Earn2Trade Blog
setup trader dicas para otimizar resultados

Setup trader: entenda como funciona e confira dicas para otimizar seus resultados

O setup trader é uma ferramenta muito importante para qualquer pessoa que quer entrar no mercado de ativos e lucrar com ele.

Por meio de um bom setup, é possível embasar todas as suas decisões de compra e venda de ativos com base em indicadores do mundo real.

Trata-se, no fim das contas, de uma maneira de diminuir os riscos envolvidos com a compra e venda de ativos na bolsa de valores.

Por isso, hoje a Earn2Trade vai te ensinar tudo o que você precisa saber sobre setup trader. 

Boa leitura!

Conheça o Gauntlet Mini, o caminho mais curto para se tornar um trader profissional!

Trader patrocinado earn2trade

O que é setup trader?

O setup trader nada mais é do que um conjunto de regras que o trader adota para atingir os seus objetivos durante suas operações.

Em outros termos, trata-se do motivo por trás de cada compra e de cada venda realizada por esse profissional no seu dia a dia.

Por exemplo, quando sai no jornal que o Ibovespa disparou, muitas pessoas saem correndo para comprar ações na hora.

Isso é um exemplo de setup trader, embora seja muito ruim, pois, nesse caso, não há nenhuma estratégia.

Um bom setup trader, no fim das contas, deve ser baseado em probabilidades, estatísticas e dados do mundo real.

Como um setup trader funciona?

Em linhas gerais, um bom setup trader leva em consideração pelo menos 3 condições para trabalhar com qualquer tipo de operação.

Como cada trader trabalha com suas próprias perspectivas e objetivos, o setup é bastante pessoal, como se fosse a “caligrafia” do trader.

Contudo, em todos os casos, invariavelmente o setup trader será composto de 3 parâmetros: o gerenciamento de risco, o gatilho de entrada e o gatilho de saída.

Entenda mais sobre cada um deles nos tópicos a seguir:

1. Gerenciamento de risco

O gerenciamento de riscos nada mais é do que o processo de planejar, organizar e controlar os recursos financeiros e técnicos das suas operações.

Todo esse procedimento é fundamental para minimizar as perdas e aproveitar as melhores oportunidades que o mercado tem a oferecer.

Por isso, um bom gerenciamento de riscos acaba dependendo, fundamentalmente, de dois fatores: o técnico e o financeiro.

Os fatores técnicos levam em consideração aspectos estratégicos da operação, como o stop, ou seja, até onde o trader aceita permanecer em uma operação caso ela dê errado. 

Já o fator financeiro diz respeito a educação básica do trader a respeito da própria vida financeira, ou seja, o controle de ganhos e perdas.

2. Gatilho de entrada

O gatilho de entrada pode ser entendido como qualquer evento que atenda aos critérios para iniciar uma transação automatizada com valores mobiliários que não requeira a entrada adicional de um negociador.

Trata-se de uma condição de mercado, como a alta ou queda no preço de índice ou título, por exemplo, que acaba disparando uma sequência de negociações.

No gatilho de entrada, após um evento específico ocorrer, a compra de um determinado ativo é feita de maneira automática.

3. Gatilho de saída

Já o gatilho de saída é basicamente a mesma coisa que o gatilho de entrada, ou seja, um evento que engatilha uma transação automatizada de valores mobiliários sem requerer a entrada adicional de um negociador.

Contudo, diferentemente do gatilho de entrada, no gatilho de saída, após o evento específico acontecer, o ativo financeiro é vendido, não comprado.

Como definir seu próprio setup trader?

Todo e qualquer trader de alta performance deve possuir uma estratégia muito bem definida antes de começar a negociar ativos no mercado.

Algumas estratégias são mais complexas do que outras, e envolvem, por exemplo, o uso de diversos indicadores, enquanto outras são mais simples e objetivas.

No fim das contas, não existe uma técnica mais correta e que vá funcionar sempre. É papel de cada trader definir sua estratégia e seu próprio jeito de operar.

Ainda assim, existem algumas dicas que podem ser dadas para quem está iniciando nesse mercado. Confira algumas delas a seguir:

Conheça o seu perfil investidor

Conhecer o seu perfil investidor é o primeiro passo para começar a montar a sua estratégia.

Existem traders que preferem operações mais longas, deixando o gráfico desenvolver bem suas tendências, para só então surfar nos seus movimentos.

Por outro lado, também existem traders que preferem movimentos mais curtos e operações de scalping ou day trading, aproveitando pequenas distorções nos preços para realizar um lucro em um prazo bem menor.

Ou seja, um trader com um perfil mais voltado à operações longas irá identificar um padrão gráfico que sugere um movimento forte de tendência de alta.

