Earn2Trade Blog
como operar durante a instabilidade

Vale a pena operar durante conflitos globais e instabilidade?

Muitos traders se perguntam se devem operar em tempos de conflitos globais e instabilidade de mercado, e com razão. Quando a economia está instável, ou o risco geopolítico cresce, os mercados podem se tornar um ambiente imprevisível com muitas incógnitas. No entanto, nem tudo é desgraça e tristeza, e os traders mais experientes podem identificar oportunidades surgidas mesmo em mercados frágeis. Este guia oferece algumas dicas sobre como aproveitar ao máximo sua atividade no trading em tempos de conflitos globais e instabilidade.

Trader patrocinado earn2trade

O trading em tempos de conflitos globais e instabilidade

Ao olhar para a história do mercado, você verá uma tendência clara – os mercados se movem em ciclos. A cada década ou duas, temos algum tipo de evento de crise. Eles podem variar entre tensão geopolítica, conflitos locais, instabilidades globais, crises financeiras, etc. Na maioria das vezes, os efeitos desses eventos afetam toda a economia mundial. Eles afetam o comércio, desvalorizam moedas, causam interrupções na oferta, aumentam a inflação, entre outras coisas.

A magnitude desses eventos varia. Seu impacto geral pode durar de alguns dias a vários anos.

Os mercados geralmente são os primeiros a reagir. No entanto, na maioria das vezes, a reação imediata do mercado é o caos. As notícias estão voando de um lado para o outro, alguns exagerando os eventos, causando ainda mais estresse. Quando as coisas se acalmam, o que determina a situação do mercado é como os participantes do mercado interpretam a situação em curso e o possível impacto do evento em particular em seu portfólio ou em todo o mercado. A primeira coisa que a maioria dos traders fazem é proteger suas carteiras. Outros tentam encontrar e capitalizar oportunidades surgidas em um mercado em queda livre.

No entanto, apesar das diferentes opções, operar em tempos de conflitos mundiais e instabilidade é um processo complicado.  Muitos traders lutam para lidar com isso. O processo fica ainda mais desafiador para aqueles que operam em alavancagem.  Principalmente devido à crescente volatilidade, isso pode muitas vezes limpar o portfólio em questão de minutos.

Tipos de eventos desestabilizadores

Muitos traders acreditam erroneamente que os mercados financeiros são afetados apenas por eventos intrínsecos. Tais eventos podem incluir a inadimplência de um país ou de uma empresa, um anúncio de taxa de juros do FED ou BCE, entre outros. No entanto, a verdade é que os mercados financeiros podem ser afetados mesmo por eventos que não parecem tão relevantes no início.

O mesmo vale para a magnitude dos eventos.  Não é preciso uma guerra ou um colapso financeiro global para desestabilizar os mercados. Muitas vezes, mesmo eventos de pequena escala podem ter consequências significativas.

Os traders devem considerar a natureza e a magnitude do evento ao considerar como lidar com os mercados. Aqui estão algumas circunstâncias comuns de desestabilização do mercado e como eles afetaram os mercados financeiros no passado.  

Conflitos globais

Terrorismo, conflitos armados, sanções econômicas e políticas internacionais, embargos – esses e muitos outros fatores afetam direta ou indiretamente os mercados financeiros e o comportamento dos investidores.

Por exemplo, as guerras levaram à redução mais significativa dos mercados globais no passado. Quando a Alemanha atacou a Tchecoslováquia em 1939 e a França em 1940, o S&P 500 caiu 20,5% e 25,8%, respectivamente. No dia seguinte ao ataque de Pearl Harbor, o índice caiu 11%. Durante a crise do petróleo de 1973, o S&P 500 caiu mais de 17%.

Esses períodos são acompanhados por muita inadimplência de empresas, volatilidade crescente e uma sensação geral de insegurança tomando conta do mercado.

No entanto, nem tudo é desgraça e tristeza. Embora para os olhos destreinados, essas estatísticas rapidamente levarão à conclusão de que todos devem vender para proteger seu capital quando o mundo está em tumulto, nem sempre é assim.

Por exemplo, do início da 2ª Guerra Mundial até o fim, o Dow Jones subiu mais de 50%. Durante as duas guerras mundiais, o mercado de ações disparou 115%. As guerras também foram seguidas por alguns dos mais notáveis booms econômicos desde que nações inteiras tiveram que ser reconstruídas.

A instabilidade global pode parecer negativa a longo prazo para o portfolio de trading. No entanto, a história nos diz que o oposto pode muitas vezes acontecer. Com base no contexto, na estratégia de trading escolhida e os mercados de interesse, até mesmo eventos adversos podem abrir oportunidades.  

Períodos de alta inflação

A inflação funciona nas sombras e geralmente não afeta direta ou imediatamente o capital, ou pelo menos é o que muitos pensam. No entanto, é um dos eventos mais devastadores para a saúde financeira.

