Earn2Trade Blog
futures spread trading

Spread de Futuros – Guia de como operar spreads com contratos futuros

O mundo do trading está repleto de estratégias e métodos para maximizar os lucros. Arbitragem é uma das estratégias de trading mais eficientes, mas também uma das mais complicadas. Muitos traders adotam as operações de spread de futuros como sua estratégia de arbitragem. Esta é considerada uma das maneiras mais seguras de tentar lucrar no mercado de commodities. Neste guia, vamos ajudá-lo a entender melhor as estratégias envolvendo operações de spread de futuros mais populares e como usá-las. Também veremos diferentes exemplos de operações de spread de futuros, além das suas vantagens e desvantagens. Então, vamos lá!

Trader patrocinado earn2trade

O que é um spread de futuros?

O spread de futuros é uma técnica de trading em que você abre uma posição comprada e uma posição vendida simultaneamente para tirar proveito da discrepância de preço. 

A ideia por trás das operações de spread de futuros é reduzir o risco. Ao mesmo tempo, esse tipo de operação permite que o trader lucre com as ineficiências de precificação de um ou mais instrumentos. É possível fazer operações de spread com diversas classes de ativos. Neste artigo, vamos nos concentrar na sua aplicação no trading de futuros e commodities.

Até pouco tempo atrás, devido à estrutura do mercado, as estratégias de trading envolvendo spreads estavam disponíveis apenas para traders institucionais e de grande porte. No entanto, as operações de spread estão cada vez mais populares entre os traders autônomos. Isso se deve principalmente ao desenvolvimento tecnológico e à redução dos requisitos de margem.

Você também pode gostar:

Como os spreads de futuros funcionam

O objetivo das operações de spread de futuros é tirar proveito da diferença entre os preços do contrato vendido e do contrato comprado. Isso geralmente ocorre por meio do trading de futuros com datas de vencimento diferentes. Um exemplo de spread de futuros envolve operar comprado e vendido simultaneamente um contrato futuro de soja (ZS). Você também pode aplicar esse tipo de operação a diferentes tipos de ativos, como soja e milho.

As posições de compra e venda abertas ao mesmo tempo pelo trader são reconhecidas como uma única posição, chamada de “operação unitária”. Os lados de compra e de venda da operação unitária são chamados de “pernas”.

O objetivo do trader ao fazer uma operação unitária é ver o lado comprado do spread aumentar em comparação com o vendido. Dessa forma, quanto maior a diferença entre as posições, maior o lucro.

Tipos de spreads de futuros

Dependendo das preferências do trader quanto ao tipo de commodity, seu estado e a estratégia de trading específica, ele pode escolher entre três tipos de spreads de futuros: spreads inter-mercado (ou inter-commodity), spreads intra-mercado (ou intra-commodity) e spreads de commodity.

Além disso, embora seja mais raro, alguns especialistas também consideram os spreads de futuros de alta e de baixa. Com os spreads de futuros de alta, o trader opera comprado no mês mais próximo e vendido no mês mais distante. Já nos spreads de futuros de baixa, ele opera comprado no mês mais distante e vendido no mês mais próximo.

Agora vejamos os tipos principais. As categorias de spread mais comuns são inter-mercado, intra-mercado e de commodities. Vamos analisar cada um deles abaixo.

Spreads inter-mercado (ou inter-commodity)

No spread de futuros inter-mercado, são utilizados contratos de commodities diferentes com o mesmo mês de vencimento. Por exemplo, você abre simultaneamente posições para comprar milho futuro (ZC) e vender trigo futuro (ZW), sendo que ambos vencem em setembro.

Para quem tem interesse em spreads de futuros inter-mercado, é essencial conhecer as particularidades e os diferentes fatores de preço dos instrumentos envolvidos. Isso significa que você deve ter experiência com o trading de vários contratos futuros, o que não é comum para traders iniciantes.

Spreads intra-mercado (ou intra-commodity)

Operações de spread de futuros intra-mercado ocorrem quando o trader compra e vende a mesma commodity, mas com meses de vencimento diferentes. Por exemplo, o trader pode comprar um contrato futuro de soja de abril e vender um contrato futuro de soja de outubro. Nesse caso, as “pernas” do spread variam entre meses diferentes em vez de instrumentos diferentes.

Este tipo de spread de futuros também é chamado de “spread calendário”.

Os spreads calendário são considerados mais fáceis de operar, já que basta se especializar em apenas uma commodity. O trader deve aprender tudo sobre os diferentes fatores de preço, como sazonalidade, oferta e demanda e condições climáticas, para conhecer os fundamentos necessários para operar uma determinada commodity.

Spreads de commodity

Os spreads de commodity refletem a diferença no preço da commodity em sua forma bruta e como produto final.

