pt
en
es
ar

Blog

Guias de trading, webinários e histórias

Títulos do Tesouro – Entenda o que são e como operar

Títulos do Tesouro
F T L
13 minutos de leitura
blog ad pt e2t

Quando se trata de investimentos de baixo risco, nada é mais conservador que os títulos do Tesouro dos EUA. Muitos investidores recorrem a esses instrumentos para preservar seu capital em tempos de turbulência nos mercados financeiros. Na verdade, há poucas oportunidades de investimento com tanta garantia para rendimentos e retornos de juros.

O que são títulos do Tesouro?

Os títulos do Tesouro – ou “treasuries” – são instrumentos de dívida que o governo dos EUA emite quando deseja arrecadar fundos. Eles também são chamados simplesmente de títulos públicos. As pessoas que compram esses instrumentos estão basicamente emprestando dinheiro ao governo, sob a promessa de que ele pagará o valor emprestado com juros ao longo de um determinado período. 

Muitos investidores consideram a compra de títulos do Tesouro um dos investimentos mais seguros do mercado, pois eles possuem cobertura total do governo. Isso significa que, enquanto houver um governo, seu valor principal está protegido; não importa se houver inflação, recessão ou até mesmo uma pandemia. Além disso, os juros ganhos sobre o capital são tributados apenas a nível federal. 

Essa garantia é uma das bases desse mercado. É o que torna os títulos do Tesouro tão atraentes para investidores individuais e institucionais que buscam retornos estáveis no longo prazo.

Você também pode gostar:

Há três categorias principais de títulos do Tesouro: Treasury Bills, Treasury Bonds e Treasury Notes. Vamos ver cada um em detalhes:

Treasury Bills (T-bills)

São títulos com vencimento no curto prazo, geralmente variando de alguns dias a um ano. Eles também são conhecidos como T-bills. Não são pagos juros com os Treasury Bills; em vez disso, você pode comprá-los por um preço menor que seu valor nominal. Na data de vencimento, a quantia será devolvida a você, mas desta vez com seu valor real.

Por exemplo, você pode comprar um Treasury Bill de US$10.000 que vence em dois meses por apenas US$9.900. Depois de dois meses, o governo lhe pagará US$10.000. 

O vencimento dos Treasury Bills geralmente está disponível em cinco prazos diferentes: 52 semanas, 26 semanas, 13 semanas, oito semanas e quatro semanas. Também há uma variação dos Treasury Bills conhecida como Cash Management Bill (CMB) que não segue um cronograma padrão e geralmente vence após alguns dias. 

Os Treasury Bills são o único tipo de título do Tesouro que existe tanto no mercado monetário como no mercado de capitais. 

Treasury Bonds (T-bonds)

De todos os títulos do Tesouro, os Treasury Bonds – ou apenas T-bonds – possuem o prazo de vencimento mais longo. O prazo é geralmente de 10 anos ou mais, podendo chegar a 30 anos. Os juros ganhos com T-bonds são pagos duas vezes por ano até o vencimento. 

Você pode comprar Treasury Bonds diretamente do governo ou por meio de uma corretora, e eles são emitidos pelo valor nominal real. Digamos que você comprou um T-bond de 20 anos no valor de US$50.000 com juros de 5% ao ano, o governo pagará US$2.500 todo ano durante os próximos 20 anos e, na data de vencimento, devolverá seus US$50.000 originais. 

As emissões originais de Treasury Bonds são leiloadas quatro vezes por ano: em fevereiro, maio, agosto e novembro. A reabertura e os novos leilões dos T-bonds existentes acontecem durante os oito meses restantes. 

Por conta da data de vencimento mais longa, os Treasury Bonds normalmente possuem rendimentos mais elevados em comparação com outros títulos do Tesouro. Além disso, eles geralmente oferecem taxas de juros melhores do que contas-poupança e até mesmo alguns depósitos a prazo. 

Treasury Notes (T-notes)

Os T-notes são títulos do Tesouro de médio a longo prazo, com prazos de vencimento que variam de dois a 10 anos. Há cinco prazos disponíveis para Treasury Notes: há T-notes de dois anos, três anos, cinco anos, sete anos e 10 anos. 

Assim como os Treasury Bonds, os Treasury Notes são emitidos pelo valor nominal, com pagamentos de juros fixos ao portador duas vezes por ano. O valor do investimento é então pago no vencimento. Os leilões também são realizados todos os meses, com os T-notes originais sendo emitidos em fevereiro, maio, agosto e novembro, com reaberturas durante os oito meses restantes. 

