pt
en
es

Blog

Guias de trading, webinários e histórias

EUA 2020

Estados Unidos Em 2020
F T L
3 minutos de leitura

O ano de 2019 viu uma grande lista de recordes para a economia dos EUA e parece que essa tendência poderia continuar em 2020. Dito isto, existem alguns fatores-chave que podem alterar essa tendência de diferentes maneiras. Neste artigo, veremos três áreas de alto impacto que valem a pena de serem observadas ao longo do ano.

Eleições Presidenciais

Lutar pela posição de pessoa mais influente do mundo não é uma tarefa fácil e o Presidente Trump se mostra como um oponente especialmente difícil. O campo dos Democratas tem lutado para produzir um candidato com carisma o suficiente para rivalizar com a figura política que o atual presidente representa. Isso também se torna óbvio para os candidatos democratas, que fizeram do Presidente o seu palco central de atenções, lutando em oposição ao mesmo em vez de apostar em suas próprias políticas. Parte desse esforço é o processo contínuo de impeachment, que, devido ao forte apoio de sua base e à sua relativa impopularidade entre os independentes, não parece ser algo que será o suficiente para retirá-lo do cargo. Embora o comportamento do presidente e o estilo de comunicação impetuoso não sejam convencionais de muitas maneiras, suas políticas reais, na maioria das vezes, coincidem com a plataforma mais ampla de seu partido. Embora não seja correto creditar sua desregulamentação da indústria e cortes de impostos por todo o crescimento econômico, seus efeitos positivos ainda são inegáveis. Por outro lado, o presidente Trump também atraiu muitas críticas por sua forte busca pelos interesses dos EUA no cenário mundial. No entanto, seus métodos para alcançá-los dificilmente podem ser considerados radicais e se encaixam quase no mesmo conjunto de ferramentas que as administrações anteriores usaram no passado, embora possivelmente com mais sutileza. Ainda não se sabe se essa falta de tato causará danos duradouros à reputação ou credibilidade do país entre outras nações, no entanto, sua abordagem parece estar pagando dividendos tangíveis, ao menos no curto prazo. No fim, no que a eleição provavelmente se resumirá é se as pessoas irão julgá-lo apenas por realizações políticas ou se será mais uma questão do seu caráter e suas falhas.

Comércio China-EUA

As relações comerciais entre os dois países tornaram-se cada vez mais tensas ao longo do último um ano e meio, mas se ela pode ser totalmente restaurada no mesmo período de tempo continua sendo uma questão em aberto. Nos últimos 7-8 meses, ouvimos incontáveis notícias sobre a existência de um acordo à vista, mas até agora nada tangível se materializou. Agora existem notícias de negociações em primeira e segunda fase, com um acordo final a ser assinado após as eleições. Quase parece o Brexit na Europa: uma relação unida que é difícil e dolorosa de se desembaraçar. Embora tenha sido preciso muita coragem para o Presidente tentar enfrentá-los, ele pode ter subestimado a perseverança deles. Ao mesmo tempo, em 2019 também tornou óbvio que o conflito comercial era mais difícil para a China do que para os EUA, mas isso ainda não é um indicador de vitória. Os acordos atuais parecem ser principalmente como um “show”, a fim de aliviar as tensões. O principal objetivo é manter o crescimento econômico, especialmente para Trump que está em um ano eleitoral. Evitar conflitos comerciais abertos é um de seus interesses, pois permite que ele faça campanha com uma mensagem positiva. O simples fato de ter qualquer acordo permite que ele aponte para ele, caso o assunto seja discutido. O conteúdo de um acordo internacional é difícil de entender para as pessoas comuns; portanto, para a maioria das pessoas, o fato de que o acordo existe já é bastante tranquilizador. Na realidade, podemos observar os primeiros sinais de um desacordo prolongado, possivelmente de uma década. Estamos vendo um confronto em que a principal arma é a moeda e a capacidade de manipulá-la vale mais do que qualquer sistema de defesa antimísseis. Os mercados ao menos parecem já ter se adaptado a essas circunstâncias.

Hegemonia do Dólar

ste parágrafo também pode ser intitulado de “Os Desafios da Criptomoeda”. Houve muito tumulto sobre o assunto após o anúncio da Lybra em 2019. A existência e expansão de moedas eletrônicas adicionais podem lançar uma sombra sobre o monopólio do dólar no mundo. A ameaça da moeda do Facebook foi significativa o suficiente para o setor financeiro dos EUA acelerar uma proibição efetiva, expondo sua própria fraqueza no processo. O Banco Asiático de Desenvolvimento e o Banco Central da Rússia estão igualmente interessados no desenvolvimento de um tipo de moeda de compensação virtual que seja potencialmente independente de qualquer influência do governo. A tecnologia já existe e os EUA não têm interesse em criar uma própria, pois isso pode prejudicar o dólar. Isso abre uma perigosa oportunidade para as forças concorrentes. O principal risco para os EUA é que, se o dólar deixar de ser a moeda de compensação e reserva do mundo, a demanda em declínio fará com que seu preço caia, tornando a dívida nacional impossível de se pagar. Apenas para referência, essa dívida atualmente representa 105% do PIB do país. Este não é um problema que qualquer político ou banqueiro possa se dar ao luxo de não levar a sério. Dizem ao redor do mundo que existe uma demanda crescente por uma moeda criptográfica global unificada, apoiada por bancos centrais. O ano de 2020, ou possivelmente a década inteira, provavelmente trará novos desenvolvimentos importantes em relação a moeda de reserva. Nessas circunstâncias, fica cada vez mais caro manter a supremacia do dólar. Isso poderia até mesmo ficar completamente fora de controle se houvesse um evento que restringisse a quantidade de capital em circulação, como outra crise financeira por exemplo. O principal aspecto a se observar são os retornos fixos, títulos do tesouro de longo prazo destinados exclusivamente à população dos EUA. Assim que tudo isso estiver próximo de acontecer, pode ser algo sensato considerar diversificar o dólar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Especuladores – O que são e qual é a sua função no trading?

O que é hedge em finanças? Aprenda a proteger seus investimentos

Prop Trading – O que é e como funciona uma mesa proprietária?