Earn2Trade Blog
Oscilador Estocástico

Oscilador Estocástico – Como esse indicador técnico funciona e como usar

O oscilador estocástico é um daqueles indicadores que aparecem em diversos gráficos de investimento. É um indicador muito útil, mas o que exatamente ele faz? O oscilador estocástico é uma forma popular de medir o momentum. No entanto, que conclusões você pode tirar da fórmula do indicador e como pode usá-la?

blog ad pt e2t

O que é o oscilador estocástico?

O oscilador estocástico permite identificar o momentum no preço de um ativo financeiro com base na sua fórmula. O que ele faz é comparar o preço de fechamento de um ativo com os preços máximo e mínimo recentes. Em seguida, o resultado é convertido em um número entre 0 e 100, que será o valor real do oscilador estocástico. É aqui que as coisas começam a ficar interessantes!

Digamos que você fale com dois traders de maneira independente e pergunte a eles o que o oscilador estocástico mostra. É provável que você obtenha duas respostas muito diferentes. Por um lado, o oscilador estocástico é um indicador de momentum para cima e para baixo. Por outro lado, alguns traders podem ver isso como um indicador de preços em sobrecompra e sobrevenda. Em teoria, ambas as explicações estão corretas. A grande diferença é como você usa o indicador em sua estratégia de investimento. 

Há outros fatores a serem considerados. Um deles é o período durante o qual os preços mínimo e máximo são considerados. Você deve pesquisar as configurações ideais do indicador de acordo com seu método de trading específico. Está feliz em seguir uma tendência mais estável de longo prazo? Ou você prefere um indicador de curto prazo mais sensível que possa alertá-lo quanto às oportunidades de trading de curto prazo?

Você também pode gostar:

Uma breve história

Há algumas controvérsias quanto às origens do oscilador estocástico –principalmente as linhas %D, que abordaremos mais adiante neste artigo. Muitos acreditam que C. Ralph Dystant foi o criador original do indicador, mas George C. Lane é creditado pelo seu papel em popularizá-lo. Além disso, ele também introduziu vários ajustes e adaptações.

O oscilador estocástico surgiu na década de 1950, quando C. Ralph Dystant ministrava cursos sobre o mercado de ações – cujo foco original era em commodities. Suas aulas foram umas das primeiras a se concentrar em gráficos, médias móveis e outros indicadores como forma de tentar prever os movimentos futuros dos preços. Por acaso, George C. Lane supostamente começou a trabalhar para C. Ralph Dystant em 1954, que foi o ano da aposentadoria do “guru” técnico Roy Larson. Seria uma coincidência?

É justo dizer que tanto C. Ralph Dystant quanto George C. Lane foram essenciais para a criação do indicador oscilador estocástico e para a influência que ele exerce sobre os investidores até hoje. De muitas maneiras, a chave para seu sucesso é sua relativa simplicidade. O golpe de mestre foi introduzir um intervalo fácil de entender, que varia entre 0 e 100. Nas palavras de Kelly Johnson, ex-engenheiro chefe da Lockheed Skunk Works, “Mantenha as coisas simples, estúpido” (“Keep things simple, stupid”, em inglês). Muitos traders se referem a essa citação como o princípio KISS.

Como o oscilador estocástico funciona?

Agora veremos como funciona o oscilador estocástico e como ajustar rapidamente a sensibilidade do indicador. O conceito básico por trás do oscilador estocástico é o momentum: ele nos dá a capacidade de monitorar a dinâmica do preço de um ativo. Isso permite que você identifique se, em comparação com os preços máximo e mínimo, o preço atual está em sobrevenda ou sobrecompra. No entanto, este é o grande enigma do indicador.

Um exemplo simples

E se analisarmos o S&P 500? O contrato futuro E-mini S&P 500 está entre os ativos de maior volume no mercado futuro. O que o seu momentum nos diz? Imagine o exemplo de lançar um foguete para o céu. Ele não vai parar repentinamente e retornar imediatamente após ficar sem combustível. O momentum, embora enfraquecido, continuará empurrando o foguete a uma velocidade muito menor. No entanto, quando o momentum positivo se esgotar, o foguete girará e retornará à Terra. Como resultado, um novo momentum é formado no caminho de volta. Esta é a ideia por trás do oscilador estocástico. Usando os preços máximo e mínimo recentes como comparação, é possível identificar uma mudança no momentum. Esse resultado também será refletido nos gráficos.