Em seguida, ele fará suas entradas e planejará um alvo e um stop de acordo com a amplitude do movimento, acompanhando o desenvolvimento e aguardando pacientemente.

Já o trader com perfil para operações de scalping, ao longo de um mesmo movimento, irá realizar operações mais rápidas.

Essa estratégia, por sua vez, está pautada na análise para entrada e saída, aproveitando pequenos sinais de oscilação para validar as operações e avaliando o risco e o possível retorno de cada uma delas.

Defina uma técnica de análise

Assim como o seu perfil investidor, o seu método de análise também deve ser bem definido.

Na modalidade de day trade, por exemplo, existem, via de regra, dois tipos de análise: a análise técnica, que estuda os movimentos dos preços através do gráfico, e a análise de fluxo, que tenta identificar os movimentos através do fluxo de ofertas.

Nessa etapa, o importante é embasar sua estratégia em alguma dessas análises, ou então mesmo nas duas ao mesmo tempo.

O segredo está justamente no embasamento do seu setup em análise, seja ela de análise, de fluxo ou ambas. O importante é que ela complemente a sua estratégia.

Estude os ativos em que vai aplicar

Se você quer garantir uma maior assertividade nos seus investimentos, então é fundamental estudar o ativo onde você pretende aplicar sua estratégia.

É essencial ter uma noção de que cada ativo possui suas correlações e que os seus movimentos não acontecem sem motivo.

Por exemplo, caso você invista no mini dólar, é importante ficar por dentro das notícias que impactam a cotação do dólar.

Além disso, também é fundamental, nesse caso, saber quem são os maiores players que atuam nos contratos de dólar para planejar sua estratégia com base nos movimentos desse ativo.

Monte um arsenal de indicadores e ferramentas

Por fim, uma vez que você tenha todas as informações anteriores bem definidas, é hora de estruturar os recursos que você vai utilizar. 

Aqui é a hora de utilizar todas as funcionalidades que você possui para dar suporte à criação do seu setup trader.

Nesse sentido, é possível fazer o uso de indicadores para apoiar suas entradas, como médias móveis, volume, MACD etc.

O objetivo dessa etapa é coletar indicadores que validem a sua posição, seja ela uma entrada ou um stop.

Além disso, você também pode utilizar outras ferramentas, como o Volume Profile, que mostra os volumes de negociação por nível de preço, ou até mesmo o Mapa de Fluxo, uma ferramenta que transforma as negociações realizadas em um mapa interativo.

O segredo é testar cada uma das ferramentas individualmente e depois em conjunto e só então realizar uma filtragem.

Lembre-se: você só deve incluir o que você julgar interessante, excluindo o que não se adequar ao objetivo da sua estratégia.

Como saber se um setup trader é confiável?

Para que você saiba com certeza se a sua estratégia é vencedora ou não, é fundamental que você teste ela constantemente.

Você precisa colocar o seu setup à prova em diversas situações, ou não saberá a real eficiência dele dentro da sua estratégia.

Só assim você irá entender como ele reage e, o mais importante, como você irá reagir frente a cada situação colocada pelo mercado.

Se o seu setup é objetivo, por exemplo, uma das formas mais eficientes de verificar sua efetividade é fazendo um backtest.

Você pode fazer isso de maneira totalmente automatizada, onde a própria plataforma bota a sua estratégia à prova em diferentes situações.

Contudo, lembre-se: sua estratégia não precisa ser perfeita. Ela deve, na verdade, ser lucrativa, pois esse é o objetivo final.

Pense: do que adianta uma estratégia que tem 90% de acerto se quando você tem um loss, você perde mais de 20 vezes do que ganhou?

Portanto, mais importante do que assertividade é ficar de olho na lucratividade do seu setup.

Somente assim você irá conseguir atingir altos índices de retorno com a sua operação.

Conheça o Gauntlet Mini, o caminho mais curto para se tornar um trader profissional!

Conclusão

Como vimos ao longo do texto, o setup trader é uma ferramenta essencial para todo aquele que deseja começar a negociar ativos no mercado financeiro com um bom embasamento na hora de tomar suas decisões de compra e venda.

Isso porque essa ferramenta ajuda os traders de qualquer tipo de estratégia com indicadores e outras informações importantes para uma tomada de decisão embasada na realidade.

Além disso, por meio de um setup trader, é possível automatizar diversas situações de entrada e de saída, economizando tempo e dinheiro com operações.

E aí? Gostou de saber como funciona um setup trader? Então não deixe de conferir o Gauntlet Mini, o caminho mais rápido para se tornar um trader profissional! Muito obrigado pela leitura.

Trader patrocinado earn2trade