Earn2Trade Blog
Top 10 indicadores macroeconômicos

Top 10 indicadores macroeconômicos para o trading de futuros

Este guia se concentra em como você pode usar indicadores macroeconômicos para aprimorar suas estratégias de trading de futuros. Ele também lista os 10 principais indicadores macroeconômicos que você deve considerar com base em seus mercados preferidos.

Complementar sua estratégia de trading de futuros com indicadores macroeconômicos pode colocá-lo em um nível acima, já que eles são capazes de capturar informações de mercado mais amplas. Os indicadores macroeconômicos complementam perfeitamente as ferramentas de análise técnica para fornecer uma previsão mais completa e precisa do comportamento do mercado. Os indicadores macroeconômicos podem ser úteis tanto para traders com estratégias de trading de curto prazo, como também para traders com estratégias de longo prazo.

Trader patrocinado earn2trade

O que são indicadores macroeconômicos?

Os indicadores macroeconômicos são dados econômicos que refletem a saúde econômica de um determinado setor, país ou região.  Estas estatísticas ajudam a avaliar a situação atual e o desempenho futuro da economia e dos mercados financeiros.

Os indicadores macroeconômicos geralmente são divulgados por governos, instituições nacionais ou organizações setoriais. Entre os  indicadores macroeconômicos mais populares  estão:

  • Produto Interno Bruto (PIB)
  • Índice de Preço ao Consumidor (IPC)
  • Curvas de rendimento
  • Vendas do varejo
  • Produção industrial

Os indicadores macroeconômicos variam em frequência de divulgação e poder de impacto.

Alguns indicadores macroeconômicos têm um cronograma de divulgação específico (por exemplo, mensal, trimestral ou anual), permitindo que investidores, analistas e traders possam se preparar e apresentar um plano para os diferentes cenários potenciais.

Em termos de impacto, os indicadores macroeconômicos podem causar volatilidade significativa do mercado. A magnitude depende da diferença entre o consenso de mercado e os resultados reais das divulgações macroeconômicas, semelhante aos preços das ações e às estimativas de ganhos – quanto maior a diferença, maior a volatilidade.

Tipos de indicadores macroeconômicos

Existem três tipos de indicadores macroeconômicos – leading, lagging e coincidente.

Os indicadores leading tentar prever o desempenho futuro e prever para onde uma economia pode estar indo. Eles são a referência preferida de governos na concepção de políticas macroeconômicas.

Os indicadores lagging representam o desempenho histórico de uma economia. Seus resultados mudam post-factum e servem principalmente para confirmação.

O terceiro grupo são os indicadores coincidentes. Eles unem indicadores que refletem eventos em tempo real.

Por que os indicadores macroeconômicos são importantes para os traders?

A ligação entre trading e macroeconomia pode nem sempre parecer tão forte à primeira vista. No entanto, há uma grande razão pela qual os traders e investidores confiam em indicadores macroeconômicos para interpretar os desenvolvimentos atuais do mercado e complementar suas projeções para futuras oportunidades de trading e de investimento.

Acompanhar os indicadores macroeconômicos pode ajudar os traders a navegar melhor pela volatilidade do mercado, proteger a carteira ou capturar uma tendência emergente.

Mas o que o PIB, a curva de rendimentos ou os dados sobre vendas de casas têm a ver com os mercados? Indicadores macroeconômicos como esses podem ajudar a revelar padrões potenciais dentro do estado atual ou projetado da economia. Eles medem o custo do dinheiro, a atividade de gastos e o nível e a direção do investimento de uma grande parte da economia. Por exemplo, um crescimento nas vendas imobiliárias ou no varejo pode indicar uma economia em expansão, portanto, um provável forte desempenho dos principais índices.

É claro que os indicadores macroeconômicos não são confiáveis como métricas independentes, mas quando combinados com ferramentas de análise técnica, eles podem aumentar significativamente o desempenho das estratégias de curto e longo prazo.

A importância dos indicadores macroeconômicos tem sido comprovada repetidas vezes. O exemplo mais recente foi a crise imobiliária de 2007 nos EUA, após a qual os analistas começaram a prestar maior atenção ao estado e às perspectivas do mercado imobiliário. Indicadores como vendas de casas novas e existentes, licenças de habitação e muito mais tornaram-se cada vez mais importantes para descrever com precisão a saúde econômica de um determinado estado ou região.

