Earn2Trade Blog
Forwards Contracts

Contratos Futuros e a Termo – Quais são as diferenças?

Derivativos são instrumentos financeiros úteis que podem servir a diversos propósitos, e os contratos futuros e a termo são as versões mais importantes desses produtos. Os investidores os usam para proteger ou multiplicar seus ganhos. Embora possam ser difíceis de entender no início, são ferramentas incrivelmente poderosas. Neste artigo, tentamos resumir o básico dos dois conceitos e, além disso, analisamos as diferenças entre os dois.

Após a introdução, veremos o que de fato são contratos futuros e a termo, além das características únicas de cada um deles.

Trader patrocinado earn2trade

Entendendo os contratos futuros e a termo

Contratos futuros e contratos a termo possuem muitas características semelhantes. Esses derivativos exigem que uma contraparte compre ou venda um ativo em uma data futura. Além disso, o preço é determinado no momento da aquisição do contrato. Esses derivativos possuem diversas aplicações.

Por exemplo, se um agricultor pretende vender sua safra em três meses, mas acredita que os preços terão caído até lá, ele pode vender futuros de sua safra para fixar o preço de venda. Se o preço ficar abaixo do valor acordado, o agricultor não sai perdendo, pois seu preço foi fixado. Esta é uma técnica muito popular que os investidores chamam de hedge. 

Da mesma forma, um investidor pode comprar futuros de uma ação em vez do ativo subjacente real. Por meio dessa método, ele pode ganhar exposição a um número maior de ações, pois o custo de comprar um futuro com base em uma única unidade de ação é menor do que o custo de comprar uma unidade dessa mesma ação. 

Investir em contratos futuros ou a termo pode ser arriscado, portanto os indivíduos precisam entender as implicações antes de mergulhar no mercado de derivativos – principalmente os efeitos da alavancagem. Você pode usar esses contratos em diferentes classes de ativos, como ações, renda fixa, commodities e Forex.

Você também pode gostar:

Contratos futuros

Contratos futuros são contratos padronizados nos quais o investidor concorda em comprar ou vender a um determinado preço em uma data futura. Por contrato padronizado, queremos dizer que o preço e a data são fixos e não podem ser personalizados com base nas necessidades de um dado investidor. O número de unidades dentro de um contrato também é um número definido. 

O trading de futuros também ocorre em uma bolsa de valores. Os investidores precisam depositar uma margem, e a conta possui uma liquidação diária. Durante o processo de liquidação, se a perda sofrida por alta e a margem ficar abaixo de uma certa porcentagem do valor total, o investidor precisa restituir os fundos da conta. Isso é o que chamamos de chamada de margem. 

A maioria dos investidores considera os contratos futuros mais seguros, pois podem usar a margem depositada para liquidar quaisquer perdas que possam sofrer. No entanto, falta flexibilidade, pois cada aspecto do contrato é definido. Um investidor não pode escolher um ativo subjacente, um preço ou uma data de vencimento qualquer para um contrato futuro. No entanto, graças à padronização, você pode liquidar um contrato futuro em uma data anterior por meio de uma posição contrária.

Suponha que você comprou um contrato futuro para adquirir um ativo com 30 dias restantes para o vencimento. Como alternativa, você pode comprar outro contrato futuro para vender o ativo em 30 dias. Se os preços de ambos os contratos forem iguais, não haverá impacto na posição geral e você terá efetivamente fechado sua posição.

Exemplo de contrato futuro

Suponha que você queira comprar petróleo bruto daqui um ano. Você acredita que o preço aumentará significativamente a partir do seu nível atual de US$40. Admitindo que o preço futuro esteja cotado a US$40 na Chicago Mercantile Exchange. Cada contrato tem 1.000 barris como commodity subjacente e o valor nocional total é de US$40.000. Digamos que você tenha que depositar uma margem de 30% do valor nocional, o que equivale a US$12.000.

Aqui está como calculamos o lucro ou prejuízo para o comprador de um contrato futuro:

Lucro = (Preço à vista – Preço futuro) * número de contratos

Se o preço caísse para US$39 na próxima sessão de operação, então você calcularia o lucro ou prejuízo da seguinte forma:

Lucro = (US$39 – US$40) * 1.000 = – US$1.000

Portanto, o valor na conta de margem dos investidores sofre uma queda de US$1.000, indo para US$11.000. Os investidores precisam manter um valor mínimo como margem de manutenção; se esse nível for rompido, será preciso adicionar fundos à conta novamente. Vamos supor que a margem de manutenção seja de US$9.000 e o preço do petróleo caia para US$35.

Lucro = (US$35 – US$40) * 1.000 = – US$5.000

Agora, o valor na conta é reduzido para US$7.000 (US$12.000 – US$5.000), portanto será preciso adicionar mais capital.

Contratos a termo

Um contrato a termo é uma versão não padronizada de um contrato futuro. Isso significa que as contrapartes de um contrato a termo podem decidir quanto ao ativo subjacente, ao preço e ao vencimento do derivativo. Em um contrato a termo, não há uma bolsa para atuar como intermediário entre essas contrapartes. Também não há necessidade de formular contratos com um tamanho de lote definido.

Outra característica de um contrato a termo é que o processo de avaliação diária do mercado – chamado de “Mark-to-market”, ou simplesmente MTM – não precisa ocorrer diariamente; ou seja, não há uma liquidação diária da conta, como ocorre em um contrato futuro. Não há um requisito de margem, e as chances de uma contraparte não efetuar o pagamento devido na data de liquidação são maiores.