Spreads de commodity são usados principalmente por traders interessados nas indústrias petrolífera e agrícola. Muitos traders gostam de spreads de commodity e os operam por meio de uma operação comprada na matéria-prima e uma vendida no produto final. Dessa forma, a operação basicamente replica a margem de lucro das empresas que lidam com toda a cadeia de produção.

Embora esteja entre os três modelos principais, esse tipo de spread de futuros é considerado um instrumento mais exótico.

Margem em spreads de futuros

Os requisitos de margem são algo fundamental que todo trader interessado em operações de spread de futuros deve conhecer. Eles indicam o nível de volatilidade e risco associado à commodity subjacente ou a relação entre os ativos operados – se houver mais de um.

As margens dos spreads de futuros são menores do que as dos contratos futuros individuais, pois apresentam menor volatilidade e proteção contra risco sistêmico. No caso de um evento inesperado, como um ataque terrorista, um crash do mercado de ações, uma guerra ou a inadimplência de um país, ambas as pernas do spread serão afetadas igualmente. Dessa forma, o trader não sofrerá perdas.

Exemplo

Suponha que Joe queira operar spreads de futuros de milho e trigo. Digamos que a margem para futuros de milho seja fixada em US$2.000, enquanto a margem para o trigo está em US$1.000. Em vez de depositar US$3.000 para fazer uma operação de spread dos dois contratos, Joe pode receber uma margem de crédito de 75%. Isso significa que a margem inicial será de apenas US$750.

Isso mostra a enorme diferença em termos de requisitos de margem ao operar contratos individuais em vez de operá-los como spread. Muitas vezes, dependendo do instrumento, a margem do spread de futuros pode ser de apenas 10% do valor da margem exigida para um único contrato.

Antes de operar, é importante verificar com sua corretora os requisitos de margem atuais que devem ser cumpridos em operações de spread de futuros.

Spreads de futuros mais comuns

Há diversas variações de spreads de futuros entre os mais utilizados, incluindo:

  • Milho de julho e milho de dezembro
  • Soja e milho
  • Trigo de Kansas City e trigo de Chicago
  • Gás natural (matéria-prima) e eletricidade (produto final)
  • Petróleo bruto (matéria-prima) e produtos derivados do petróleo (produto final)
  • Soja (matéria-prima) e óleo de soja (produto final)
  • Fed Funds e Eurodólares
  • Títulos do Tesouro americano de dois anos e de cinco anos

A lista vai longe. A ideia é que os traders ajustem suas preferências de acordo com o tipo de spread operado, as especificações do ativo subjacente e os fatores que podem afetar o spread.

Uma análise de ativos específicos

No caso do petróleo bruto ou do gás natural, os traders baseiam suas análises principalmente no efeito da sazonalidade. Por exemplo, durante o inverno, a necessidade de aquecimento e o consumo de energia aumentam, o que impulsiona a demanda por gás natural. Já no verão, a demanda por petróleo aumenta com o aumento do uso de carros. Como consequência, o preço do petróleo bruto tende a subir.

O mesmo acontece com as diferentes colheitas. Dependendo do período de colheita, das condições climáticas, dos dados de oferta e demanda, da preferência dos agricultores por uma ou outra semente, entre outros fatores semelhantes, os trader podem optar por commodities específicas. Estes são alguns dos fatores mais relevantes para quem deseja operar o spread soja-milho, por exemplo.

No caso de spreads de futuros baseados em instrumentos financeiros, os fatores mais relevantes incluem mudanças nas taxas de juros, políticas nacionais, cenário econômico e político global, etc.

No fim das contas, seja qual for o tipo de spread operado, seu foco principal deve estar na relação entre as duas pernas do spread, e não na direção geral do mercado. Se o spread for bom o suficiente, você ganhará dinheiro até mesmo em mercados de baixa.

Como operar spreads de futuros

Embora seja menos arriscado do que comprar e vender contratos de futuros individuais, operações de spread de futuros ainda exigem um alto nível de especialização e atenção aos detalhes. Ao operar spreads inter-mercado, por exemplo, o trader deve estar ciente das particularidades dos diferentes instrumentos.

O primeiro passo antes de operar spreads de futuros com sucesso é conhecer os principais fatores e características das diferentes commodities ou instrumentos que você deseja operar. Aqui estão alguns desses fatores:

Sazonalidade

Em primeiro lugar, considere a época do ano. Você precisa saber como isso pode afetar o preço dos instrumentos que deseja operar. Fatores sazonais podem afetar negativamente o preço dos instrumentos. Seja comprando ou vendendo contratos de futuros individuais ou operando spreads de futuros, o risco é real.

