Earn2Trade Blog
Padrão de xícara e alça

Padrão de xícara e alça – Como identificar e usá-lo em suas operações?

O padrão de xícara e alça é um indicador de análise técnica popular que ajuda a identificar padrões de continuação de alta. Neste artigo, você aprenderá como funciona o padrão de xícara e alça. Você também descobrirá o que fazer quando o encontrar no gráfico e como melhorar suas chances de fazer operações lucrativas.

Trader patrocinado earn2trade

O que é o padrão de xícara e alça?

O padrão de xícara e alça é um indicador técnico que os traders usam para identificar se o preço de um título negociado continuará seu movimento ascendente. Como o nome sugere, o padrão de gráfico tem a forma de uma xícara de chá com uma pequena alça quando visto com atenção.

O padrão se forma quando o preço do ativo ligeiramente cai, mas depois se recupera de volta ao nível em que a queda começou. Os pontos onde o preço caiu e se recuperou formam um “u”, representando a xícara. A formação é então seguida por uma pequena consolidação ou um leve pullback com pequeno movimento descendente, representando a alça.

O que é o padrão de xícara e alça

Gráfico de um clássico padrão de xícara e alça | Fonte: ig.com

Os padrões xícara e alça funcionam em todos os períodos de tempo, desde gráficos de hora, intradiários, semanais e até mensais.

Os traders procuram os sinais do padrão de continuação no meio de uma tendência existente para identificar oportunidades de compra ideais.

Outros exemplos de padrões de continuação incluem flâmulas, bandeiras de alta e baixa e padrões de triângulo ascendente e descendente.

O analista técnico e trader americano William O’Neill popularizou o padrão de xícara e alça em seu livro How to Make Money in Stocks.

Como funciona

Para entender melhor como o padrão de xícara e alça funciona, é importante descobrir sua história. A ideia por trás do indicador é que, se o preço do ativo cair, mas depois voltar a subir, deve haver um forte impulso de compra em seguida, o que pode elevar ainda mais o preço.

Essencialmente, quando o preço cai, indica que os ursos (aqueles que operam em baixa) dominaram os touros (aqueles que operam na alta), embora temporariamente. À medida que a pressão de baixa se intensifica, o preço cai ainda mais até o ponto em que os touros começam a entrar, criando a curva inferior da taça e continuando o impulso para levar o preço à alta. Isso oferece uma excelente oportunidade para os traders abrirem posições à medida que o preço começa a subir. Também os ajuda a evitar a abertura de posições curtas contra a tendência ascendente.

Como identificar um padrão de xícara e alça

Ao longo dos anos, os traders alteraram os métodos de O’Neill de identificar um padrão de xícara e alça, mas as especificações originais permanecem relevantes.

Por exemplo, ele sugeriu que a profundidade da xícara deveria idealmente ficar entre 12% e 33% em relação à alta original. Isso pode chegar a mais de 40% durante períodos de alta volatilidade.

O formato da xícara tem um período de estabilização na parte inferior, onde o preço do ativo se move lateralmente. Isto é o que forma o fundo arredondado da xícara. Uma vez que a xícara é finalizada, pode haver um recuo de 10% a 15%, criando um canal de preço para baixo que se assemelha a uma alça. A alça precisa ser menor que a xícara e não deve recuar mais de 2/3 da altura da xícara.

Formação da xícara e alça

Ao examinar o histórico de preços recentes de um ativo, existem quatro estágios principais que levam à formação de um padrão de xícara e alça:

  1. Movimento inicial de preços ascendentes – as tendências de alta dos preços, registrando alguns ganhos significativos.
  2. Queda de preço – o preço do ativo cai, criando uma inclinação descendente, mas ainda retém uma parte dos ganhos da tendência de alta inicial.  Isso compõe o padrão “xícara” no gráfico.
  3. Tendência de alta renovada – o preço dos ativos se recupera, subindo ligeiramente além de seu ponto de queda original antes de enfrentar uma resistência de curta duração, causando uma ligeira desaceleração logo abaixo do novo preço de alta.  Isso compõe o padrão “alça” no gráfico.
  4. Continuação do movimento ascendenteum rompimento leva a novas altas de preços, abrindo oportunidades de compra.  
Cup and Handle Formation
4 fases de um padrão de xícara e alça | Fonte: learn.tradimo.com

Como você pode ver no gráfico acima, o padrão de xícara e alça começa depois que o preço se move acentuadamente para cima. A liquidação resultante e as retrações subsequentes são então monitoradas de perto até que a tendência de alta seja retomada. À medida que o preço continua subindo, ele se refaz novamente para formar a parte “alça”, completando assim o padrão.

Como operar com o padrão de xícara e alça

Agora que você entende como os padrões xícara e alça se formam, veja como você pode usá-lo para identificar pontos de entrada, definir stop loss e escolher uma saída lucrativa.