Há um consenso geral de que, quando o nível do oscilador estocástico fica abaixo de 20, isso indica que o ativo está em sobrevenda; por outro lado, se o indicador ficar acima de 80, isso indica que o ativo está em sobrecompra. Consideramos 50 como nosso valor médio – em teoria, o momentum positivo está acima dessa linha, enquanto o momentum negativo está abaixo dela. Embora este seja geralmente o caso, é preciso ficar atento a possíveis sinais falsos. Agora vamos dar uma olhada nas maneiras de ler e entender o oscilador estocástico.

Fórmula e cálculo do oscilador estocástico

Nesta seção, veremos a fórmula do oscilador estocástico. Também apontaremos quais elementos da fórmula podem ser ajustados para alterar sua sensibilidade. A fórmula básica é a seguinte:

fórmula do oscilador estocástico

C = o preço de fechamento mais recente 

L14 = o menor preço operado nas últimas 14 sessões de trading 

H14 = o maior preço operado nas últimas 14 sessões de trading 

%K = o valor atual do indicador estocástico expresso como uma porcentagem 

Para dar um exemplo prático de como o indicador funciona, daremos uma olhada no índice S&P 500. Este é o valor no qual os contratos futuros do E-mini S&P 500 se baseiam.

Nível atual = 3490 

Ponto mínimo nas últimas 14 sessões de trading = 3300 

Ponto máximo nas últimas 14 sessões de trading = 3.500 

O cálculo será feito da seguinte forma:

3490-3300 / 3500-3300 = 190/200

(190/200) x 100 = 95%

Exemplo

Portanto, de acordo com o indicador oscilador estocástico, o índice S&P 500 tem um forte momentum e está potencialmente em território de sobrecompra. Muitas pessoas consideram que o cálculo padrão do indicador do oscilador estocástico se baseia em 14 sessões. No entanto, como fica a situação se usarmos oito sessões?

Nível atual = 3490 

Ponto mínimo nas últimas oito sessões de trading = 3400 

Ponto máximo nas últimas 14 sessões de trading = 3.500 

3490-3400 / 3500-3400 = 90/100

(90/100) x 100 = 90%

Por fim, o cálculo baseado em uma média móvel de 30 períodos indica o seguinte:

Nível atual = 3490 

Ponto mínimo nas últimas 30 sessões de trading = 3.200 

Ponto máximo nas últimas 14 sessões de trading = 3.500 

3490-3200 / 3500-3200 = 290/300

(290/300) x 100 = 97%

Quanto mais curto for o período em questão, mais sensível será a fórmula em relação aos movimentos diários. Isso porque a diferença entre os pontos máximo e mínimo deveria ser relativamente pequena, em teoria. Nos três exemplos acima, o índice S&P 500 tem um forte momentum ao longo de 14 e 30 dias. No entanto, o valor é notavelmente menor ao analisar apenas oito dias. De qualquer forma, todos eles indicam um cenário de sobrecompra potencial.

Outras fórmulas importantes

Você também verá a chamada fator %D do oscilador estocástico, que é representado por uma linha adicional. Tradicionalmente, esse valor corresponde a uma média de três dias do indicador %K. O cálculo de %D remove boa parte das oscilações de curto prazo no gráfico de %K. Isso gera linhas de tendência mais suaves, que geralmente são mais fáceis de ler. A desvantagem do %D é que as novas tendências emergentes aparecerão mais tarde do que no %K, pois esse valor é uma média móvel.