Aqui está um exemplo. Em junho de 2022, a inflação nos EUA atingiu 8,6%. Isso significa que um indivíduo com capital de US$10.000 perderá US$860 em poder de compra em um ano. Dimensione isso para alguém com uma carteira de US$100.000 e você começa a entender o problema. Para um trader, seu retorno também sofrerá significativamente. Ao mesmo tempo, os custos de trading não ficam mais baixos para compensar a alta inflação.

A inflação pode ser alimentada por muitos gatilhos, incluindo instabilidades de oferta/demanda, interrupções no mercado de trabalho, desaceleração econômica, desenvolvimentos da política monetária, etc. As taxas de inflação podem variar, mas quanto mais altas elas são e quanto mais duram, mais devastador é o seu efeito.

Por exemplo, a inflação mais significativa já medida foi na Hungria após a Segunda Guerra Mundial. O país experimentou hiperinflação com uma taxa mensal de 41,9 quatrilhões por cento (41.900.000.000.000.000%) em julho de 1946. Como resultado, os preços dobraram a cada 15,3 horas.

Para proteger seus portfolios contra períodos de inflação elevados, os traders geralmente escolhem ativos projetados para se proteger contra a perda do poder de compra.  São instrumentos com alta probabilidade de geração de renda adicional e aumento de valor diante do aumento dos preços. Muitos ativos historicamente tiveram um bom desempenho em períodos de alta inflação, principalmente commodities.

A inflação é frequentemente referida como um “assassino de portfolios”.  É por isso que operar durante períodos de alta inflação requer domínio e compreensão das classes de ativos que têm melhor desempenho quando o poder de compra está sofrendo – especialmente quando acontece em escala global e quando não há lugar para se esconder.

Eventos de cisne negro

Os eventos de cisne negro são impactantes e inesperados e pegar os traders desprevenidos.  Isso pode incluir problemas climáticos que afetam a produção agrícola, uma queda relâmpago que derruba o mercado por alguns minutos, uma pandemia global ou qualquer outro evento para o qual os traders não possam se preparar.

Por exemplo, em março de 2021, o navio Ever Given ficou preso no Canal de Suez e bloqueou a rota comercial mais movimentada e crítica do mundo. O bloqueio da hidrovia vital interrompeu as cadeias de suprimentos globais e a entrega de mercadorias da China e do sul da Ásia para a Europa. Também interrompeu a entrega de produtos brutos e refinados do Golfo Pérsico e da Índia para a Europa e da Europa para a Ásia, e petróleo bruto do Golfo Pérsico ao Golfo dos EUA. O navio Ever Given preso no Canal de Suez custou ao comércio global US$ 400 milhões por hora. O navio deixou o canal alguns meses depois, em julho do mesmo ano.

O impacto desse evento se espalhou por diferentes setores, causando interrupções ao redor do mercado. Algumas empresas precisaram de meses para colocar suas cadeias de suprimentos em dia.

Também podemos pegar como exemplo os ataques terroristas de 11 de setembro, que levaram a uma forte queda no mercado de ações e aniquilou mais de US$1,4 trilhão em valor dos mercados dos EUA. Na semana seguinte, o Dow Jones Industrial Average perdeu 14%, enquanto as perdas do S&P 500 e da NASDAQ foram de 11,6% e 16%, respectivamente.

Devido à crescente interconexão dos mercados globais, investidores e traders devem estar cientes da crescente importância dos eventos do cisne negro e suas potenciais implicações nos portfolios. A conclusão é que, mesmo que um fator específico não indique qualquer relevância para suas operações no início, suas posições podem ser impactadas também através de seus vínculos com outros setores e indústrias.

Dicas para operar em tempos de conflitos globais e instabilidade

Períodos de incerteza de mercado podem desencadear uma infinidade de emoções em um trader. Alguns podem ter medo de perder seu capital. Traders experientes são mais propensos a se sentir calmos e relaxados. Os traders ativos podem ficar animados com as oportunidades decorrentes do aumento da volatilidade. Há também o grupo de traders que sentem o FOMO (medo de estar perdendo algo, na sigla em inglês)  enquanto observam como os outros estão lucrando em um mercado em queda.

Não importa o grupo em que um trader esteja, uma coisa é clara – operar em tempos turbulentos é muito mais desafiador do que operar quando o sentimento geral do mercado é positivo.  Aqui estão algumas dicas para aproveitar ao máximo o trading durante a instabilidade do mercado e proteger seu capital.

Iniciantes devem considerar o hedge ou fechar a posição

Os traders iniciantes entram em pânico e fazem movimentos precipitados quando o mercado cai, uma vez que eles possuem menos experiência com situações semelhantes. Quando as coisas vão mal, é fundamental manter a calma e deixar que seus controles de risco (por exemplo, stop loss e estratégias de hedging) façam o trabalho.  Este é um princípio fundamental proposto pelos melhores da indústria.  

Sobre investir, Warren Buffet diz: “Regra nº 1: nunca perca dinheiro. Regra nº 2: Nunca se esqueça da regra nº 1.”

O trader de commodities Ed Seykota diz: “Os elementos do bom trading são: (1) evitar perdas, (2) evitar perdas e (3) evitar perdas.”