Os Treasury Notes oferecem um meio-termo viável entre os riscos relativamente maiores associados aos T-bonds de longo prazo e os pagamentos baixos dos T-bills de curto prazo. Isso os torna a escolha ideal para iniciantes que desejam começar a operar títulos do Tesouro

Antes de 1984, o Tesouro dos EUA emitia Treasury Notes resgatáveis, o que significa que, sob certas condições, os títulos poderiam ser recomprados. As taxas de juros variam, normalmente dependendo do prazo de vencimento. 

História dos futuros de Treasury Note

Os futuros do Tesouro podem ajudar a gerenciar os riscos normalmente associados aos investimentos em títulos de renda fixa. Nesse caso, no entanto, estamos especulando sobre quanto acreditamos que as taxas de juros vão subir ou cair no futuro.

Futuros de T-note com vencimento de dois anos
Futuros de T-note com vencimento de dois anos | Fonte: finamarksys.com

Os futuros de taxa de juros foram introduzidos em 1975 pela Chicago Board of Trade (CBOT). Na época, o custo do dinheiro enfrentava uma volatilidade frequente, portanto foi necessário criar instrumentos que ajudassem a minimizar os riscos. Isso levou à criação de futuros de Treasury Bond e, posteriormente, de futuros de Treasury Note, com prazos de dois, cinco e 10 anos.

O mercado de futuros de T-Note

Ao investir em futuros de Treasury Note, você pode avaliar em que direção as taxas de juros provavelmente irão ao longo do período de vencimento e se proteger contra os riscos associados, principalmente no final de uma curva de rendimento. 

O contrato futuro de Treasury Note de 10 anos é um dos títulos do Tesouro mais operados – por investidores individuais e institucionais. Em geral, ele é um bom indicador do estado atual da economia. 

Em tempos de turbulência econômica, muitos investidores migram para a segurança dos futuros de Treasury Note para proteger seu patrimônio; é o que chamamos de investimento “flight-to-quality”. Isso acaba gerando uma queda nas taxas de juros, já que cada vez mais investidores estão entrando no mercado de títulos do Tesouro. Já em tempos de crescimento econômico, os investidores optam por instrumentos com maior potencial de retorno, o que diminui a demanda por títulos do Tesouro e eleva as taxas de juros. 

Os contratos futuros de Treasury Note são operados na plataforma GLOBEX da Chicago Mercantile Exchange (CME) desde que o CME Group adquiriu a CBOT, em 2007. 

Unidade do contrato Valor nominal de US$100.000
Código do produtoCME Globex: ZNCME
ClearPort: 21
Clearing: 21
Cotação100 pontos-base 
Horários de operação De domingo a sexta-feira, das 17h às 16h (horário de Chicago). De segunda a quinta-feira, das 16h às 17:00 (horário de Chicago) 
Oscilação mínima½ de 1/32 de um ponto
Valor mínimo do tickUS$15,625
Meses do contratoMarço, junho, setembro e dezembro
Liquidação Entregável
Último dia de operação As operações terminam no 7º dia útil anterior ao último dia útil do mês de entrega. Para contratos em vencimento, a operação termina às 12h01 no último dia de operação
Último dia de entrega Último dia útil do mês de entrega
Especificações do contrato para futuros de Treasury Note de 10 anos | Fonte: CME

Relação entre preço e taxas de juros 

Os preços dos títulos do Tesouro normalmente têm uma relação inversa com as taxas de juros, uma vez que a taxa de retorno é fixada no momento da emissão. Este é o caso da maioria dos títulos de renda fixa. Isso significa que à medida que os preços sobem, as taxas de juros caem, e vice-versa. 

É importante observar essa relação inversa, pois ela pode ajudar a determinar os momentos ideais para comprar títulos do Tesouro. Digamos que um título do Tesouro de 10 anos pague um juro de 6% e as taxas de juros caiam para 5%. Nesse caso, faz sentido comprar mais títulos. 

Há muitos motivos pelos quais as taxas de juros podem subir durante um determinado período, incluindo: 

  • Aumento da demanda por empréstimos e outras formas de financiamento externo;
  • Alocação de títulos em ações em uma tentativa de maximizar os retornos potenciais;
  • Mudanças na política fiscal;
  • Mudanças na política monetária.

Por outro lado, as taxas de juros podem cair por uma série de razões, incluindo: 

  • Menor demanda por empréstimos;
  • Incerteza financeira que faz com que os investidores de ações se voltem para os títulos do Tesouro como um porto seguro;
  • Introdução de cortes nas taxas de juros considerados necessários pelo conselho do Federal Reserve.