Em seguida, temos o oscilador estocástico lento. Com o oscilador estocástico lento, o valor %D é tradicionalmente uma média móvel de três dias sobre a média móvel de três dias representada por %K. Calculamos o indicador lento, bem como o indicador médio do indicador principal – que também é conhecido como indicador estocástico rápido. Isso gera um gráfico ainda mais suave, onde os movimentos acima de 80 e abaixo de 20 passam a ser mais raros. No entanto, quando estes ocorrem, podemos considerá-los sinais fortes.

Como ler gráficos com o oscilador estocástico

A seguir, vamos dar uma olhada em dois gráficos de osciladores estocásticos, destacando alguns dos pontos de inflexão que podem ser úteis aos traders. No primeiro gráfico temos o oscilador estocástico tradicional – ou rápido – com uma linha de tendência %D mais suave baseada no fator %K.

gráfico com o oscilador estocástico

O segundo gráfico é o que chamamos de oscilador estocástico lento. Ele exibe a média do nível do índice durante um período mais extenso. Em seguida, temos o fator %D, que se baseia em %K e fornece uma linha ainda mais suave. Quanto mais você estende o período de base para os preços, incluindo os preços máximos, mínimos e atuais, mais uniforme será o gráfico. No entanto, haverá um atraso significativo. A vantagem é que isso pode ajudar a compensar os altos e baixos de curto prazo, os quais podem induzir as pessoas a comprar e vender quando não deveriam.

gráfico com o oscilador estocástico

Você notará no início deste gráfico – após a queda inicial – que a linha %K de curto prazo (roxa) cruza a linha %D (laranja) próximo ao nível de 20%. Muitas pessoas acreditam que isso representa um forte sinal de compra.

Colocando o exemplo em uma linha do tempo

Este foi o início de uma alta no índice. Esse movimento durou até 24 de julho. Após a alta inicial de sobrevenda (momentum mais forte) para sobrecompra (momentum enfraquecido), o oscilador estocástico estava oscilando em torno da linha de 80%. Há um consenso geral de que qualquer valor acima de 80 é potencialmente um sinal de sobrecompra, enquanto qualquer valor abaixo de 20 é potencialmente um sinal de sobrevenda.

Curiosamente, durante a queda de curto prazo no índice entre 24 e 27 de julho, o indicador passou de uma posição de sobrecompra para uma posição de sobrevenda. Quando a linha %K cruzou a linha %D em 27 de julho, isso indicou um novo movimento de alta, o qual continuou até 19 de agosto. Em seguida, uma consolidação de curto prazo fez as linhas de tendência ficarem abaixo do valor crítico de 80%, o que parecia um recuo clássico após uma forte alta. Não muito depois, o gráfico indicava que outra alta era iminente; isso ocorreu no ponto em que as linhas de tendência se cruzaram novamente, durante o movimento de alta. 

Como usar o oscilador estocástico

A chave para usar o oscilador estocástico é encontrar o intervalo de tempo que melhor se adapta à sua estratégia de investimento. Quem busca operações de curto prazo se concentrará em períodos relativamente curtos, o que pode provocar oscilações mais voláteis no indicador. Quem busca a confirmação de tendências de longo prazo estenderá o período usado no cálculo. Esses gráficos são mais suaves e, devido ao atraso prolongado, não são tão suscetíveis a oscilações de curto prazo.

Quais são as melhores configurações?

Há três variáveis a considerar nas configurações do oscilador estocástico:

%K = baseado na quantidade de períodos considerados no cálculo 

Desaceleração = fator da média móvel simples (MMS) aplicado ao %K 

%D = fator da média móvel do %K 

Como mencionamos acima, o oscilador estocástico tem três tipos diferentes:

Oscilador estocástico rápido (tradicional)

%K rápido = cálculo de %K baseado em 14 períodos

%D rápido = MMS de três períodos do %K do oscilador estocástico rápido

Oscilador estocástico lento

%K lento = %K rápido expresso como uma MMS de três períodos 

%D lento = MMS de três períodos do %K lento 

Oscilador estocástico completo

%K completo = %K rápido suavizado ao longo de uma MMS de X períodos

%D completo = MMS de X períodos do %K completo

A beleza desse sistema é o fato de que todas as variações do indicador original produzem números de 0 a 100. Como consequência, é fácil comparar a variação nas linhas de tendência. Quanto maior a quantidade de períodos usada para calcular a média móvel simples, mais suave será a linha. 

Como mencionamos acima, o oscilador estocástico rápido exibirá muitos sinais de possível sobrecompra ou sobrevenda – mas alguns serão inevitavelmente sinais falsos. Como podemos ver nos gráficos acima, o oscilador estocástico rápido pode ser bastante volátil, muitas vezes ficando acima ou abaixo dos níveis de 80 e 20 por apenas breves momentos. No mesmo gráfico, você pode ver as áreas em que o %D (MMS) não é tão volátil e nem sempre fica abaixo ou acima dos níveis 80 ou 20, ao contrário do oscilador estocástico rápido.

Estratégias de trading usando o oscilador estocástico

Há muitas maneiras de usar o oscilador estocástico para abrir e fechar posições – ou até mesmo reduzir sua posição – se o gráfico estiver em um ponto crítico.

Identificando os sinais de sobrecompra e sobrevenda

Como você verá no gráfico abaixo, há diversos sinais muito úteis que podem ajudá-lo a obter ganhos significativos. O primeiro sinal de sobrecompra mostra o valor do oscilador estocástico rápido atingindo o nível de 80% e, em seguida, caindo bruscamente para baixo da MMS de três períodos. Esses pontos de cruzamento são considerados fortes sinais de que o momentum está mudando e que a tendência de curto prazo pode estar prestes a sofrer uma reversão.

A segunda posição de sobrecompra começa a surgir quando o oscilador estocástico rápido e a MMS ficam acima de 80%. Um movimento acima de 80% ou abaixo de 20% não deve ser necessariamente visto como um sinal para vender ou comprar, mas como um aviso de que o momentum pode estar prestes a mudar. Muitas pessoas preferem esperar por uma queda sustentada abaixo de 80% ou acima de 20% antes de reagir, cortando assim um grau de volatilidade que pode criar sinais falsos. É aqui que as linhas de MMS podem ser muito úteis, pois são mais suaves e menos voláteis, embora você não venda necessariamente no topo por conta do atraso.

Você também pode ver os dois sinais falsos de sobrecompra, onde o valor do oscilador estocástico rápido e a MMS ficaram abaixo de 80. No entanto, houve uma rápida reversão conforme o momentum aumentava novamente e o preço voltava a subir. Você verá que, onde houver uma forte tendência de alta que não foi rompida, em algum ponto haverá uma retração, o que pode ser uma oportunidade de compra. É por isso que o oscilador estocástico rápido é mais apropriado para traders de curto prazo e day traders.

exemplo de sobrecompra e sobrevenda com estocástico
Exemplos de Estocástico em Sobrevenda e Sobrecompra

Divergência de alta e de baixa

Em certos momentos, ocorrerá uma divergência de alta ou de baixa entre o gráfico de preço e o oscilador estocástico. Como você pode ver no gráfico abaixo, o ponto mínimo do gráfico indicaria um potencial para mais quedas. No entanto, quando olhamos para o oscilador estocástico, a tendência está se movendo na direção contrária, indicando uma ligeira tendência de alta. Isso pode ser uma indicação de que o ativo atingiu seu valor mínimo, portanto o momentum pode estar prestes a mudar. Um dos principais sinais a serem observados neste gráfico em particular é o oscilador estocástico rápido cruzando a linha da MMS.

É provável que haja uma reversão onde o gráfico principal indica uma tendência de alta, porém o oscilador estocástico mostra uma desaceleração do momentum e uma oscilação em direção a uma tendência de queda. Esses sinais de trading são mais raros, mas muito interessantes, principalmente quando incorporamos linhas de tendência simples ao gráfico de preço.

exemplo de divergência de alta com estocástico
Exemplo de Divergência de Alta

Indicador de tendência de preço

A relação entre o oscilador estocástico rápido e a MMS é muito importante. Como você pode ver no gráfico abaixo, a primeira seção é dominada pela forte tendência de baixa, com o oscilador estocástico rápido e a MMS caindo em paralelo. Em seguida, temos uma rejeição no gráfico e um movimento em um território mais turbulento, com uma óbvia tendência de baixa. Como você verá, ambos os indicadores permanecem abaixo de 20%, sinalizando que o momentum é relativamente fraco. Essa situação continuará até que o oscilador estocástico rápido rompa a linha da MMS e saia dessa área instável.

Essa mudança no momentum é demonstrada pela tendência de alta, embora não seja difícil ver onde o momentum está com base na desaceleração do indicador acima de 80%. Quando a linha de tendência de curto prazo rompe a MMS e fica abaixo de 80%, isso indica ainda outra mudança na tendência, sendo um possível sinal de venda.

Vantagens de usar o oscilador estocástico

O momentum é muito importante durante as operações, e não há dúvida de que o oscilador estocástico é uma ferramenta muito útil nesse sentido. Há uma série de vantagens a serem consideradas, incluindo:

Sensível a mudanças no momentum

Quanto mais curto for o período usado para comparar os preços máximo, mínimo e atual, mais volátil o oscilador estocástico será. O uso de linhas de tendência de MMS também pode criar sinais de compra ou venda muito fortes quando as linhas se cruzam – principalmente acima de 80% e abaixo de 20%. Isso indicaria que a tendência de curto prazo está mudando e, supondo que continue, uma nova tendência seguirá.

Oportunidade de identificar uma divergência de alta ou de baixa

Devido à forma como o oscilador estocástico é calculado, é comum ocorrer uma divergência entre o gráfico de preço e o indicador. Embora o gráfico de preço possa indicar que uma tendência de baixa permanece intacta, o gráfico do oscilador estocástico pode já estar identificando uma mudança no momentum antes mesmo das mudanças de preço. Como você verá no gráfico acima, eles podem ser sinais de trading poderosos. O tempo que você deve esperar para ver se uma nova tendência surge varia entre os traders – tudo depende do quanto você está disposto a arriscar.

A fórmula é flexível

Quanto mais curto for o período em questão, mais volátil será o oscilador estocástico. Embora haja a possibilidade de identificar oportunidades de trading de curto prazo, se você tiver uma estratégia de investimento de longo prazo, é possível estender o número de períodos analisados. Isso achatará a linha do oscilador estocástico rápido, que é mais volátil, e fornecerá uma linha mais suave, o que pode facilitar a identificação de qualquer mudança nas tendências de longo prazo.

Riscos e limitações do indicador

Como acontece com qualquer indicador técnico, o oscilador estocástico não está imune a sinais falsos e, na maioria das vezes, é melhor usado em conjunto com outros indicadores de trading. Alguns dos seus riscos e limitações incluem:

Sinais falsos 

Quanto mais curto for o período durante o qual o oscilador estocástico rápido é calculado, mais volátil ele será. Isso pode criar diversos sinais falsos, embora o impacto possa ser reduzido adicionando uma linha de média móvel simples.

Mercado lateral

O indicador funciona melhor quando há uma nova tendência de alta ou de baixa em formação, ou talvez durante curto período de consolidação antes de a tendência reaparecer. Durante os períodos de mercado lateral, pode haver uma diferença relativamente pequena entre os máximos e mínimos, o que gerará movimentos bruscos no indicador até mesmo com movimentos de preço relativamente pequenos.

As linhas de MMS podem atrasar as mudanças de tendência

O uso de períodos mais extensos para calcular as linhas de tendência %K e %D (MMS) pode facilitar a identificação de mudanças na tendência. No entanto, devido ao atraso, você pode perder um elemento significativo de uma tendência de mudança antes de decidir comprar ou vender. Você pode ajustar as variáveis para o indicador de oscilador estocástico completo de acordo com a sua estratégia de investimento específica, alongando ou encurtando os períodos e ajustando a MMS.

Oscilador estocástico vs. outros indicadores

O oscilador estocástico é extremamente flexível, e você pode ajustar os períodos e as variáveis da MMS de acordo com o seu plano de investimento. No entanto, principalmente ao observar períodos limitados, haverá ocasiões em que o indicador gerará um sinal falso. Portanto, é importante considerar outros meios de análise técnica para esclarecer se uma possível mudança no momento indicado pelo oscilador estocástico também se reflete em outro lugar.

