pt
en
es
ar

Blog

Guias de trading, webinários e histórias

Futuros de Petróleo – As 7 Coisas que Você Precisa Saber para Operar

petróleo futuro
F T L
16 minutos de leitura
Não tem tempo? Confira o infográfico

Para você se tornar totalmente preparado e aprender a operar futuros de petróleo com sucesso, você deve primeiro começar a entender os conceitos básicos dessa commodity. Dessa forma, você será capaz de explicar os principais fatores do preço e fazer melhores previsões e análises mais precisas. Sempre que muitos ouvem o termo “commodity” a primeira coisa que vem a mente é o petróleo. Isso ocorre por conta da popularidade do petróleo bruto. Ele atinge quase todos os setores da economia global e contribui enormemente para moldar o mundo como o conhecemos. Ele afeta todas as nossas atividades diárias e está presente em tudo que nos rodeia.

Embora o mundo esteja buscando ativamente maneiras de encontrar recursos sustentáveis e ecológicos, espera-se que o petróleo continue mantendo sua posição de liderança no mercado de commodities a longo prazo.

Eventos relacionados ao petróleo dominam as notícias globais diariamente. Desde o maior IPO da história, passando pela constante volatilidade e liquidez, até as guerras comerciais globais e os conflitos militares – o petróleo tem sido um dos pilares dos eventos mais significativos das últimas décadas. No entanto, embora a mercadoria seja tão popular, continua sendo um instrumento muito difícil de prever e os investidores geralmente lutam para ter operações bem-sucedidas.

Conteúdo:

Conhecendo os futuros de petróleo

O petróleo está em toda parte ao nosso redor. Quando você acende a luz, quando cozinha o jantar, quando dirige o carro, ou até mesmo quando escolhe suas roupas – todas essas atividades cotidianas estão relacionadas ao petróleo bruto. Mas como assim?

Os organismos vivos que morreram milhares de anos atrás se decompuseram com o tempo e se misturaram com o solo. Sob vários fatores externos, como chuva, vento e luz solar, eles se transformaram nos chamados “combustíveis fósseis”. Carvão, gás e petróleo bruto – todos esses são exemplos de combustíveis fósseis populares. Eles são encontrados profundamente abaixo da superfície do solo nas várias camadas da Terra. O petróleo bruto, por exemplo, está presente principalmente em rochas sedimentares na crosta terrestre. Com o tempo, a mistura de diferentes moléculas orgânicas deixadas pela vida marinha morta combinada com sedimentos e sob a influência de outros fatores naturais formaram, em conjunto, o petróleo bruto. No entanto, o petróleo bruto nem sempre é o mesmo, sua composição pode variar dependendo da sua localização geográfica.

Uso de derivados de petróleo
O uso de derivados de petróleo

O petróleo bruto pode ser extraído do solo de três maneiras principais. A primeira é chamada de “recuperação primária” e é relativamente mais direita quando comparado as outras. É aplicada quando, sob a influência da pressão do solo, o óleo sobe naturalmente para a superfície e pode ser coletado diretamente. O próximo método é chamado de “recuperação secundária”. Requer uma injeção de água ou gás no reservatório de óleo para movê-lo para a superfície para coleta. O terceiro é chamado de “Recuperação Melhorada de Petróleo” (EOR em Inglês) e também se baseia no uso de aditivos (água, gás ou polímeros) para afetar a estrutura do reservatório do petróleo e fazê-lo fluir suavemente para a superfície para coleta. Enquanto a recuperação primária geralmente coleta 10% do petróleo no reservatório, a recuperação secundária é responsável por 20% a 40%. A EOR é a metodologia mais eficiente, pois recupera de 30% a 60% do suprimento do reservatório.