Como operar com o padrão de xícara e alça
Gráfico mostrando como operar um padrão clássico xícara e alça | Fonte: learnstockmarket.in

Como entrar em uma operação

Geralmente, os traders esperam que a alça se forme antes de escolher seus pontos de entrada. A alça geralmente assume a forma de um triângulo descendente ou canal lateral. Quando a alça se forma, os traders normalmente monitoram o preço para ver se ele rompe acima da resistência. Se isso acontecer, significa que o preço deve subir, o que torna um bom momento para entrar na operação.

Tenha em mente que só porque há um sinal de entrada claro não significa necessariamente que o preço aumentará. Ele pode subir um pouco, cair no próximo candlestick ou mover-se para os lados. É por isso que é crucial configurar o stop-loss  antes de iniciar suas operações.

Como definir um stop-loss

Os mercados são imprevisíveis e, às vezes, o oposto do que você espera acontece. Os traders precisam de uma ordem stop-loss para tirá-los de uma operação em tais situações.

Em um padrão de xícara e alça, os traders colocam seu stop loss abaixo do ponto mais baixo da alça (em torno da metade superior do padrão de xícara). Dessa forma, o stop-loss está mais próximo do ponto de entrada, o que ajuda a garantir que, mesmo que o preço caia inesperadamente, a posição não sofrerá grandes perdas antes que o stop-loss seja acionado. Ao mesmo tempo, colocar o stop loss perto do ponto de entrada significa que há muito espaço para a posição crescer quando o preço subir como esperado.

Como escolher uma saída lucrativa

Saber quando sair de uma posição é tão importante quanto saber quando entrar. Ao operar padrões xícara e alça, a regra geral é definir o alvo de saída acima do ponto de rompimento da alça.

A ideia é medir os pontos de preço onde o padrão da xícara se forma. Pegue esse valor e some-o ao preço no ponto de rompimento para chegar onde você deve idealmente definir seu alvo de saída. Por exemplo, digamos que a xícara se forme entre US$80 e US$77, e o preço no ponto de rompimento seja de US$80. O alvo de saída deve ser definido em US$83 (US$3 + US$80).

Vantagens e desvantagens do padrão de xícara e alça

Existem várias vantagens de operar o padrão de xícara e alça.

Por um lado, o padrão é relativamente fácil de identificar em um gráfico graças à sua forma distinta de xícara de chá. Em segundo lugar, é um indicador de continuação de alta relativamente preciso e confiável. E, por último, pode ser uma ferramenta de sinal independente bastante confiável, embora seja sempre melhor utilizar outros indicadores técnicos para confirmações de tendência mais precisas.

Por outro lado, existem certas desvantagens em se operar padrões xícara e alça.

A principal desvantagem é que o padrão pode levar muito tempo para se formar completamente. Isso não é ideal, uma vez que o trader normalmente precisaria esperar que o padrão se formasse antes de entrar em uma posição. Dê uma olhada no gráfico do ouro abaixo, por exemplo. O padrão de xícara e alça começou a se formar em 2011, e sua alça só se formou totalmente no final de 2022.

Vantagens e desvantagens
Xícara e alça no gráfico de ouro | Fonte: tradingview.com

Erros a evitar ao operar o padrão de xícara e alça

Um dos maiores erros ao operar padrões de xícara e alça é não ser paciente o suficiente para esperar até que a alça tenha se formado. E assim os traders acabam comprando muito cedo sem confirmar se a tendência atual continuará subindo. Lembre-se, a alça não deve recuar mais de 2/3 da altura da xícara. Se o preço cair muito perto do fundo da xícara, pode ser um sinal de que outro recuo pode estar próximo.

Os traders também devem saber gerenciar seu risco adequadamente ao operar o padrão de xícara e alça. Como geralmente é um sinal de alta confiável, é fácil supor que ele sempre produzirá sinais precisos. No entanto, os mercados financeiros são complexos e suas respectivas ações de preços podem ser influenciadas por vários fatores. É por isso que os traders experientes devem sempre levar em conta os cenários de incerteza e complementar o indicador xícara e alça com outras ferramentas técnicas de trading.

Pontos-chave 

  • O padrão de xícara e alça ajuda a identificar a tendência dos preços dos ativos em um padrão de retenção temporário.
  • É um padrão de continuação de alta, indicando que uma tendência de alta existente pode continuar se o preço romper para fora do padrão.
  • Identificar um padrão de xícara e alça em um gráfico é relativamente simples porque sua forma se assemelha a uma xícara de chá com uma alça.
  • A parte da xícara do padrão começa a se formar quando um preço em movimento ascendente atinge a resistência e, em seguida, inverte-se formando um fundo; e termina quando o preço atinge o suporte e inverte a direção novamente, desta vez subindo.
  • A alça se forma quando o preço experimenta um recuo curto e cai ligeiramente antes de atingir um suporte mais alto e subir novamente. A alça não deve recuar muito perto do fundo da xícara.
  • Uma vez que o padrão de xícara e alça tenha sido concluído e o preço tenha rompido acima da resistência da alça, geralmente é um sinal de que a tendência de alta atual pode continuar, o que indica um sinal de compra.