Isso ocorre porque a sazonalidade determina a oferta e a demanda. Algumas commodities, como o gás natural, podem ter maior demanda durante o inverno; já outras, como o petróleo bruto, têm um aumento na demanda no verão. Por outro lado, um inverno mais quente pode reduzir a demanda por gás e óleo para aquecimento, diminuindo o preço desses ativos.

Algo parecido também acontece com futuros de grãos, cujos preços dependem dos resultados da safra. As condições climáticas também têm um efeito direto sobre eles. Se tomarmos o milho como exemplo, podemos dizer que ele tem uma oferta maior no outono, o que pode diminuir seu preço nesse período específico. A maioria dos grãos costuma atingir seu preço mais alto no final da primavera e no início do verão, quando estão mais vulneráveis a condições climáticas extremas. Por essa razão, dependendo do ano e das previsões climáticas, pode-se esperar que o chamado “prêmio do clima” afete o preço dos grãos.

A maneira mais fácil de superar o efeito da sazonalidade é analisar o desempenho dos spreads ao longo dos anos e ver em quais períodos eles apresentam melhor desempenho.

A situação política e as condições macroeconômicas

É importante não focar apenas nas características específicas da commodity, mas também ficar de olho nos fatores macroeconômicos que podem afetar seus spreads. Isso inclui guerras comerciais, embargos, instabilidades políticas globais, política de taxas de juros, crises financeiras e econômicas, desenvolvimentos específicos da região, etc.

Isso é crucial para todos os tipos de spreads de futuros, mas principalmente para spreads inter-mercado e de commodity. No caso de spreads intra-mercado, embora haja certa variação, o efeito geral deve afetar igualmente as duas pernas da operação. Por exemplo, se você estiver operando petróleo bruto em contratos de abril e agosto e surgir alguma instabilidade no Oriente Médio, a diferença entre as ordens de compra e de venda deve permanecer a mesma.

Mantenha-se informado sobre os setores

Os mercados financeiros e de commodities são muito dinâmicos. As coisas podem mudar de um dia para o outro. Portanto, se você deseja ter sucesso como trader de futuros, é preciso acompanhar as notícias e atualizações relacionadas aos setores nos quais você está interessado. 

A melhor maneira de fazer isso é começar seu dia lendo uma análise ou um relatório oficial do setor de interesse. Bons lugares para começar, dependendo tipos de spread de futuros que você estiver interessado em operar, incluem:

É claro que há muitas outras fontes, mas esta é a ideia. Fique por dentro das notícias mais recentes para aumentar seu potencial de lucro.

Estratégias com operações de spread de futuros

Há diversas estratégias envolvendo operações de spread de futuros que você pode usar. Veremos algumas das mais básicas e mais populares, e também veremos como colocá-las em prática. Mas lembre-se: não siga cegamente essas estratégias, use seu bom senso ao experimentá-las.

Gold bull spread

Essa estratégia de spreads intra-mercado requer a compra e venda do mesmo contrato, mas com diferentes meses de vencimento. O objetivo aqui é tirar proveito dos aumento de preço de curto prazo.

Veja como isso funciona na prática. Vamos supor que você tenha interesse em operar futuros de soja (ZS) em uma estratégia de spread. Para fazer isso, você pode:

  • Começar comprando futuros de soja (ZS) para novembro de 2020 por US$874,40.
  • Ao mesmo tempo, você também deve vender um contrato futuro de ZS. Vamos supor que você esteja vendendo o ZS de março de 2021 por US$885.
  • Enquanto isso, você acompanha as notícias e lê relatórios para acompanhar os fatores que podem afetar o preço da commodity.
  • Se o preço do contrato do mês mais próximo subir mais depressa que o do contrato do mês mais distante, então você terá lucro.

O objetivo final aqui é ver a diferença entre as pernas diminuir. Durante os mercados de alta, isso acontece ao operar comprado em contratos mais próximos e vendido em contratos de longo prazo, pois eles reagem mais lentamente às mudanças de preço.

Gold bear spread

Naturalmente, a alternativa do mercado de baixa à estratégia mencionada acima funciona de maneira oposta. O preço do contrato do mês mais próximo deve cair mais depressa que o preço do contrato mais distante durante os mercados de baixa. Essa estratégia visa aproveitar a ampliação da diferença entre as pernas.

Exemplos de operações de spread de futuros

Exemplo 1

Digamos que você tenha interesse em fazer uma operação de spread comprando um contrato futuro de trigo em agosto (mês mais próximo) por US$5,25 por bushel e vendendo um contrato de trigo em outubro (mês mais distante) por US$5,65 por bushel. A forma de calcular o spread é subtraindo o mês distante do mês mais próximo (US$5,25 – US$5,65 = -US$0,40). Nesse caso, o spread é de 40 centavos. Como o contrato mais próximo é operado abaixo do contrato mais distante, o spread é negativo.