Hoje, o petróleo pode ser encontrado em qualquer lugar – desde a produção de gasolina, diesel e querosene, passando pela indústria têxtil, cosméticos, aço, pneus e fertilizantes, plásticos, asfalto, filtro solar e até mesmo smartphones. De fato, quando combinado com outros produtos químicos e matérias-primas, o petróleo bruto é a base de mais de 6.000 produtos diferentes. No entanto, embora o recurso seja tão importante e amplamente adotado, é importante saber que ele não é útil para uso direto. Antes de tudo, o petróleo bruto deve ser refinado e separado em vários produtos petrolíferos, todos com aplicações diferentes.

Você também pode gostar:

O mercado futuro de petróleo

Os contratos futuros de petróleo são o método mais usado para comprar e vender petróleo. Eles são usados não apenas por traders, mas também por importadores e exportadores que buscam proteção contra eventos inesperados que podem ter um efeito adverso na volatilidade do preço do petróleo.

Os contratos futuros de petróleo são operados em bolsas de valores sob a forma de diferentes parâmetros de referência. A ideia de ter uma referência é ajudar os comerciantes a identificar a qualidade e a origem do petróleo que estão operando. Como o petróleo pode ter uma qualidade diferente dependendo do local de perfuração, é sempre importante que os comerciantes se familiarizem com os detalhes, pois eles podem influenciar o preço da mercadoria (por exemplo – se o petróleo vier do Iraque e o seu maior importador introduzir uma restrição de comércio contra ele, o custo por esta commodity pode ser completamente influenciado).

Especificações

Símbolo do produtoCL
Tamanho do contrato1.000 barris (aprox. 136 toneladas)
Flutuação de preçosUS$10,00 por contrato (US$0,01 por barril)
Meses de operaçãoContratos mensais listados para o ano atual e os próximos 10 anos civis e 2 meses de contrato adicionais. Lista os contratos mensais para um novo ano civil e 2 meses adicionais após o término da operação no contrato de dezembro do ano atual.
Último dia de operaçãoA operação termina 3 dias úteis antes do vigésimo quinto dia do mês anterior ao mês do contrato. Se o vigésimo quinto dia do calendário não for um dia útil, a operação terminará três dias úteis antes do dia útil anterior ao vigésimo quinto dia do calendário.
Horários de operaçãoDomingo – sexta-feira: 18:00 às 17:00 (17:00 – 16:00 CT) com um intervalo de 60 minutos por dia, começando às 17:00 (16:00 CT)
Fonte: CME

As duas referências de petróleo mais populares são a West Texas Intermediate (WTI) e o Brent Crude. O WTI é perfurado principalmente nos EUA, em estados como Texas, Dakota do Norte e Louisiana. O Brent Crude, por outro lado, é perfurado a partir de campos de petróleo de vários locais, como o Mar do Norte, Oseberg, Ekosfisk e outros perto das margens da Noruega e do Reino Unido. Como o petróleo é perfurado tão perto da costa, é relativamente fácil e barato transportá-lo internacionalmente.

Para monitorar o preço desta commodity, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP)1 criou a chamada “cesta”. O preço da cesta da OPEP pega os preços pelos quais a mercadoria é operada nos países membros separadamente e calcula a média. Normalmente, os preços da OPEP são mais baixos porque o petróleo de alguns dos países, incluídos na cesta, têm maior teor de enxofre (o que o torna menos útil para aplicações relacionadas a combustíveis).

Dicas de como operar futuros de petróleo

John Maynard Keynes disse que só se deve investir no que se conhece e no que se entende. Embora o petróleo bruto seja uma das commodities mais populares em todo o mundo, muitos investidores lutam para entender o básico e entender a mecânica dos preços da commodity. Vale a pena saber que o preço do petróleo não é impulsionado apenas pela oferta e demanda. Existem muitos outros motivos e fatores externos que podem influenciar seu preço e trajetória futura. Para entender melhor, vamos nos aprofundar em algumas das características desta commodity:

1. O petróleo tem fornecimento finito

A teoria econômica básica sugere que um bem com oferta finita apenas aumentará seu valor ao longo do tempo. No entanto, o caso do petróleo bruto é único, uma vez que o petróleo bruto adicional é frequentemente descoberto e sua produção é controlada. Embora as reservas de petróleo do planeta cheguem ao fim em algum momento (os especialistas sugerem que a Terra ficará sem petróleo em cerca de 30 anos, considerando a atual taxa de uso), há sinais promissores de que a humanidade tentará mitigar o efeito migrando para tecnologias e produtos sustentáveis, nos quais o petróleo bruto não é um ingrediente-chave.

