Earn2Trade Blog
Oferta Agregada

Oferta Agregada – Curva e definição no curto e longo prazo

A oferta agregada é um dos principais impulsionadores de qualquer economia. E nunca houve um momento melhor para entender este importante conceito do que agora. Vamos nos aprofundar no tema discutindo enquanto tentamos entender como será o mundo em uma era pós-COVID-19.

blog ad pt e2t

Definição de oferta agregada

A oferta agregada refere-se à quantidade total de bens e serviços produzidos em uma economia em um determinado período de tempo que são vendidos a um determinado preço. Estão incluídos nisso o fornecimento de bens de consumo privados, bens públicos e de mérito, bens de capital e até bens a serem vendidos no exterior.

Definindo de maneira mais simples, podemos dizer que a oferta agregada reflete a relação entre o nível de produção da economia e o preço.

Quando os preços estão subindo, normalmente significa que as empresas precisam expandir sua produção e oferta para acompanhar a demanda agregada. Se a demanda aumentar e a oferta permanecer constante, os consumidores terão que competir pelos bens disponíveis. Isso, por sua vez, aumenta o preço. Aumentar o nível de produção para vender mais mercadorias normaliza o preço. O resultado é alcançar o equilíbrio.

Você também pode gostar:

Curva de oferta agregada

A curva de oferta agregada mostra o PIB real de um país. Em outras palavras, as entregas que ele fornece a diferentes preços. Essa curva é baseada na premissa de que, à medida que os preços aumentam, os produtores podem receber mais dinheiro pelos seus produtos, o que os induz a produzir ainda mais. No entanto, esse aumento nos preços também tem um segundo efeito – um eventual aumento nos preços dos insumos (custos de produção) que, mantendo-se os outros preços inalterados, levará os produtores a reduzirem a produção.

Lembre-se de que a premissa para a construção da curva de oferta agregada é diferente da premissa usada para a construção de curvas de oferta para mercadorias individuais. A curva de oferta de um bem individual pressupõe que os preços dos insumos permaneçam constantes. À medida que o preço de um produto aumenta, os custos por unidade para vendedores fornecerem o produto não se alteram e, portanto, eles estão dispostos a aumentar ainda mais a oferta. É por isso que a curva de oferta de bens individuais geralmente têm uma inclinação ascendente.

Como existe uma certa incerteza sobre se a economia de um país pode ofertar um PIB real em meio a um nível de preços crescente, tornou-se comum diferenciar as curvas de oferta agregada em dois tipos. Esses dois tipos são a curva de oferta agregada de longo prazo e a curva de oferta agregada de curto prazo. Ao distingui-las, você terá uma visão mais realista da oferta agregada de uma economia.

Voltaremos a falar sobre essas curvas mais detalhadamente quando formos examinar a oferta no contexto desses prazos.

O que muda a oferta agregada?

Existem muitas variáveis que podem causar uma mudança na oferta agregada. Você pode considerar as inovações tecnológicas, mudanças na quantidade e na qualidade da mão-de-obra, mudanças nos custos de produção, disponibilidade de recursos, subsídios, mudanças nos salários e impostos e o atual nível de inflação. Esses fatores podem levar a mudanças positivas ou negativas na curva de oferta agregada.

A curva de oferta agregada muda para a direita após um aumento na eficiência da mão-de-obra ou uma queda no custo de produção, níveis mais baixos de inflação, maior produção e acesso mais fácil às matérias-primas. Por outro lado, há uma mudança para a esquerda quando ocorre um aumento nos custos de produção, quando há níveis mais altos de impostos e salários ou eficiência de trabalho reduzida.

Curva De Oferta Agregada
A curva de oferta agregada muda para a direita ou esquerda, com base nas alterações nos fatores em questão | Fonte: opentextbc.ca

Oferta Agregada de Longo Prazo (OALP)

O longo prazo é um período conceitual no qual não há fatores fixos de produção. Em geral, o período deve ser longo o suficiente para permitir ajuste de salários, preços e expectativas, mas não tempo o suficiente para que o capital físico se torne um insumo variável.

Com isso em mente, podemos definir a oferta agregada de longo prazo (OALP) como um conceito que representa a produção ideal que pode ser produzida por uma economia quando ela utiliza todos os seus fatores de produção e, portanto, opera com empregos em alta. A longo prazo, as mudanças nos preços não afetam a oferta agregada. A curva muda apenas com base nas melhorias de produtividade e eficiência. Essas melhorias normalmente incluem melhorias nas habilidades, novos avanços na tecnologia e aumentos de capital. Isso significa essencialmente que o preço é inelástico no OALP.

Uma coisa importante a ser observada é que existem diferentes visões econômicas sobre a oferta agregada de longo prazo. Por exemplo, a teoria keynesiana do OALP afirma que a oferta agregada de longo prazo apenas permanece elástica nos preços até um certo ponto. Após esse ponto, a oferta se torna essencialmente não influenciada pelas mudanças de preço. Em outras palavras, há um ponto na economia em que os produtores de bens e serviços podem expandir sua capacidade. No entanto, quando chegamos a esse ponto, não importa se os preços estão subindo ou descendo.