Para calcular o lucro ou prejuízo da operação, você deve multiplicar o spread pela variação de preço. Por exemplo, uma variação de preço de 10 centavos resultará em um lucro ou prejuízo de US$400.

Exemplo 2

Suponha que seja final de ano e você esteja otimista com as projeções da soja para o ano seguinte. Os primeiros meses do ano geralmente superam os últimos meses. Por conta disso, você compra um contrato futuro de soja de março por US$875 e vende um contrato de setembro por US$883. Nesse caso, o spread é calculado da seguinte forma: US$875 – US$883 = -US$8. Se a sua previsão estiver correta e o spread tiver diminuído de -8 para -5 em março, seu lucro será igual a 3 centavos. Como um contrato é para entrega de 5.000 bushels, seu lucro total é de US$150.

Como um exemplo de spread inter-mercado, digamos que você tenha interesse em operar milho e trigo. Sua análise revela que a demanda por milho deve superar a demanda por trigo. Nesse caso, vamos ignorar o preço dos contratos e se eles vão subir ou cair. Seu único objetivo aqui é ver o preço do milho avançar mais que o do trigo. Se houver uma liquidação geral no mercado, o preço do milho tende a ser melhor que o do trigo.

Vantagens e desvantagens das operações de spread de futuros

À primeira vista, as operações de spread de futuros podem parecer a estratégia mais segura possível. No entanto, além das suas claras vantagens, também há alguns inconvenientes. Para analisarmos ambos os lados, vamos nos concentrar nas principais vantagens e desvantagens das operações de spread de futuros.

Vantagens

Melhor relação entre risco e retorno do que ao operar contratos futuros individuais

Além de reduzir significativamente o risco, os spreads de futuros também oferecem diversas maneiras diferentes de obter lucro. Embora sejam controlados e não possuam tanta alavancagem como os contratos individuais, os spreads de futuros são instrumentos muito mais equilibrados.

Os movimentos de preço são mais fáceis de prever

As operações de spread de futuros facilitam a previsão de como os diferentes contratos – as pernas do spread – reagirão a eventos específicos. Durante os mercados de baixa e de alta, o preço do contrato mais próximo é geralmente mais afetado que o do contrato de longo prazo.

Requisitos de margem inferiores

Como as operações de spread de futuros apresentam menos risco, isso levou a uma grande redução nos requisitos de margem ao longo do tempo. Dessa forma, o trader pode obter um ROI (Retorno Sobre Investimento) muito melhor que ao operar contratos de futuros individuais.

Clientes com carteiras menores são bem-vindos

Em geral, uma corretora de ações ou de futuros pode exigir que você deposite US$5.000 ou mais para poder operar. No entanto, as coisas são bem diferentes com os spreads de futuros. Dependendo dos requisitos da corretora, muitas vezes é possível manter um saldo de apenas US$50.

Um bom ambiente para iniciantes darem seus primeiros passos

As operações de spread de futuros eliminam o risco sistêmico, que engloba os eventos mais imprevisíveis e problemáticos no trading – tanto para traders iniciantes quanto para os mais experientes. Isso torna os spreads uma opção ideal para iniciantes darem seus primeiros passos sem medo de perder grandes quantias.

Desvantagens

Mais operações = mais comissões

A principal desvantagem dos spreads de futuros é que cada operação consiste em duas pernas: a compra e a venda de um instrumento. Isso basicamente dobra as taxas de operação. Caso não considere esse fator ao desenvolver sua estratégia, essas taxas podem consumir uma boa parte dos seus lucros.

Pode faltar liquidez

Em muitos casos, os spreads de futuros são menos líquidos que outros instrumentos ou até mesmo contratos futuros individuais. Isso pode ser um problema para traders que precisam entrar e sair de suas posições rapidamente.

Riscos envolvidos nas operações de spread de futuros

Como qualquer outro tipo de atividade de trading, o principal risco vem da operação de posições muito grandes. Mesmo assim, você não deve ignorar essa questão. Traders que não seguem alguns princípios básicos de gestão de risco podem perder grande parte do seu portfólio, principalmente se não forem capazes de prever corretamente a variação do spread.

Ainda há o risco de ficar preso em uma operação por falta de liquidez. O volume de negociação relativamente baixo nos spreads de futuros pode dificultar o fechamento da sua posição. O risco é ainda maior quando os traders compram e vendem futuros mais exóticos. Seu lucro pode diminuir significativamente se você cair nessa armadilha.

Embora não seja um risco específico desse instrumento, você deve ter muito cuidado ao definir seus pontos de entrada e saída. É fundamental seguir uma estratégia clara de gestão de risco. Dessa forma, é possível evitar que as emoções tomem o controle da situação. Isso também o impedirá de abandonar seu plano para buscar lucros maiores. Como você já deve saber, isso não costuma terminar bem.