Embora um Estudo Geológico Canadense, realizado em 1975, tenha concluído que é provável que todos os grandes reservatórios de petróleo já tenham sido encontrados, hoje em dia novas fontes ainda estão sendo descobertas. No entanto, isso não significa que seremos capazes de para sempre. Isso apenas prolonga o momento em que o suprimento de petróleo chegará ao fim. E, como qualquer outra commodity, o preço dos contratos futuros de petróleo (CL) depende da oferta e demanda.

Além disso, a OPEP estabelece cotas de produção para os países membros e tenta controlar a relação oferta/demanda, a fim de manter a estabilidade dos preços, no entanto, existem fatores fora de seu controle que podem afetá-los a longo prazo. E, é claro, independentemente de quantos campos de petróleo são descobertos ou de quanto é regulamentada a produção desta commodity, devemos nos lembrar do fato de que a produção e o suprimento de petróleo são finitos.

Então, por que a regulamentação do preço do petróleo é tão importante? A verdade revela a importância fundamental do petróleo, porque mudanças em seu preço podem influenciar diretamente muitas outras indústrias. Por exemplo, o preço do petróleo determina aproximadamente 55% do preço da gasolina e 96% do custo dos serviços de transporte. O efeito em cadeia de tudo isso é conhecido, pois afeta tudo, desde produtos industriais e manufatura, passando pela eletricidade, até os preços dos alimentos. Resumidamente – o preço do petróleo é tão sistemicamente importante que pode gerar inflação.

2. O que altera o preço do petróleo? 

O petróleo bruto é frequentemente considerado um indicador útil do estado da economia global. Para entender o porquê, devemos, em primeiro lugar, focar nos dois principais fatores que influenciam seu preço:

O fator econômico

Em recessões ou períodos com baixo crescimento econômico, as pessoas geralmente buscam maneiras de cortar seus custos. Uma das principais despesas do orçamento familiar é o custo do combustível. É por isso que, se a economia está em mau estado, os indivíduos tendem a dirigir com menos frequência. As companhias aéreas também testemunham uma queda no número de passagens vendidas, pois as pessoas não têm o poder de compra para viajar ao exterior, e não podem viajar o tanto quanto quando a economia está em expansão. Isso significa que há um declínio geral na demanda por petróleo que influencia diretamente seu preço.

O fator geopolítico

O cenário político global é outro fator prejudicial quando se trata do preço do petróleo. Guerras (pense no Afeganistão e no Iraque) e turbulências políticas muitas vezes levam a mudanças no custo da commodity. Por exemplo, quando a guerra civil da Líbia começou em 2011, os preços do petróleo subiram 25% no período de apenas alguns meses. Vale a pena notar também que alguns dos maiores produtores de petróleo do mundo são países e regiões conhecidos por seu ambiente político frágil. Uma grande parte da produção de petróleo bruto vem da Arábia Saudita, Kuwait, Nigéria, Rússia e outros.

Além desses dois, existem outros fatores secundários que podem influenciar o preço do petróleo. Por exemplo, pense no fator sazonalidade. Durante o verão, as pessoas costumam viajar mais e desfrutar de férias em destinos mais exóticos. Isso significa que há uma demanda maior por combustível. No entanto, durante os períodos mais frios do ano, as famílias têm custos e demanda de energia muito mais altos para aquecer suas casas.

