Earn2Trade Blog
The Golden Cross and The Death Cross

Golden Cross vs. Death Cross – Como usar esses indicadores no trading

Para muitos traders, os termos Golden Cross e Death Cross indicam ganhos altíssimos ou perdas extremas – felizmente, nem sempre é o caso. Esses dois sinais de trading podem ser muito lucrativos se você souber operá-los corretamente. Os traders costumam usar esses indicadores em conjunto com outros indicadores de curto prazo para identificar mudanças de tendência. As opiniões quanto à Golden Cross e à Death Cross são diversas, e o assunto tem gerado discussões acaloradas ao longo dos anos.

Certo, mas como os traders podem usar esses dois sinais a seu favor?

Trader patrocinado earn2trade

O que é uma Golden Cross?

Para muitos traders, a Golden Cross é o Santo Graal dos indicadores técnicos de alta. Para nivelar a volatilidade de curto prazo, os traders costumam usar médias móveis de 50 e de 200 dias. Quando uma média móvel de 50 dias fica acima de uma de 200 dias, eles veem isso como uma confirmação de uma nova tendência de alta, principalmente por conta da defasagem nas duas médias móveis. Em teoria, isso indica um momentum de curto prazo e uma possível mudança na direção da tendência.

Você também pode gostar:

O que a Golden Cross nos diz?

Ao encontrar uma Golden Cross, podemos dizer que nunca haverá dois gráficos completamente idênticos. No entanto, uma Golden Cross possui três fases diferentes:

Compradores tomam o controle de uma tendência de baixa

Por definição, devido à fraqueza de curto prazo na média móvel de 50 dias, uma Golden Cross ocorrerá após uma tendência de baixa. A força resultante na média móvel de 50 dias surge quando os vendedores de curto prazo perdem força e os compradores começam a tomar o controle. O gráfico ficará nivelado e, em seguida, os compradores tomarão o controle de vez, com o preço começando a subir.

O momentum faz com que a média de 50 dias fique acima da média de 200 dias

Este é o ponto de virada. Se o momentum de alta continuar, a média móvel de 50 dias acabará cruzando a média móvel de 200 dias. É nesse momento que os olhos dos traders brilham! Temos uma nova tendência ou um sinal falso?

Consolidação e retomada da tendência de alta

Quando a média móvel de 50 dias sobe bruscamente e cruza a média móvel de 200 dias, isso indica um forte momentum. Às vezes isso pode levar a um cenário de sobrecompra de curto prazo. Gráficos técnicos geralmente refletem esses casos em períodos de consolidação, trading lateral ou retração parcial. Este é o momento crucial. Se a tendência de preço do ativo estiver mudando, os compradores tendem a recuperar o controle, movendo o preço do ativo para uma área mais alta do gráfico.

Muitos traders cometem o erro de comprar muito cedo. O grande erro aqui envolve comprar antes que a tendência de alta seja confirmada e o período de consolidação termine. Se investir muito cedo, você corre o risco de enfrentar um recuo em direção à média móvel de 200 dias, o que pode levar a uma retração abaixo linha de tendência. Há um jeito fácil de saber o grau de risco que os traders estão dispostos a assumir: eles podem esperar ou não por uma confirmação da tendência após o que acreditam ser um período de consolidação.

Exemplo de Golden Cross

A seguir, veremos uma Golden Cross na prática e como a tendência pode avançar. Para isso, usaremos o contrato futuro E-mini S&P 500 como exemplo. Vejamos o gráfico abaixo.

A linha verde (MM de 50 dias) ficou acima da linha azul (MM de 200 dias) em julho. Nesse momento, o índice entrou em um período de consolidação. Em seguida, ele caiu e ficou brevemente abaixo das médias móveis de 50 e 200 dias. No entanto, embora a média móvel de 50 dias permaneça acima da média móvel de 200 dias, consideramos que a tendência permaneceu intacta.

Como você pode ver na área sombreada, o índice se recuperou com relativa rapidez depois de ficar abaixo da média móvel de 200 dias. Foi apenas entre o final de outubro e início de novembro que a Golden Cross foi confirmada. Embora os investidores que tiverem operado comprados no E-mini S&P 500 durante o período de consolidação tenham lucrado, essa decisão foi, de certa forma, uma aposta.

Exemplo de Golden Cross
Fonte: Finamark

A confirmação da mudança de tendência no final da área sombreada resultou em uma alta expressiva do índice. Mesmo que esse período de consolidação e trading lateral seja mais longo que o normal, ele destaca as diversas fases de uma mudança de tendência.

O que é uma Death Cross?

