portanto, os futuros de produtos agrícolas são limitados. Não há futuros de produtos financeiros, como taxas de juros ou moedas.

Chicago Board of Trade

A fusão da Chicago Board of Trade (CBOT) com o CME Group aumentou o escopo do grupo quanto ao trading de derivativos. Ela está entre as Bolsas mais antigas do mundo. No fim dos anos 80, a CBOT oferecia futuros de trigo, milho e soja. Ela serviu como um mercado em que os agricultores podiam fazer hedge da sua produção, sendo uma plataforma importante para a interação entre compradores e vendedores. Desde a sua criação, a CBOT expandiu o mercado futuro nos EUA e, atualmente, oferece futuros de diversos produtos diferentes. Ao contrário da NYMEX, ela não se concentra em um segmento específico. Alguns dos contratos oferecidos incluem:

Taxas de JurosFuturos de T-Notes de dois anos, futuros de US Treasury Bonds
EnergiaFuturos de etanol, futuros de etanol de um mês
Produtos AgrícolasFuturos de trigo FOB da Austrália (Platts), futuros de milho do Mar Negro com liquidação financeira, futuros de soja FOB de Santos com liquidação financeira (Platts), mini futuros de soja, futuros de óleo de soja
AçõesFuturos de índice de retorno total Dow Jones Industrial Average, micro futuros de índice E-mini Dow Jones Industrial Average

A CBOT lida principalmente com futuros de produtos agrícolas e com uma pequena seleção de futuros de taxas de juros e de ações. Ela não conta com futuros de Forex, e o portfólio de futuros de energia também não é tão amplo quanto o da NYMEX.

As operações na CBOT eram feitas por meio do pregão viva-voz, mas o número de pregões oferecendo essa opção caiu consideravelmente. Atualmente, a maior parte das operações ocorre por meio do canal online.

Intercontinental Exchange

A Intercontinental Exchange (ICE) foi formada em 2000 com a ideia de criar uma plataforma de mercado de balcão (OTC) transparente e eficiente para o trading de produtos de energia. Ela entrou no trading de futuros com a aquisição da International Petroleum Exchange (IPE), em 2001. A ICE continuou crescendo a partir da aquisição de outras Bolsas, o que aumentou seu portfólio de produtos no mercado futuro. Entre as principais aquisições estão:

AnoEmpresaProduto
2001International Petroleum ExchangeFuturos de Energia
2007New York Board of TradeFuturos de Commodities
2007Winnipeg Commodity ExchangeFuturos de Commodities
2010Climate ExchangeFuturos relacionados a emissões de produtos, como dióxido de carbono
2013NYSE EuronextPermitiu o controle de diversas Bolsas, oferecendo uma vasta gama de produtos

O mercado futuro da ICE cresceu muito graças a essas aquisições, embora a ICE continue oferecendo derivativos no mercado de balcão. A ICE Futures Europe é um dos maiores mercados de futuros de energia, e a empresa continua expandindo para novos territórios. O alcance da ICE é bastante vasto, com uma presença significativa na Europa. A Bolsa usou a tecnologia para expandir seus negócios e está sempre atrás de novas oportunidades para adquirir empresas que ofereçam plataformas avançadas para lidar com produtos financeiros. A ICE também fornece câmaras de compensação em Singapura por meio da sua divisão ICE Clear Singapore. A Bolsa também tem feito incursões no mercado de ativos digitais, aproveitando as oportunidades oferecidas pelas criptomoedas, como o Bitcoin.

Outras Bolsas de futuros dos EUA

Houve um tempo que apenas os grandes players participavam do trading de futuros. Ao longo do tempo, sua seleção aumentou e muitos acontecimentos levaram os traders menores a participarem do mercado. Minicontratos foram introduzidos para que a exposição não fosse tão elevada para players menores. Além disso, as pessoas não precisam mais competir pelo melhor preço em pregões físicos. Embora tenha ocorrido uma consolidação das Bolsas de futuros, os EUA ainda contam com algumas Bolsas que oferecem produtos específicos. Apresentamos algumas delas no próximo tópico.

Small Exchange

Como o nome sugere, a Small Exchange se concentra em contratos menores, permitindo que traders menores entrem no mercado futuro. Os futuros oferecidos tendem a ser os mesmos que os de outras Bolsas em termos de produtos e de datas de vencimento. No entanto, o valor subjacente é menor, o que estimula os traders com menos capital a participar. Alguns dos produtos oferecidos incluem:

ProdutoDescrição
Small TechnologyFuturos disponíveis em um índice que representa o setor de tecnologia
Small Stocks 75Futuros disponíveis em um índice que representa cinco setores com o mesmo peso, sendo cada um deles composto por 15 ações
Small Precious MetalFuturos disponíveis em um índice composto por ouro, prata e platina 
Small US DollarFuturos em um índice de moedas com uma combinação de sete moedas de acordo com o PIB
Small 2 Year Treasury YieldFuturos baseados em um Treasury Note de dois anos
Small 10 Year Treasury YieldFuturos baseados em um Treasury Note de 10 anos
Small 30 Year Treasury YieldFuturos baseados em um Treasury Bond de 30 anos

Em geral, os investidores devem depositar uma margem inicial abaixo de US$100.000. Esses contratos menores normalmente não estão disponíveis nas principais Bolsas que mencionamos anteriormente.

Minneapolis Grain Exchange

A Minneapolis Grain Exchange é outro índice de futuros de commodities criado no século 19 e tem oferecido contratos futuros de trigo, milho e soja há mais de 125 anos. A Bolsa encerrou completamente o trading de futuros em pregões viva-voz, e agora todas as transações ocorrem por meio de uma plataforma de trading eletrônica.

Os EUA já tiveram inúmeras Bolsas de futuros oferecendo diversos produtos, como a OneChicago, que oferecia contratos futuros de ações e permaneceu em funcionamento por apenas alguns dias. Os grandes players continuam dominando o mercado, logo é improvável que os players menores desafiem as Bolsas dominantes. Isso se deve principalmente à capacidade dessas Bolsas maiores de reduzir os custos dos traders devido ao alto volume de negociação. A infraestrutura e os custos de manutenção por operação geralmente serão maiores para Bolsas menores, por conta justamente do baixo volume de operações. Devido à enorme variedade de futuros que essas Bolsas grandes oferecem, a possibilidade de diferenciação das Bolsas menores é mínima, o que acaba não atraindo muitos traders. No entanto, Bolsas mais novas, como a Small Exchange, entraram em um segmento que tem sido negligenciado pelos grandes nomes da indústria, indicando que ainda há espaço para inovação.

Considerações finais

Resumindo, o mercado futuro dos EUA percorreu um longo caminho, e hoje as Bolsas conseguem atender às diferentes necessidades dos investidores. Inicialmente usado como uma ferramenta de hedge, os futuros passaram a ser usados pelos especuladores para acumular ganhos. O desenvolvimento das Bolsas permitiu que os traders tivessem um papel mais ativo em um mercado altamente líquido. A facilidade de acesso também melhorou graças à transparência nos dados de preço fornecidos por esses mercados. Além disso, é fascinante observar como as Bolas são capazes de lançar novos produtos e contribuir com a diversidade de ativos. Essas Bolsas também passaram a permitir que os traders assumam posições em commodities de outros países.

Investidores institucionais continuam tendo um papel importante nos mercados para esses instrumentos. No entanto, a introdução dos minicontratos ajudou muito os investidores menores. As Bolsas de futuros dos EUA foram fundamentais para integrar os mercados, e a tendência é que os preços melhorem ainda mais à medida que o acesso a essas plataformas se torne cada vez mais global.