3. Previsão de preço do petróleo

Em um evento em julho de 2015, conversávamos com um dos especialistas mais reconhecidos na indústria de petróleo do mundo. Ele está em uma posição administrativa crucial em uma das três principais empresas de produção de petróleo do mundo. Sua assinatura autoriza o lançamento de milhões de operações de pesquisa em bacias ao redor do mundo. Ele nos disse naquela época que estava disposto a fazer uma aposta com alguém, e por qualquer coisa, que o preço do petróleo fecharia o ano em nada menos que $65 por barril (na época, ele custava aproximadamente $56 por barril). É claro que não tivemos a coragem de arriscar apostar contra um especialista em seu campo e decidimos apenas observar seu prognóstico. Cinco meses depois, o preço dos contratos futuros de petróleo bruto (CL) fechou o ano a US$37 por barril.

O que esse exemplo nos mostra, é que mesmo os maiores players do setor frequentemente lutam para obter um prognóstico preciso e podem sair dos limites com suas estimativas de preço. Warren Buffet tem uma citação muito interessante que é totalmente legítima quando se trata também de futuros de petróleo:

“Há muito que sentimos que o único valor dos analistas de ações é fazer com que os adivinhos pareçam bons.”

Warren Buffett

Prever os preços futuros de petróleo está entre as tarefas mais difíceis para analistas de commodities. Frequentemente chamado de “oeste selvagem” dos mercados financeiros, o comércio de futuros de petróleo tem a reputação de ser um processo muito volátil e dinâmico. Tudo isso por causa dos múltiplos fatores que podem influenciar no preço desta commodity, bem como a mecânica da operação de futuros. Por exemplo, como os futuros têm prazo de validade e perdem muito de seu valor à medida que se aproximam do vencimento, os comerciantes geralmente precisam agir rapidamente. Isso cria pressão, que às vezes é muito difícil de suportar para iniciantes.

Embora seja difícil determinar o preço exato dos contratos futuros (CL) de petróleo, você deve fazer sua lição de casa e basear suas decisões comerciais em pesquisas e análises adequadas, incluindo, entre outros, gráficos de oferta e demanda, cenário político atual, padrões climáticos, sazonalidade, progresso em outros campos (combustíveis alternativos, por exemplo) e assim por diante.

Por último, mas não menos importante, não se esqueça de que, mesmo depois de fazer todo o dever de casa, o mercado futuro de petróleo ainda pode surpreendê-lo com um evento inesperado. É o caso de Stephen Perkins – um funcionário da PVM Oil Futures, com sede em Londres, que depois de um fim de semana bebendo muito negociou 7 milhões de barris de petróleo, no valor de aproximadamente US$520 milhões no período de 2,5 horas. O caso ocorreu em junho de 2009 e resultou em um aumento de preço mundial de US$1,5 por barril para o Brent Crude (de US$71,40 para US$73,50 por barril). Foi seguido por um forte revés no mercado. Esse aumento de preço geralmente está associado a grandes eventos geopolíticos.

4. Relatórios e análises do setor petrolífero

Embora os movimentos do preço do petróleo sejam imprevisíveis, é muito importante acompanhar os desenvolvimentos do setor e os possíveis eventos de movimentação de preços. É por isso que é uma boa ideia ficar de olho nos relatórios semanais da Energy Information Administration (EIA). Eles medem a variação semanal no número de barris de petróleo bruto comercial detidos por empresas dos EUA. Isso pode ajudá-lo a ter uma ideia de possíveis movimentos de preços de produtos petrolíferos, que podem afetar diretamente na inflação. Por exemplo – se houver um aumento nos estoques de petróleo, haverá uma demanda mais fraca que diminuirá o preço e vice-versa. Os relatórios são emitidos semanalmente e divulgados toda quarta-feira, por volta das 22:30 ET.

Administração de Informações sobre Energia (EIA)

  • Liberação semanal
  • Medem a variação semanal no número de barris de petróleo bruto comercial detidos por empresas dos EUA

Instituto Americano de Petróleo (API)

  • Liberado toda quarta-feira
  • Destaca os produtos petrolíferos mais importantes que representam mais de 80% da produção total das refinarias

O American Petroleum Institute (API) também emite um relatório muito útil para os traders. A análise estatística semanal destaca os produtos petrolíferos mais importantes que representam mais de 80% da produção total da refinaria, e também estão incluídos os estoques de petróleo bruto. Esses dados geralmente são divulgados na terça-feira às 16:30/21:30, horário de Londres.

5.  Principal razão do efeito estufa

Embora o petróleo continue sendo o combustível mais popular e eficiente, seus dias podem estar contados devido aos danos que causam ao nosso planeta. O processo de queima de óleo e gasolina libera CO2 no meio ambiente. O gás permanece na atmosfera e age como um cobertor que cobre a terra – captura o calor que retorna da superfície e cria o chamado “efeito estufa”.

Segundo os ambientalistas, desde 1880, a queima de óleo resultou em um aumento de 43% nas emissões de CO2, o que elevou a temperatura global em 1°C. Além disso, a pior parte é que todo esse processo ainda continua. As consequências do aquecimento global são bem conhecidas – desde o aumento de secas e ondas de calor, passando por incêndios e furacões, e até mesmo invernos mais curtos e mais frios e verões mais longos e mais quentes. É por isso que a humanidade está buscando maneiras de se afastar do petróleo e encontrar alternativas que nos ajudarão a conservar nosso planeta.

Novas fontes de energia (também conhecidas como energia verde) são desenvolvidas e testadas a todo momento. A adoção convencional de novas fontes de energia que, sem dúvidas, se tornarão realidade em algum momento, reduzirá drasticamente o preço do petróleo. É por isso que os maiores produtores do “ouro preto” começaram a buscar outras formas de manter sua taxa de crescimento econômico e se preparar para um futuro com menos petróleo.

“Há uma necessidade urgente de parar de subsidiar a indústria de combustíveis fósseis, reduzir drasticamente o desperdício de energia e mudar significativamente nossas fontes de energia de petróleo, carvão e gás natural para fontes de energia eólica, solar, geotérmica e outras fontes de energia renováveis.

Bill McKibben

6. A produção de petróleo é um processo demorado

A produção de petróleo requer anos de pesquisa e muitos investimentos. Pense no processo como algo semelhante à indústria farmacêutica – há anos de análises laboratoriais e, no final, o resultado ainda pode não ser tão satisfatório quanto o planejado. É por isso que, nas últimas décadas, as empresas de petróleo tentaram mudar sua trajetória em uma tentativa de reduzir custos. Hoje, uma empresa de petróleo começará a perfurar quando estiver quase 90% confiante sobre a qualidade e a quantidade de petróleo que será capaz de extrair do solo. E ainda hoje, muitas empresas gastam milhões de dólares em projetos que não atendem ao seu potencial inicial e ROI estimado.

O “relatório “Spotlight on Megaprojects of Oil and Gas ” da EY” afirma que os “megaprojetos” estão se tornando a norma na indústria. Ele também acrescenta que a era do “petróleo fácil” está chegando ao fim e as empresas estão agora buscando maneiras adicionais de extrair petróleo. No entanto, todas essas metodologias alternativas (gás de xisto, óleo leve, areias petrolíferas, águas ultraprofundas etc.) requerem investimentos maciços. Estes megaprojetos geralmente falham com a entrega no prazo ou nos seus orçamentos iniciais – as estatísticas da EY apontam que 64% dos megaprojetos estão enfrentando excedentes de custo, enquanto 73% relatam atrasos no cronograma. Ele acrescenta que os custos de conclusão são 59% mais altos do que o inicialmente esperado, o que representa um custo incremental de US$500 bilhões.

Mas porque isso é importante para você, como trader? Ao operar futuros de petróleo (CL), você deve estar totalmente ciente de todos os desenvolvimentos na indústria – não apenas os atuais, mas também aqueles que ocorreram nos últimos anos. Se, por exemplo, houver um grande projeto de pesquisa que está entrando em sua fase final e em breve revelar se uma determinada bacia possui abundantes recursos petrolíferos, você deve esperar e acompanhá-la, pois isso terá um efeito notável no preço da commodity. A incerteza em torno dos megaprojetos (se eles se provarão como um sucesso ou não) geralmente leva ao aumento da volatilidade dos preços. Combine isso com os desenvolvimentos econômicos globais em andamento ou com uma situação macroeconômica instável e você acabará em uma situação difícil de navegar, na qual terá que proteger seu portfólio contra futuras perturbações no mercado.