A curva de longo prazo

A curva de oferta agregada de longo prazo (OALP) é completamente vertical. Você provavelmente deve estar se perguntando o porquê. Isso ocorre porque o PIB real a longo prazo depende da oferta de capital, mão de obra, matérias-primas e outros fatores externos ao preço. Dessa forma, a quantidade produzida nesse período permanece a mesma, independentemente de alterações no preço (preço não elástico). Essa é uma grande diferença da curva de oferta de bens individuais com inclinação ascendente. Nesse caso, é porque a curva tem a ver com os preços dos bens em relação a outros bens ou serviços. As empresas podem, portanto, tirar proveito dos preços relativos para aumentar a produção.

Como exemplo, suponha que você administre uma destilaria onde produz bourbon e gin em massa. Se o preço do bourbon subir, você poderá concentrar seus recursos na destilação de mais bourbon para aproveitar o aumento do preço, daí a influência relativa do preço na oferta. Com a oferta agregada, no entanto, toda a produção da economia será limitada pela disponibilidade de terra, mão de obra, capital e outros recursos. Não importa se os preços aumentam ou diminuem, a produção geral não pode ir além do ponto permitido pelos recursos disponíveis no país.

Curva OALP
Curvas OALP clássicas e keynesianas | Fonte: economicshelp.org

Na imagem acima, é possível ver como a curva OALP captura a relação entre nível de preço, demanda agregada e fluxo de produção em um determinado período. Na visão clássica, mesmo quando o preço aumenta, o OALP permanece vertical. Sob a curva keynesiana do OALP, o preço é elástico até um certo ponto antes de se tornar vertical e insensível ao preço.

Oferta Agregada de Curto Prazo (OACP)

A oferta agregada de curto prazo refere-se à produção total de bens e serviços disponíveis em uma economia a diferentes preços, enquanto alguns fatores e recursos de produção permanecem fixos. Isso significa que certos recursos de capital são praticamente impossíveis de se alcançar a curto prazo. Nem mesmo se as empresas aumentarem sua oferta devido ao aumento dos preços, contratando mais trabalhadores ou estendendo o horário de trabalho. Esses recursos de capital incluem coisas como o espaço para escritório, novas máquinas e mão de obra extra qualificada.

Não existe uma unidade de tempo específica associada ao período de curto prazo. Pode ser de dois meses ou oito, ou até um ano. Em vez de um período fixo, ela está vinculada à duração pela qual esses recursos permanecem fixos. Com que rapidez a empresa pode montar uma nova fábrica ou armazém? Qual é o tempo necessário para conseguir um empréstimo para comprar e instalar uma nova máquina? A que taxa podemos treinar funcionários para melhorar suas habilidades? A resposta para essas perguntas é o que determina a duração do curto prazo.

Para o OACP, o número de bens ou serviços fornecidos aumenta à medida que o preço aumenta. Portanto, geralmente enxerga-se o OACP como elástico. Principalmente porque no curto prazo, as empresas podem alterar seus fatores variáveis de produção para aumentar a produção.

A curva de curto prazo

No curto prazo, a curva de oferta agregada reage ao nível de preços. Isso significa que ela é inclinada para cima em vez de totalmente vertical. A curva OACP também é desenhada para refletir algumas variáveis, como a taxa de salário nominal. Esse salário nominal é fixado no curto prazo, de modo que um aumento no preço implica maior potencial de lucro para justificar o aumento da produção. Isso difere no longo prazo, onde a taxa de salário nominal depende das condições econômicas (baixos níveis de desemprego levam a salários nominais mais altos e vice-versa).

O que se presume em relação à curva OACP é que os provedores de recursos necessários para a produção não respondem imediatamente ao aumento no nível de preços. Vamos pegar o exemplo anterior da destilaria como exemplo. Se houve um aumento geral nos preços do uísque e do gin, a destilaria pode expandir a produção imediatamente. No entanto, os produtores de malte e cevada e os embaladores de garrafas podem não aumentar seus próprios preços imediatamente. Vai levar algum tempo.

Curva De Oferta Agregada De Curto Prazo
Curva de oferta agregada de curto prazo | Fonte: coursehero.com

A ilustração acima mostra a relação direta entre as mudanças nos preços e a quantidade produzida no curto prazo. Quanto maior o preço, mais a produção é fornecida e vice-versa.

Perguntas Frequentes

Por que a curva de suprimento agregado de curto prazo se inclina para cima?

A curva de curto prazo se inclina para cima porque tem uma relação direta com as mudanças de preços no curto prazo. Quanto maior o preço, maior a produção. Essa relação é então desenhada em uma inclinação ascendente.

Por que a curva de oferta agregada de longo prazo é vertical?

A curva de longo prazo é vertical porque, a longo prazo, as mudanças no preço não afetam a produção total. Em vez disso, são outros fatores de produção que influenciam a produção total. Incluindo empregos, recursos e capital.

Que relação a curva de oferta agregada descreve?

A curva de oferta agregada descreve a relação entre o PIB real e as mudanças nos preços. Podemos dividi-la em duas curvas principais no curto e no longo prazo. Chamdas de curva de oferta agregada de curto prazo (OACP) e oferta agregada de longo prazo (OALP).

Qual é o efeito de um aumento no nível de preços na curva de oferta agregada de curto prazo?

Um aumento no nível de preços na oferta agregada de curto prazo (OACP) significa um aumento resultante na produção total, à medida que as empresas buscam lucrar com os preços mais altos. Isso remonta à noção de que a curva de curto prazo é inclinada para cima. Quanto maior o preço, maior a produção devido à vontade de lucrar da empresa.