Durante as quedas do mercado, os traders geralmente podem adotar duas abordagens – passiva ou ativa.

A abordagem passiva é fechar suas posições e sair.  Parar a atividade de trading por um tempo pode ser benéfico em vários aspectos. Primeiro, protege o capital bloqueando os lucros. Em seguida, é um salva-vidas para os traders que não se sentem confortáveis quando o caos começa a se instalar nos mercados. Ter que interpretar os sinais a partir de indicadores técnicos, ao lado da pressão do mercado em espiral para baixo, muitas vezes pode demais para o trader. Deixar sua cabeça esfriar pode ser a melhor decisão nesses momentos. Em terceiro lugar, deixa espaço para planejar o próximo movimento ou possível alocação alternativa do portolio. Quando as coisas se acalmarem e você tiver um plano, você pode voltar a operar.

A abordagem ativa é proteger seu portfolio investindo em ativos mais adequados às novas realidades do mercado.  Tempos de conflitos mundiais e instabilidade de mercado geralmente exigem operações mais defensivas e um foco em estratégias de hedge. Estes geralmente incluem investimentos conservadores ou ativos com valor atemporal, comprovadamente mantidos bem em períodos de crise.

Opere apenas se tiver capital suficiente

Embora períodos turbulentos de mercado possam abrir muitas oportunidades, é melhor adotar uma abordagem mais passiva se você não estiver confiante em navegar na incerteza ou estiver operando com capital limitado.  Tenha em mente que este é geralmente um ambiente de alto risco. Há uma possibilidade de perder mais do que você pode potencialmente ganhar. Quando os mercados começam a cair, as perdas podem rapidamente sair do controle, especialmente para os traders que usam alavancagem ou sem mecanismos adequados de gerenciamento de riscos.

É por isso que é essencial seguir a regra de ouro do trading – operar apenas com o que você pode se dar ao luxo de perder.

Além disso, é essencial considerar o pior cenário de perder toda a sua carteira. Por exemplo, se você está operando com US$10.000 e o fato de perder tudo isso pode possivelmente deixá-lo fora do trading por um tempo, você tem uma grande sinal vermelho indicando reconsiderar o capital com que está operando. Se você não pode suportar perder o dinheiro que você tem em posições abertas, então você está investindo alto demais.

É essencial sempre operar com dinheiro que você pode se dar ao luxo de perder sem qualquer impacto em seu estilo de vida ou perspectivas de atividade de trading.  Além disso, evite operar com o dinheiro de outras pessoas, incluindo capital fornecido por sua família ou amigos, se você não tem certeza se sua estratégia pode lidar com as flutuações do mercado.    

Mantenha-se calmo e tranquilo

Naved Abdali, escritor na área de psicologia, investimento de risco e ciclos de alta e de baixa, escreve: “A ganância e o medo são bons e saudáveis para um investidor e o mercado de capitais como um todo. As emoções são como fogo, benéfico se controlado, destrutivo se estiver fora do controle.”

Na maioria das vezes, os traders passam pelo segundo cenário. Ver o mercado despencar na sua frente é o pior pesadelo dos traders. Isso pode causar ansiedade e pânico e fazer você deixar suas emoções tomarem conta. Os melhores da indústria aperfeiçoaram a arte de manter a calma quando tudo ao redor está em chamas. No entanto, isso continua sendo um desafio para o resto de nós.

As quedas do mercado fazem parte do processo e, o mais importante – é comum. É por isso que a primeira coisa que você deve fazer quando os mercados vão para uma direção desfavorável é reconhecer que isso é temporário. Basta olhar para o gráfico do S&P 500 ou qualquer outro grande índice desde o seu início. A tendência é firmemente positiva, e as quedas ou instabilidades do mercado são apenas pequenos obstáculos em uma maratona de trading de longa duração.  

Para aumentar sua paz de espírito, há três coisas principais a serem trabalhadas:

  1. Melhore seu controle de gerenciamento de risco – tenha um stop-loss, uma estratégia de hedge e um Plano B;
  2. Opere com capital que você pode se dar ao luxo de perder – um ponto que já abordamos mas que não custa mencionar novamente;
  3. Fique de olho no quadro geral – confie em sua experiência e conhecimento de mecânica de mercado e não persiga oportunidades de curta duração.  

Conclusões finais sobre operar durante a instabilidade do mercado

Operar ou não em tempos de conflitos globais e instabilidade depende de sua estratégia, objetivos e experiência.  De qualquer forma, os traders devem estar familiarizados com o impacto potencial dos eventos desestabilizadores do mercado. Dessa forma, eles podem estar prontos para proteger e crescer seus portfólios mesmo em um ambiente altamente instável. Felizmente ou não, o trader de hoje tem que ser mais informado, habilidoso e preparado, já que o universo de risco nunca foi tão expansivo como é hoje em dia. Confira nosso artigo sobre o assunto se você quiser saber sobre as maneiras que eventos significativos podem afetar os mercados financeiros.

Trader patrocinado earn2trade