Oscilador estocástico vs. RSI

Embora você possa usar o oscilador estocástico e o RSI (Índice de Força Relativa) para medir a dinâmica do preço, eles se baseiam em princípios muito diferentes. O RSI mede as posições de sobrecompra e sobrevenda, comparando os ganhos recentes com as perdas recentes. A ideia por trás do oscilador estocástico está na suposição de que o preço atual deve seguir a tendência atual. Quando o preço atual se move contra a tendência, isso pode indicar uma mudança no momentum, sendo um possível sinal de compra ou venda. Então qual é melhor? O oscilador estocástico ou o RSI?

Se os dois osciladores indicassem a mesma tendência, este seria um sinal poderoso para os investidores. Por exemplo, se o preço de um ativo estava se movendo em direção à extremidade superior de sua faixa de alta ou baixa mais recente, isso indicaria um momentum positivo. Supondo que o oscilador RSI também mostre uma tendência relativamente forte, isso reduziria as chances de ser um sinal falso. 

Oscilador estocástico vs. MACD

A Média Móvel Convergente e Divergente (MACD) é um indicador de momentum importante, embora seja muito diferente do oscilador estocástico. O MACD é calculado subtraindo a média móvel exponencial de 26 períodos da média móvel exponencial de 12 períodos. Muitos traders usam o indicador técnico MACD junto com o oscilador estocástico, muitas vezes em busca de pontos de cruzamento entre os dois.

Quem está apenas começando pode se perguntar: por que os traders não usam simplesmente três, quatro, cinco ou mais indicadores técnicos em conjunto? A resposta é simples: o lapso de tempo entre os diferentes indicadores técnicos pode confundir a análise da situação. No momento em que vários indicadores diferentes estiverem “alinhados”, você pode acabar perdendo boa parte da tendência. Não há nada de errado em usar apenas um indicador técnico, mas sinais falsos podem ocorrer com mais frequência. Afinal, dois é bom, mas três é demais?

Perguntas Frequentes

O estocástico é um bom indicador?

Alguns traders acreditam que o indicador estocástico cria sinais de compra e venda, mas isso não é verdade. O indicador monitora o momentum, que pode se fortalecer ou se enfraquecer, indicando uma possível mudança na tendência. Uma das maneiras mais comuns de usar o indicador estocástico é manter-se atento aos momentos em que ele fica abaixo de 20 ou acima de 80.

Por exemplo, se o indicador permanecer acima de 80 por algum tempo e, de repente, começar cair, isso pode indicar uma mudança significativa no momentum. Ao usar o fator %K rápido ou lento em conjunto com a média móvel – o fator %D –, um cruzamento entre os dois fornece um grau adicional de confiança de que a tendência está realmente mudando. Essa combinação também pode eliminar os sinais falsos!

Entre o RSI e o estocástico, qual é melhor?

Não é necessariamente o caso de qual é “melhor”, mas sim de qual deles é o mais apropriado para sua estratégia de investimento. O oscilador estocástico admite que o preço de um ativo acompanhará a alta ou baixa recente, dependendo da direção da tendência. O RSI leva em consideração ganhos e perdas recentes para calcular um valor de força relativa. Na verdade, os dois podem se complementar, sendo usados em conjunto por muitos traders.

Quem inventou o oscilador estocástico?

O oscilador estocástico surgiu na década de 1950, quando C. Ralph Dystant foi creditado pela criação da sua fórmula básica. No entanto, George C. Lane foi quem realmente promoveu o uso do indicador, introduzindo o conceito de médias móveis para complementar os cálculos da linha de base. Não é por acaso que os dois trabalharam juntos no curso sobre o mercado de ações de C. Ralph Dystant. Mesmo que você acredite que os indicadores técnicos criam “profecias autorrealizáveis”, não há dúvida de que o oscilador estocástico continua tão relevante – se não mais – quanto era na década de 1950.