Earn2Trade Blog

Juros futuros: entenda o que são, como funcionam e quais são os fatores de influência

Embora esteja presente em todo o cenário financeiro, o conceito de juros futuros ainda é pouco conhecido por investidores.

Os juros futuros, para quem não conhece ainda, são importantes para que os investidores possam entender quais são as expectativas do mercado financeiro, com base no CDI, e existem alguns fatores que interferem nessa expectativa.

Por isso, se você deseja entender melhor de que forma essa estimativa interfere nas suas operações, seja de renda fixa ou variável, esse conteúdo vai te ajudar a entender qual o impacto dos juros futuros. Boa leitura!

Trader patrocinado earn2trade

O que são juros futuros?

Os juros futuros, conhecido também por juros longos ou contrato de DI Futuro, são as estimativas de mercado que levam em consideração a elevação dos valores praticados em vencimentos de longo prazo, considerando a taxa base de juros no Brasil. 

Essa expectativa é oficializada em formato de contratos firmados entre duas partes, considerando a expectativa de taxa de juros do dia da negociação até uma data futura.

O nome contrato de DI Futuro, por exemplo, representa a estimativa do mercado para o valor de juros em operações de depósito interfinanceiro.

Para essa estimativa, os juros futuros consideram diversos fatores macroeconômicos, como inflação e crises políticas nacionais.

Considerando que a variação da taxa de juros tem um impacto muito forte na economia de todas as pessoas e no mercado financeiro, usar os juros futuros funciona como uma segurança maior para os investidores que desejam reduzir os riscos com oscilação dos juros.

Leia também: Mesa Proprietária: como funciona, vantagens e como operar

Leia também: Alavancagem Financeira – O que é e como funciona?

Para que servem os juros futuros?

Como sabemos, o mercado financeiro é um ambiente muito volátil e dinâmico, no qual oscilações nas taxas de juros são capazes de prejudicar todos os que participam desse meio, como bancos, empresas, seguradoras, fundos de pensão etc.

Quando duas partes fixam qual será a taxa de juros nos diferentes prazos mais adiantes, os juros futuros acabam servindo como uma segurança para o mercado, além de conferir estabilidade e proteção aos investidores.

Ou seja, uma das finalidades dos juros futuros é o chamado Hedge, que é justamente uma ferramenta de proteção contra oscilações características do mercado financeiro.

Além disso, outras funções dos juros futuros são estabelecer uma base para a economia e fornecer um parâmetro da direção da taxa básica de juros, a famosa taxa Selic.

Por fim, essa estimativa também indica quando há uma crise ou instabilidade política, uma vez que eles aumentam em decorrência da percepção de riscos.

Qual é a importância dos juros futuros?

A negociação de juros futuros é importante porque funciona como uma estratégia de mitigação de riscos, ou seja, reduz ou previne grandes perdas que possam ocorrer por conta da volatilidade dos juros conforme o andamento da economia no país.

É importante destacar aqui aos investidores que nem sempre será possível neutralizar os riscos apenas com esse tipo de contrato, mas é importante entender seu papel para reduzir as chances de perdas maiores.

Em casos de situações muito imprevisíveis, que transformam radicalmente o mercado financeiro, os juros futuros podem ter uma função apenas de apaziguar os riscos.

Outro fator que torna os juros longos importantes é que eles ajudam a tornar o mercado financeiro mais seguro e estável, reduzindo a liquidez em todos os tipos de operações.

Fatores que influenciam os juros futuros

Os juros futuros são influenciados por uma diversa gama de fatores. O mais importante deles com certeza é o índice de inflação.

Isso acontece porque a taxa de juros é conhecida como o principal instrumento de combate à alta de preços. Quando a inflação sobe, o Banco Central aumenta a Selic, e o inverso acontece quando a inflação está baixa. 

Além disso, outros fatores, como a política fiscal, a atividade econômica no país, a confiança dos investidores e dos consumidores, a balança comercial e até mesmo a taxa de câmbio também podem impactar nos juros futuros.

De maneira geral, quanto maior for o risco percebido pelos operadores do mercado em uma determinada janela de tempo, maiores serão os juros futuros daquele mesmo período.

Ou seja, de maneira resumida, estes são os fatores que influenciam os juros futuros:

  • Taxa e projeção de inflação de um determinado período;
  • Política fiscal e monetária de um governo;
  • Expectativas com o resultado do PIB;
  • Taxa de câmbio e balança comercial;
  • Confiança dos investidores e consumidores no mercado.

Juros futuros e a taxa Selic

A taxa Selic, também conhecida como taxa básica de juros, é definida pelo Comitê de Política Monetária (COPOM) e é o indicador econômico mais importante do país.

Por esse motivo, um aumento ou diminuição na taxa Selic têm um impacto significativo nas taxas de juros praticadas na economia do país.

No entanto, além de ser um dos principais indicadores de investimentos de renda fixa, a taxa Selic também tem uma relação direta com o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), sendo que ambas andam próximas para que o aumento de uma não torne a outra muito desvantajosa.