Indicadores Macroeconômicos e Trading de Futuros

Para entender a importância dos indicadores macroeconômicos para os traders de futuros, vamos começar dizendo o que é um contrato futuro.

Um contrato futuro é um acordo para comprar/vender um determinado ativo a um preço predeterminado em um momento especifico no futuro. Os contratos futuros cobrem todos os tipos de ativos, incluindo commodities (agrícolas, energia, metais, etc.), títulos, índices, moedas e muito mais.

Devido à natureza dos ativos subjacentes e sua mecânica de precificação, os contratos futuros são fortemente influenciados pelo desempenho atual e futuro da economia.

Então, de volta à pergunta principal – os indicadores macroeconômicos servem como base para os traders de futuros basearem suas decisões de trading. Para operar nos mercados financeiros com sucesso, é crucial saber quais indicadores macroeconômicos podem influenciar o price action e qualquer uma de suas posições abertas ou futuras.

Por exemplo, para um trader de futuros se proteger do risco cambial, ele deve saber se existe tal risco e em que ponto ele pode se materializar. A melhor indicação disso são os indicadores macroeconômicos, uma vez que eles podem dar um alerta antecipado sobre o potencial aumento ou desvalorização da moeda.

A mesma coisa vale para o trading de futuros de commodities. No processo de concepção da sua estratégia, os traders devem considerar os potenciais desenvolvimentos no mercado de commodities (por exemplo, dinâmica da produção agrícola, escassez/excesso de oferta de metais, instabilidades do mercado de energia, etc.).

A conclusão é que os bons traders de futuros usam a análise técnica, enquanto os melhores traders de futuros a complementam com métricas de análise fundamental, incluindo indicadores macroeconômicos. É claro que essas métricas não são confiáveis por si só, mas dão um reflexo bom o suficiente da dinâmica da economia. Acompanhá-los também ajuda os traders de futuros a prever os movimentos do mercado de outros traders, o que pode potencialmente causar ou exacerbar a volatilidade do mercado.

Os 10 melhores indicadores macroeconômicos que os traders devem acompanhar

Qual é o melhor indicador macroeconômico para acompanhar depende muito da estratégia de trading, das preferências de ativos e dos objetivos. Embora dezenas de indicadores macroeconômicos possam influenciar o processo de tomada de decisão de um trader, nem todos são iguais em seu impacto.

Os indicadores macroeconômicos na lista abaixo acompanham diferentes aspectos da saúde da economia. Como tal, eles têm maneiras diferentes de afetar o preço de um contrato futuro. No entanto, o comum é que todos eles traduzam o desempenho econômico na dinâmica do mercado futuro – direta ou indiretamente. Além disso, essa relação nem sempre é unilateral (por exemplo, os bancos centrais podem considerar alguns preços de contratos futuros no curto prazo como um indicador das expectativas do mercado e moldar suas decisões de política monetária de acordo).

Aqui está uma lista de 10 indicadores, anúncios ou dados macroeconômicos mais comuns e importantes, que os traders de futuros devem acompanhar.

Projeções do PIB

O crescimento do produto interno bruto reflete o valor global dos bens e serviços produzidos em uma determinada economia, indicando se ela está desacelerando ou crescendo. Seus resultados e projeções são ferramentas primárias para análise do estado atual e futuro de uma economia. Resultados e projeções positivas do PIB sinalizam uma economia em ascenção, enquanto os negativos indicam uma potencial contração econômica.

No caso dos EUA, por exemplo, o Departamento do Comércio emite uma análise trimestral do PIB, dividindo a atividade em gastos do consumidor, investimento empresarial e gastos do governo. O Bureau of Economic Analysis é outra fonte para divulgações de dados do PIB.

Os traders de commodities consideram os resultados e previsões do PIB uma referência crucial para os mercados de metais, por exemplo. Normalmente, quando a economia tem um bom desempenho, os preços dos metais básicos permanecem baixos. Por outro lado, se a economia piorar, os preços dos metais básicos tendem a subir. Isso afeta as estratégias de trading de futuros de curto e longo prazo.    

Taxas de juros

O caso das taxas de juros como indicador  macroeconômico é interessante, pois elas podem servir tanto como indicador leading quanto como indicador lagging. Eles são um indicador principal no sentido de  que, uma vez que são alterados, a economia reflete a nova taxa. Eles também podem ser lagging, uma vez que  a decisão para a sua mudança é geralmente em resposta a um desequilíbrio econômico existente. As taxas de juros servem como alavancas para controlar a economia – elas são aumentadas para impedi-la de crescer muito rapidamente e reduzidas para aumentar os gastos e evitar a estagnação.