Excluindo quaisquer eventos que possam causar mudanças econômicas repentinas – como a pandemia da COVID-19 –, grandes mudanças nas taxas de juros nos Estados Unidos geralmente ocorrem ao longo de vários meses ou até mesmo alguns anos. Isso torna o mercado de títulos do Tesouro relativamente estável no longo prazo. 

A diferença entre Treasury Bills, Notes e Bonds

Os diferentes tipos de títulos do Tesouro dos EUA compartilham várias semelhanças importantes, pois todos representam alguma forma de dívida do governo e são reembolsáveis em um determinado período. No entanto, há uma série de diferenças importantes entre eles que vale a pena destacar: 

Prazo de vencimento 

Os Treasury Bills possuem os prazos mais curtos, geralmente de algumas semanas a um ano. Enquanto isso, os Treasury Notes têm vencimentos intermediários, variando de dois anos a mais de uma década. Por fim, os Treasury Bonds têm os prazos de vencimento mais longos, podendo chegar a 30 anos. 

Juros pagos 

Os T-bills não rendem juros. Por outro lado, T-notes e T-bonds rendem juros e são pagos duas vezes por ano ao titular do título. 

Valor nominal vs. Valor com desconto 

Para compensar o fato de que os T-bills não rendem juros, os investidores podem comprá-los por um preço inferior ao seu valor real. No vencimento, o valor nominal é pago ao investidor e a diferença (spread) representa o ganho. Por outro lado, Treasury Notes e Treasury Bonds são adquiridos pelo valor nominal. 

No fim das contas, a principal diferença entre as T-bills e T-notes é o prazo de vencimento. 

Benefícios dos títulos do Tesouro 

  • Retornos garantidos – Os títulos do Tesouro estão entre as opções de investimento mais seguras disponíveis atualmente. Enquanto o governo dos EUA funcionar, você pode ter certeza de que receberá o que lhe é devido na data acordada.
  • Renda estável – T-notes e T-bonds pagam taxas de juros fixas duas vezes por ano. Isso significa que você sabe exatamente quanto e quando receberá.
  • Prazos de vencimento diversos – Há vários prazos de vencimento para escolher com os títulos do Tesouro, então é fácil encontrar aqueles que melhor se adequam aos seus objetivos.
  • Isenção de impostos – Os juros ganhos sobre os títulos do Tesouro são tributáveis apenas a nível federal; a nível estadual e local, os títulos são isentos de impostos.
  • Alta liquidez – os títulos do Tesouro possuem os mercados mais líquidos entre os instrumentos de renda fixa. Mesmo que não esteja disposto a esperar até o vencimento, você pode facilmente vender seus títulos do Tesouro no mercado secundário.

Riscos dos títulos do Tesouro 

  • Inflação – Esse risco se refere à possibilidade de que taxa de inflação fique mais alta que os juros que um investidor pode ganhar ao manter títulos do Tesouro. Nesse caso, seu retorno real é negativo e seu investimento perde valor com o tempo. Esse risco se aplica principalmente a títulos do Tesouro de baixo rendimento em cenários de inflação mais alta. 
  • Mudanças nas taxas de juros – Os títulos de renda fixa podem perder valor se as taxas de juros aumentarem. 
  • Crescimento econômico – Durante períodos de elevado crescimento econômico, as empresas prosperam e competem pelo capital dos investidores. Como resultado, o valor dos títulos do Tesouro diminui conforme aumenta a demanda por investimentos de maior risco e retornos mais elevados.

Estratégias para operar títulos do Tesouro 

Seja no curto ou no longo prazo, investir em títulos do Tesouro exige que você tenha um objetivo claro. Você também precisa da estratégia certa para alcançar esse objetivo. Com isso em mente, vamos analisar três estratégias de trading comuns: 

Comprar e manter

Como o nome sugere, você simplesmente compra os títulos do Tesouro e os mantém até o vencimento. Essa estratégia é ideal para iniciantes e investidores que preferem uma abordagem passiva. Lembre-se de que isso exige disciplina, sobretudo com títulos que possuem prazos de vencimento muito longos. 

Ainda assim, esta é uma das melhores maneiras de garantir uma renda estável e maximizar o retorno sem se expor a muitos riscos. 