Em termos simples, uma Death Cross é o exato oposto de uma Golden Cross. Esse padrão indica o enfraquecimento de uma tendência positiva e o surgimento de uma tendência de baixa. Muitas vezes, devido ao crescente momentum de baixa no curto prazo, isso pode levar a um cenário de sobrevenda. Não é incomum que o nível do índice se recupere no mesmo dia da Death Cross ou próximo dele. O processo da Death Cross funciona como um elástico muito esticado que é solto: a recuperação é rápida e brusca. No entanto, alguns traders inexperientes podem desconsiderar os sinais de uma possível mudança de tendência.

Exemplo de Death Cross

O gráfico a seguir ilustra perfeitamente as diversas fases de uma nova tendência de queda. Em particular, você deve ficar de olho na área destacada. Como podemos notar, o índice ficou preso em uma faixa de trading por algum tempo até que os vendedores assumissem o controle, o que levou a uma queda no nível do índice. Curiosamente, o período de cruzamento veio logo após um forte movimento de venda. Em seguida, houve alguns dias de consolidação, outra forte venda e mais um período de consolidação. 

Traders experientes teriam esperado até a confirmação da nova tendência de baixa no final da área sombreada. Eles perderiam algumas das quedas anteriores, mas teriam certeza quanto à direção da tendência. Consequentemente, isso levou a uma queda de mais de 300 pontos no E-mini S&P 500, com o mercado atingindo seu limite mínimo por volta de 2.340. Embora a recuperação tenha sido relativamente rápida, ainda havia uma boa oportunidade de lucro com uma posição vendida no E-mini S&P 500.

Exemplo de Death Cross
Fonte: Finamark

Como operar a Golden Cross e a Death Cross

São poucos os traders técnicos que se baseiam em apenas um indicador para operar. A Golden Cross e a Death Cross exibidas acima são um excelente exemplo de por que é perigoso considerar apenas um indicador. A rápida recuperação teria pego muitos traders de surpresa. Dito isso, esses dois indicadores específicos têm sido impressionantemente precisos quando se trata de destacar as mudanças de tendência no E-mini S&P 500. O gráfico a seguir, que conta com médias móveis de 50 e 200 dias, reflete isso perfeitamente:

Como operar a Golden Cross e a Death Cross
Fonte: Finamark

Para oferecer um pouco mais de equilíbrio ao argumento, o período coberto por esse gráfico exibe um cenário extremamente otimista para o índice S&P 500. O sentimento, como sempre, parecia estar mais voltado para o otimismo do que para a cautela.

Estratégias de trading com a Golden Cross

Como mencionamos anteriormente, traders técnicos experientes não se baseiam em apenas um indicador ao analisar seu próximo investimento. Sabemos que a Golden Cross é um poderoso sinal de compra após confirmarmos a tendência. No entanto, como tudo isso se encaixa em uma estratégia de trading?

Quando se comprometer com um investimento

É raro que uma Golden Cross ou Death Cross não seja seguida por períodos de recuo e consolidação de curto prazo. O gráfico acima é um bom exemplo disso. Os traders sempre buscarão a confirmação de que a tendência realmente mudou, sem correr o risco de retornar ao intervalo anterior. Mas em que ponto você pode se comprometer com seu investimento?

Usando indicadores técnicos adicionais

Após entender o potencial da Golden Cross e da Death Cross, vale a pena avaliar outros indicadores técnicos. Como esses eventos técnicos cruzados se baseiam em médias móveis, você pode usar indicadores relativamente tardios para identificar uma mudança de tendência. Portanto, pode ser útil considerar outros indicadores técnicos. Os exemplos incluem o Oscilador Estocástico, as Bandas de Bollinger, a Média Móvel Convergente e Divergente (MACD) e o Índice de Força Relativa (RSI), apenas para citar alguns. 

Não se esqueça do stop loss

Embora os indicadores técnicos sejam úteis para quem deseja operar futuros de curto, médio e longo prazo, ainda é importante usar definir um stop loss. Quem pretende investir em uma “nova tendência” antes de obter sua confirmação está assumindo um risco calculado. Se a tendência for confirmada, o trader terá maior potencial de lucro por ter assumido um risco maior em um nível mais baixo. Por outro lado, se a tendência se enfraquecer e o índice voltar ao intervalo de trading anterior, um stop loss seria capaz de limitar as perdas.

Os traders que aplicam a Golden Cross e a Death Cross em suas estratégias de investimento tendem a ser mais flexíveis, estando prontos para reagir a mudanças. Quanto mais indicadores técnicos derem suporte a uma mudança de tendência, mais você deve acompanhar a nova tendência. No entanto, quando a tendência for confirmada, você não deve simplesmente comprar o contrato futuro e ignorar o gráfico.

Estratégias de trading com a Death Cross

Uma estratégia de trading baseada em uma Death Cross pode ser útil para proteger seus ganhos ou abrir uma posição vendia – ou ambos. Na verdade, todas as opções aplicáveis a uma estratégia de trading com uma Golden Cross também são aplicáveis a uma Death Cross. A única diferença é que a tendência está se movendo na direção oposta. No entanto, alguns especialistas fazem uma observação interessante quanto à Death Cross. 

Em geral, a maioria dos investidores tende a ter uma visão mais otimista no longo prazo. Consequentemente, quando surge uma forte tendência de baixa, muitos investidores ficam de olho nas posições em sobrevenda para comprar a preços mais baixos. Como resultado, é comum ocorrer uma recuperação breve e acentuada das posições em sobrevenda. Em geral, esse movimento é mais forte do que o recuo de uma posição em sobrecompra. 

Embora esta seja uma questão controversa para muitos investidores, os mais céticos também destacam que os sinais de trading da Death Cross podem não ser tão fortes quanto seus equivalentes da Golden Cross. Como investidor, você tende a olhar para o lado positivo no médio e longo prazo? Ou você é realista e aprecia igualmente as tendências de alta e de baixa?

Golden Cross vs. Death Cross

O conceito por trás de da Golden Cross e da Death Cross é quase idêntico. A principal diferença é que uma representa uma tendência de alta, enquanto a outra representa uma tendência de baixa. Em teoria, não há razão para que um desses respeitados indicadores seja mais forte do que o outro. No entanto, como mencionamos acima, os investidores tendem a ser mais otimistas do que pessimistas, principalmente no médio e longo prazo – mesmo quando há cenários difíceis no curto prazo. A pandemia do coronavírus é um excelente exemplo disso: os investidores sempre procuram ser positivos, mesmo que tenham poucos motivos para abandonarem o ceticismo e o sentimento negativo.

Ao operar com base em indicadores técnicos, é importante manter a disciplina. A história mostra que os investidores realizam seus lucros mais depressa do que limitam suas perdas. A ideia de obter lucro traz uma sensação de conquista. Enquanto isso, limitar suas perdas e admitir que estava errado pode ser algo difícil para muitos investidores. 

Toda a ideia de operar a partir de uma análise técnica se baseia em fazer interpretações e avaliar as probabilidades. Sempre haverá um certo grau de flexibilidade em relação ao seu modo de avaliar novas tendências. No entanto, a disciplina necessária é algo que vem com o tempo e a experiência. Se uma estratégia de trading que usa análise técnica funciona na teoria, então ela deve funcionar na prática. No entanto, lidar com dinheiro real em tempo real causa uma série de pressões e sentimentos diferentes!

Críticas à Golden Cross e à Death Cross

Como Ari Wald, chefe de Análise Técnica da Oppenheimer & Co., disse certa vez:

“Todas as grandes altas começam com uma Golden Cross, mas nem todas as Golden Crosses levam a uma grande alta.”

Essa frase curta diz tudo quanto aos riscos da Golden Cross e, por extensão, da Death Cross. Quem entra muito cedo, antes que a nova tendência seja confirmada, corre um risco maior, embora o potencial de retorno seja maior. Como acontece com qualquer tipo de análise técnica, sempre haverá sinais falsos e desafios ao longo do processo. Embora muitos investidores prefiram buscar sinais técnicos “complexos”, é importante não ignorar o bom e velho stop loss. 

Se optar por agir cedo, antes que a tendência seja confirmada, você deve pelo menos limitar suas perdas com o uso de um stop loss. Se você posicionar seu stop loss perto demais das linhas de tendência do índice, isso pode levá-lo a sair muito cedo da operação. É preciso encontrar um equilíbrio entre sofrer uma perda aceitável e não ser afetado pela volatilidade de curto prazo da nova tendência.

Limitando as perdas com sinais falsos

Como mencionamos acima, é importante definir um stop loss para limitar suas perdas no caso de haver sinais falsos. Foi muito difícil encontrar exemplos de sinais falsos em uma Golden Cross para o E-mini S&P 500; por essa razão, reduzimos o número de períodos das médias móveis de 50 e 200 dias para 20 e 50 dias. Isso aumenta o grau de volatilidade, o que nos gera alguns exemplos Golden Crosses falsas.