As taxas de juros são um fator essencial na determinação do preço dos contratos futuros.

De acordo com uma pesquisa realizada por economistas de Harvard, os anúncios monetários que causaram o salto das taxas de juros iriam, em média, fazer com que os preços das commodities caíssem. O mesmo efeito é perceptível com as notas do tesouro. Como tal, as taxas de juro e os preços dos contratos futuros têm uma relação inversa.

Além disso, o preço de um contrato futuro diminui quando ele fornece renda de juros (dividendos). E vice-versa. O grau desse declínio depende da taxa de juros implícita em um contrato.

Relatórios econômicos periódicos

Os traders de contratos futuros de commodities, índices, moedas ou títulos geralmente ficam de olho nos relatórios anuais, bianuais, trimestrais ou mensais, uma vez que refletem o estado e a trajetória projetada da economia.

Em termos do estado mais amplo da economia dos EUA, por exemplo, relatórios importantes incluem o “Livro Bege”, o Relatório de Política Monetária do FED, anúncios do Bureau of Economic Analysis dos EUA e muito mais.

Há também relatórios de nicho que dão informações sobre aspectos particulares do sistema econômico.

O Relatório Semanal de Pedidos de Seguro-Desemprego do Departamento do Trabalho, por exemplo, pode não apenas indicar a dinâmica do mercado de trabalho, mas também refletir o estado geral da economia, uma vez que o aumento dos registros de desemprego pode sinalizar uma economia enfraquecida e vice-versa.

Relatórios Setoriais

Com base no ativo que você está operando, é essencial notar que diferentes conjuntos de dados têm mais influência em diferentes setores e países. Digamos que você esteja interessado em operar futuros de milho. Os EUA são, de longe, o maior produtor e exportador mundial de milho. Como resultado, você deve acompanhar os principais relatórios, como o Relatório do USDA, o Relatório de Intenções de Plantio e o Relatório de Estoques de Grãos.

Podemos também pegar dados da indústria e a manufatura. As estatísticas de produção podem ser uma das maneiras mais fáceis de obter dados importantes sobre o estado da economia. Os aumentos dos produtos têm um impacto positivo no PIB e vice-versa.

Nos EUA, existem vários relatórios que servem como medidores do desempenho e perspectivas da indústria. Entre os mais populares está o Relatório Mensal sobre Embarques, Estoques e Pedidos de Fabricantes de Bens Duráveis pelo Census Bureau. Ele pode sinalizar mudanças no desempenho dos negócios (por exemplo, aumento da capacidade de produção, portanto, potenciais operações em crescimento) e na confiança do consumidor. Há também comunicados do Federal Reserve rastreando a utilização da capacidade no setor fabril.

Alguns traders também analisam os relatórios em nível de estoque para tentar capturar o próximo movimento do mercado. Altos níveis de estoque por períodos prolongados significam que a produção não está saindo dos armazéns e a demanda pode estar diminuindo, por exemplo. Isso pode resultar na mudança da dinâmica do mercado, como a rápida diminuição do poder de compra.

Há também relatórios de organizações terceirizadas que acompanham o desempenho de mercados específicos, como metais, energia e muito mais, que também são muito úteis na previsão de mudanças no mercado.

Estimativas de lucros e preços das ações

Analisar o desempenho do mercado de ações é uma maneira útil de prever a dinâmica dos ativos subjacentes dos contratos futuros.

Por exemplo, quando uma economia está crescendo, as empresas estão mais saudáveis e mais propensas a relatar ganhos mais altos. Por outro lado, quando a economia começa a desacelerar, o mercado de ações é o primeiro a reagir.

Naturalmente, existem limitações para usar os preços do mercado de ações como indicadores macroeconômicos, uma vez que podem ser enganosos. A razão é que os preços das ações podem estar incorretos (por exemplo, durante as bolhas de mercado), artificialmente inflados e manipulados.

É por isso que os traders complementam o desempenho do mercado de ações com estimativas de ganhos. As empresas relatam seus ganhos a cada trimestre, fornecendo dados suficientes para moldar uma análise de mercado justa. