Ronald Wayne

blog ad pt e2t

Você consegue imaginar ter 10% das ações da Apple? Por quanto seria possível vendê-las? Ronald Wayne pode responder essa pergunta melhor do que ninguém:

“Se eu tivesse ficado na Apple, eu provavelmente seria o homem mais rico do cemitério.”

A frase acima é uma referência a uma fala famosa de Steve Jobs, que fundou a Apple junto com Steve Wozniak. Mas esses dois não são os únicos cofundadores da Apple. Há um terceiro cofundador que tinha 10% das ações – seu nome era Ronald Wayne. Leia um pouco sobre ele aqui.

Você também pode gostar:

Ronald Wayne e a Apple

Ronald Wayne tinha 40 e poucos anos quando a Apple começou, em 1976. Woz tinha 26, enquanto Jobs tinha apenas 21. Wayne havia trabalhado com os dois Steves na Atari. Quando os Steves deixaram a empresa em 1976 e fundaram a Apple em Cupertino, na Califórnia, eles logo tiveram um desentendimento. Os dois respeitavam Wayne e o chamaram para resolver a situação, e ele resolveu tudo tranquilamente.

Jobs percebeu o valor de Wayne para a startup e lhe ofereceu 10% de participação na empresa. Ronald Wayne aceitou a oferta e todos assinaram o contrato de parceria.

Em seguida, Jobs fechou um contrato com uma loja para a venda de US$15.000 em computadores. Wayne ouviu falar que essa loja nem sempre pagava e ficou preocupado que ele seria o alvo escolhido pelos credores. Apenas 12 dias após a parceria, ele vendeu sua parte por US$800, que hoje valeria mais de US$100 bilhões.

Ronald Wayne tomou mais uma péssima decisão relacionada à Apple. Em 2000, Wayne ainda tinha o documento de parceria original. Ele decidiu vendê-lo a um colecionador de autógrafos por US$500, mas esse mesmo colecionador conseguiu vender o documento em um leilão por US$1,6 milhão.

blog ad pt e2t