Na área sombreada abaixo, você pode ver que a média móvel de 20 dias (azul) cruza a média móvel de 50 dias (vermelha) no início de junho de 2016. Houve um período relativamente curto de consolidação e, em seguida, uma nova alta à medida que os compradores assumiram o controle. Neste exemplo, a nova tendência teve vida curta e foi interrompida por um movimento de baixa breve e acentuado. O índice – mas não a linha de tendência de curto prazo – rompeu as médias móveis de 20 e 50 dias.

Posteriormente, vimos que foi uma desaceleração de curto prazo, com uma rápida reversão. A média móvel de 20 dias não foi capaz de se distanciar da média móvel de 50 dias. Também podemos ver como as duas linhas convergiram no início de julho. Nessa ocasião, a tendência de alta foi finalmente confirmada, mas não antes de um período de apreensão e incertezas. É importante observar que, quando a tendência de alta foi finalmente confirmada, houve uma correlação de alta mais forte entre as duas médias móveis. 

Enquanto a média móvel de curto prazo ameaçou retornar para a média móvel de longo prazo, a média móvel de 50 dias permaneceu relativamente estável durante o período mais incerto do índice. Somente quando as duas linhas de tendência começaram a se mover na mesma direção é que a alta do índice começou a realmente ganhar momentum.

Golden Cross falsa (médias móveis de 20 e 50 dias)

Golden Cross falsa
Fonte: Finamark

A Death Cross tradicional também é bastante confiável ao usarmos médias móveis de longo prazo, portanto foi preciso adicionar um grau de volatilidade para obtermos uma Death Cross falsa. Usando médias móveis de 50 e 100 dias, você pode ver que a média móvel de 50 dias caiu e ficou brevemente abaixo da linha de tendência de 100 dias em novembro. No entanto, houve uma recuperação bastante rápida do índice, o que sugere a continuação da tendência de alta de longo prazo.

Este gráfico também mostra um aspecto específico do trading técnico que pode reduzir a eficácia da Death Cross. Um pouco antes do sinal falso, observe que houve um período de consolidação e trading lateral. Consequentemente, uma oscilação mais acentuada no índice teria mais chances de criar um sinal falso. Na verdade, traders técnicos experientes dificilmente se comprometeriam com uma nova posição até que a Death Cross fosse confirmada. A queda foi relativamente curta, como você pode ver na área sombreada. Além disso, este não era nem de longe um sinal tão claro quanto a maioria dos investidores gostaria.

Death Cross falsa (médias móveis de 50 e 100 dias)

Death Cross falsa
Fonte: Finamark

Curiosamente, fomos forçados aumentar o grau de volatilidade para encontrar falsas Golden Crosses e Death Crosses para o gráfico do E-mini S&P 500. Esse gráfico ilustra perfeitamente o momentum adicional por trás de uma mudança de tendência, mostrando como as duas médias móveis se movem em conjunto.

Considerações finais

Há uma série de fatores a serem considerados quando se trata dos indicadores técnicos Golden Cross e Death Cross.

  • Muitos investidores tendem a ser otimistas no médio e longo prazo, o que pode aumentar o interesse pela Golden Cross;
  • É importante encontrar um equilíbrio entre esperar que uma mudança de tendência seja confirmada e perder o movimento inicial de uma nova tendência;
  • Como esses indicadores técnicos se baseiam em médias móveis, haverá sempre uma certa defasagem entre os movimentos diários do índice e o surgimento de indicadores fortes;
  • Embora sejam indicadores muito poderosos, a Golden Cross e a Death Cross devem ser considerados em conjunto com outros indicadores técnicos confiáveis;
  • Investidores de sucesso sempre incorporam uma estratégia de stop loss às suas decisões de investimento. Reduzir as perdas enquanto maximiza os ganhos é a chave para ter sucesso no trading no longo prazo.

Golden Crosses e Death Crosses não ocorrem com tanta frequência como muitos outros indicadores técnicos. Mesmo assim, esses indicadores são bastante atraentes quando surgem. Muitos consideram que a Golden Cross é mais lucrativa, já que os investidores tendem a seguir tendências de alta no longo prazo.

A beleza desses indicadores é o fato de que a decisão sempre ficará a cargo dos investidores. Alguns estão dispostos a assumir altos riscos assim que notarem os primeiros sinais de uma mudança na tendência. Por outro lado, outros traders preferem esperar por uma confirmação mais sólida, o que pode reduzir seu potencial de lucro.

Seja qual for sua posição quanto a esses dois indicadores técnicos, você só saberá a melhor abordagem na prática. Os gráficos acima são exemplos de como esses sinais são poderosos e que vale a pena ficar de olho neles.

Trader patrocinado earn2trade