Exemplo de contrato a termo

A liquidação de um contrato a termo ocorre na data de vencimento, mas a fórmula de cálculo do rendimento líquido é a mesma. Suponha que o Tom espere que o preço das ações da Apple suba, enquanto o Harris acredita que o preço cairá. Ambos podem formular um contrato a termo com o preço de exercício de US$385. Ambas as contrapartes podem decidir quanto à quantidade de ações que o contrato consideraria. Se, no vencimento, o preço da ação tiver subido para US$400, o retorno para a posição comprada – para Tom, nesse caso – seria:

Rendimento para Tom = (US$400 – US$385) = US$15 por ação

Harris, que está vendido no contrato a termo, estaria perdendo US$15 e teria que pagar a Tom essa quantia na data acordada.

Diferenças entre contratos futuros e a termo

Você já deve ter entendido bem as diferenças entre contratos futuros e a termo até agora, mas reunimos as principais diferenças na tabela abaixo:

Contratos futurosContratos a termo
São contratos padronizados, e nem o tamanho do lote nem a data de vencimento podem ser ajustados para atender aos requisitos de quem está comprando ou vendendoEsses contratos podem ser personalizados quanto ao ativo subjacente, à data de vencimento e ao tamanho
Futuros são instrumentos derivativos negociados na bolsaContratos a termo são instrumentos do mercado de balcão (OTC)
Esses contratos são liquidados diariamente devido à avaliação diária do mercado (Mark-to-market). A chamada de margem, se houver, deve ser cumpridaNão há uma avaliação diária associada aos contratos a termo
Esses contratos podem ser encerrados facilmente antes da data de vencimento por meio da abertura de uma posição contrária em mercados muito líquidosA liquidação de um contrato a termo pode ser difícil, pois os termos são exclusivos das contrapartes envolvidas. Encontrar uma contraparte diferente disposta a assumir uma posição contrária não é tão fácil
Por se tratar de produtos operados na bolsa, o mercado é regulamentadoAs contrapartes estão diretamente envolvidas e, por isso, o contrato não é regulamentado
A probabilidade de inadimplência de uma contraparte não existe em contratos futuros, portanto o risco é menorO risco de crédito é maior, pois as contrapartes estão diretamente envolvidas, sem qualquer intermediário
São menos onerosos, pois as taxas a serem pagas às bolsas são mínimasCustos adicionais relacionados à diligência prévia e à formulação dos contratos devem ser arcados

Vantagens dos contratos futuros em relação aos contratos a termo

Contratos futuros envolvem menos risco, e você pode encerrá-los facilmente por meio da abertura de uma posição contrária no mesmo mercado. Por ser um instrumento regulamentado, ele fornece uma certa garantia em termos de volatilidade no preço de um ativo subjacente. Não há qualquer análise adicional a ser realizada. Já no caso dos contratos a termo, a qualidade de crédito da contraparte precisa ser estabelecida. Isso faz com que os contratos futuros sejam menos onerosos quando comparados aos contratos a termo. Todo o processo envolvendo contratos futuros também é simples, permitindo que você faça tudo com relativa facilidade e sem muita demora.

Vantagens dos contratos a termo em relação aos contratos futuros

Os contratos a termo, ao contrário dos futuros, podem ser personalizados – esta é uma das principais razões pelas quais muitos preferem esse derivativo. Além disso, não é preciso depositar uma margem inicial, e eles não possuem qualquer restrição regulatória. Os contratos a termo também são relativamente simples em termos de rastreamento, pois não há o processo de avaliação diária do mercado. A liquidação ocorre apenas na data de vencimento, portanto você não precisa se preocupar com os requisitos de margem inicial e de manutenção.

Quem opera contratos futuros e a termo?

Podemos classificá-los em duas categorias, de acordo com o propósito principal das suas operações:

  1. Hedgers: essa classe de compradores deseja reduzir o risco de oscilação no preço de um ativo subjacente. Se uma empresa depende de petróleo bruto e acredita que o preço deve aumentar drasticamente, ela pode operar comprada em um contrato futuro ou a termo. Os ganhos de contratos futuros ou a termo anulam qualquer aumento no preço do petróleo bruto. No entanto, se houver uma queda no preço, a empresa deverá pagar a diferença de valor. Portanto, não há ganhos quando o preço cai e não há perdas quando o preço sobe. 
  2. Especuladores: eles visam ampliar seu rendimento ao comprar um contrato em vez de comprar o ativo subjacente. Isso ocorre porque o investidor não precisa pagar o valor total do valor nocional, mas pode obter exposição a ativos de maior volume. Embora seja possível ampliar o lucro potencial, é importante observar que as perdas podem ser enormes caso os preços não favoreçam o investidor.

Qual deles você pode usar no day trade e por quê?

Em geral, os contratos a termo são mais especializados por natureza, e ainda pode haver custos jurídicos, logo esses contratos são adequados para grandes empresas. Para um trader individual, é preferível operar futuros, pois seus requisitos são mais simples. Qualquer indivíduo que tenha acesso a uma conta de trading com fundos suficientes pode começar imediatamente. Dito isso, por conta do alto risco que as transações de derivativos apresentam, aconselhamos que você aprenda o básico antes de começar a operar uma conta real.

Perguntas Frequentes

Os rendimentos de contratos futuros são maiores do que os de contratos a termo?

Os rendimentos dependem do número de unidades em cada contrato, além do desvio do preço em relação ao preço inicial do contrato. Desconsiderando quaisquer custos adicionais, os rendimentos podem ser os mesmos ao operar contratos futuros ou a termo.

Como os contratos futuros e a termo afetam a inflação?

A demanda por contratos futuros e a termo pode fazer com que os preços desses instrumentos subam. Isso, por sua vez, pode levar à inflação do preço da commodity em si.