O CDI, ao contrário dos juros futuros, é a taxa de juros no momento presente. No entanto, mesmo sendo diferentes, a comparação entre as duas taxas pode fornecer uma leitura dos caminhos percorridos pelos juros no mercado.

Em outras palavras, quanto menos conturbado for o cenário político e econômico do país, mais as duas taxas poderão se assemelhar.

No caso contrário, a probabilidade é de que a taxa de juros futuros seja muito discrepante em relação à taxa Selic.

Além disso, outro fator capaz de produzir essa diferença entre uma taxa e outra é a quantidade de tempo. As taxas de juros futuros que tiverem um prazo de vencimento mais próximo terão uma porcentagem muito parecida à da taxa Selic atual.

Tipos de contratos baseados em juros futuros

Existem dois tipos de contratos que levam como base a estimativa dos juros futuros. Entenda:

Contrato futuro prefixado

Quando o investidor tem expectativa de juros mais altos no futuro sobre a dívida com juros pós-fixados, ele tem como opção vender esse contrato de juros prefixados, para garantir a taxa atual.

Assim, ele consegue vender esse contrato com a taxa atual, se protegendo dessa possível alta.

Contrato futuro pós-fixado

No contrato futuro pós-fixado temos um cenário oposto. Nesse caso, quando o investidor tem as expectativas de juros menores no futuro, ele pode adquirir um contrato futuro pós-fixado, garantindo a taxa do dia do vencimento que terá o melhor custo, pagando assim juros mais baixos.

O que são contratos futuros de DI? 

Os contratos de juros futuros ou DI futuro é um acordo de compra ou venda sobre a perspectiva de crescimento de juros. 

Todos esses contratos futuros são gerados por meio do Certificado de Depósito Interbancário (CDI), levando em conta a taxa Di, por isso leva esse nome.

Por conta disso, os juros futuros de DI estão sempre próximos da Selic, por esta ser a taxa principal usada no mercado de renda fixa.

O que é a curva de juros futuros?

Outro termo muito comum no mercado financeiro é a curva de juros futuros.

Em termos simples, trata-se de uma denominação utilizada para definir a projeção do caminho que uma determinada taxa pode ter. 

Ou seja, trata-se da expectativa da taxa de juros descrita em um gráfico, indicando a mudança de valores que pode vir a acontecer em relação aos rendimentos médios de títulos prefixados.

Para construir uma curva de juros futuros, é necessário utilizar o eixo X na horizontal para apontar os prazos ou vencimentos, enquanto o eixo Y, na vertical, indica os juros futuros para aquela situação específica.

Essa ferramenta é principalmente utilizada para fazer a avaliação de títulos de renda fixa e para analisar os contratos de DI a longo prazo.

Como acompanhar os juros futuros?

Como vimos, os juros futuros são calculados pela B3, a bolsa de valores brasileira, com base nos seus fatores de influência, como a inflação, atividade econômica e câmbio.

As cotações são liberadas diariamente pela bolsa de valores e também na ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) e em portais financeiros especializados.

Vale a pena operar com juros futuros?

Agora que você já aprendeu mais sobre o conceito de juros futuros e como ele funciona, pode estar se perguntando se vale ou não a pena atuar nesse segmento.

Em primeiro lugar, precisamos definir que essa avaliação vai depender, principalmente, do seu posicionamento no mercado atualmente.

Isso porque a sua experiência e os seus alinhamentos vão impactar a sua análise, tornando os juros futuros um tipo de investimento mais ou menos atrativo.

Quem opera no mercado de ações e com outros produtos que dependem dessa taxa pode ganhar muito operando com juros futuros, pois esse índice pode ajudar a prever e controlar os rendimentos a partir da movimentação apresentada.

No entanto, assim como outras tarifas variáveis, ela muda constantemente e precisa de um acompanhamento próximo e mais detalhado.

Ou seja, os contratos de juros futuros podem não interessar perfis que não estão envolvidos nesse segmento ou não possuem ativos diretamente influenciados por ele.

Entretanto, é importante lembrar que essa variação também afeta outros produtos, como investimentos de renda fixa, por exemplo.

Por esse motivo, mesmo que o investidor não opere com esses contratos, é fundamental que ele conheça o conceito e esteja por dentro de suas oscilações.

Somente assim será possível escolher o melhor ativo para sua carteira com base em uma avaliação completa, a partir da melhor rentabilidade e da melhor taxa de juros.

Conheça o Gauntlet Mini, a maneira mais rápida de se tornar um trader profissional!

Conclusão

Conhecer o que são e como funcionam os juros futuros é fundamental para qualquer pessoa que tenha interesse em se tornar um investidor.

Como vimos, são vários fatores que podem interferir nessa expectativa de juros, como crises políticas, inflação e outros cenários econômicos mais imprevisíveis.

Se vale a pena? Bem, como vimos, essa é uma estratégia muito importante para mitigar riscos e também é uma forma de conseguir operar com juros mais baixos, por isso é importante ter esse tipo de conhecimento como uma carta extra na manga.

Para saber mais sobre investimentos e como ter operações mais lucrativas, continue acompanhando o nosso blog.

Trader patrocinado earn2trade