7. Recomenda-se a operação de contratos futuros (CL) de petróleo após o backtesting inicial

Muitos traders cometem o erro de se jogar de cabeça de uma vez. Embora isso às vezes funcione com instrumentos nos quais você compra o mercado (ETFs) e capta uma tendência de longo prazo, quando se trata de futuros de petróleo, as coisas são exatamente o oposto. Mesmo os profissionais mais informados e instruídos costumam ter períodos em que encontram dificuldades para se manter lucrativos.

É por isso que, antes de arriscar dinheiro real, a melhor coisa a fazer é se concentrar em horas de pesquisa preliminar. Ou, em outras palavras – testar novamente a sua estratégia inicial e ver como ela teria se saído caso você a tivesse aplicado alguns anos atrás. Esses cenários de trading são tratados por meio de um software estatístico como o R ou Python, além de planilhas pré-programadas ou recursos integrados nas plataformas de trading mais populares. Então, realmente existem muitas opções para escolher. Depois de escolher uma ferramenta de backtesting adequada, teste sua estratégia não apenas olhando o passado, veja também em tempo real, usando a simulação da atividade real de operação. Dessa forma, você será capaz de entender em detalhes o desempenho do seu plano de operação no atual ambiente de mercado. Antes de você arriscar dinheiro real…

  • A melhor coisa a fazer é se concentrar em horas de pesquisa preliminar.
  • Teste novamente sua estratégia inicial e veja como ela teria se saído através do software estatístico, como o R ou o Python.
  • Depois de escolher uma ferramenta de backtesting adequada, teste sua estratégia não apenas olhando para trás, veja também em tempo real, usando a simulação da atividade real do trading.

Lembre-se de que quanto mais backtests você fizer, mais informações coletará e melhor será a análise que poderá fazer. Ao analisar o desempenho de sua estratégia em diferentes condições de mercado (baixa/alta demanda por petróleo futuro, períodos de maior volatilidade, desempenho da commodity durante guerras comerciais ou conflitos globais, dependência do fator de sazonalidade, etc.), você estará mais preparado para o que esperar no futuro, tornando-se um trader melhor e mais confiante. Isso também ajudará você a criar um plano de trading aceitável e uma expectativa de lucro positiva para seus os seus trades. Ao seguir o plano, você será capaz de controlar suas emoções, respeitar o risco e tornar-se mais equilibrado em suas decisões, evitando assim as perdas devastadoras típicas para os traders precipitados nos mercados de futuros de petróleo.

Conclusão

A operação de futuros (CL) de petróleo é um dos nichos mais lucrativos. No entanto, também é um dos mais arriscados. Os traders costumam se envolver devido às enormes oportunidades de lucro. Cegos pelos retornos em potencial extremos, muitas vezes esquecem como controlar suas emoções e de como navegar por um nicho tão dinâmico. No entanto, esse excesso de excitação geralmente leva a resultados negativos. De traders corporativos a individuais – muitos acabaram subestimando os riscos das operações de futuros de petróleo, que resultaram em alguns dos maiores prejuízos da história.

A coisa boa, porém, é que, se você faz sua lição de casa e segue suas habilidades de intuição e trading com conhecimento grande conhecimento conhecimento do setor, o trading de futuros de petróleo certamente pode se tornar uma carreira para você em período integral. Certifique-se de criar um plano de trading concreto e cumpri-lo, não importa o que aconteça. Dessa forma, você permanecerá focado e poderá operar de maneira equilibrada e organizada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Retração de Fibonacci – O que é e como usar

Conta de Trading Financiada – Como se tornar um trader financiado

Média Móvel Exponencial – Estratégias e dicas da MME