Ladder

Se quiser ser mais ativo em suas operações, você pode comprar ou vender títulos do Tesouro diretamente no mercado secundário. Obviamente, isso significa que os preços de compra e os retornos não serão baseados no valor nominal do título, já que ele não será mantido até o vencimento. Nesse caso, a técnica de ladder pode ser um ótimo ponto de partida. 

Essa estratégia significa simplesmente que você está adquirindo vários títulos, cada um com seu próprio prazo de vencimento, que pode ser longo ou curto. Quando um título vence, você coleta os retornos e os usa para comprar outro título com um vencimento de prazo mais longo. Dessa forma, você mantém um fluxo de receita estável enquanto é capaz de suportar possíveis mudanças no valor dos outros títulos do seu portfólio. 

Swap

Essa estratégia é parecida com o ladder, exceto por tirar proveito de deduções fiscais. Com o swap, você vende títulos do Tesouro que provavelmente não serão recuperados e recebe uma dedução fiscal pelo prejuízo. Em seguida, você usará os rendimentos para comprar títulos com alta probabilidade de rendimentos lucrativos. 

Basicamente, a estratégia consiste em limitar suas perdas e investir em ativos mais fortes para maximizar seus retornos e proteger seu portfólio. Obviamente, essa técnica é mais adequada para investidores experientes que podem assumir mais riscos e absorver perdas potenciais no curto prazo. 

Como operar derivativos de taxa de juros

Como os títulos do Tesouro e as taxas de juros costumam andar de mãos dadas, é importante conhecer os derivativos de taxa de juros e entender como eles funcionam. Os derivativos de taxa de juros são instrumentos financeiros cujo valor é derivado dos movimentos de uma taxa de juros. O ativo subjacente está vinculado ao seu direito de fazer ou receber pagamentos a uma determinada taxa de juros. 

Os investidores usam derivativos de taxa de juros como hedge contra possíveis efeitos colaterais das mudanças nas taxas de juros do mercado. Seu outro uso envolve especular sobre a direção das mudanças nas taxas de juros no futuro. Sempre haverá alguma grau de risco ao operar títulos que rendem juros, afinal qualquer mudança na taxa de juros pode impactar seu valor. 

Exemplos de instrumentos derivativos de taxa de juros incluem opções, futuros, caps e até mesmo contratos de swap.

Futuros de taxa de juros 

No caso de futuros de taxa de juros, tanto o comprador quanto o vendedor do contrato concordam em entregar a propriedade de um determinado título do Tesouro em uma data futura. Isso permite que eles fixem o preço do título agora e se protejam contra variações das taxas de juros. 

Swaps de taxa de juros

Este é o tipo mais comum de derivativo de taxa de juros e envolve duas contrapartes. A primeira paga juros com base em uma taxa de juros fixa e recebe pagamentos de juros com base em uma taxa de juros flutuante. A outra parte faz o oposto: recebe pagamentos com base em taxas de juros fixas e faz pagamentos com base em taxas de juros flutuantes. Os valores investidos são os mesmos. Dessa forma, a primeira parte pode limitar sua exposição ao risco quando as taxas de juros de mercado aumentam, porque ela receberá mais juros. Enquanto isso, a outra parte se beneficia quando as taxas de juros caem, o que os leva a pagar menos juros. 

Swaption

Como o nome indica, isso envolve uma opção e um swap, portanto são dois derivativos em um só instrumento. A ideia é muito simples: uma opção dá ao comprador o direito de entrar em um swap em uma determinada data futura. 

Com uma swaption, o contrato é baseado em um swap de taxa de juros em vez de qualquer título subjacente. Caso o comprador opte por exercer a opção, as condições de swap predeterminadas do contrato são ativadas. 

Há dois tipos de swaptions, incluindo swaptions de pagador e recebedor. Um swaption de pagador dá ao comprador o direito de exercer a opção e pagar uma taxa de juros fixa e receber uma taxa flutuante. Já o swaption de recebedor é o oposto: o comprador tem o direito de pagar juros variáveis e receber juros fixos.

Considerações finais

Os títulos do Tesouro existem há algum tempo e representam uma parte considerável dos mercados de títulos domésticos e globais. Como acontece com qualquer forma de investimento, é preciso analisar seu funcionamento com cuidado antes de começar a operar. Você pode acessar o site do Tesouro dos EUA para saber mais sobre os títulos do Tesouro e entender quais são os mais adequados para seus objetivos de investimento.

blog ad pt e2t

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Índice de Canal de Commodities – Como usar o indicador CCI

Liquidez de Mercado – Como isso afeta suas operações?

Drawdown – Como funciona e como gerenciar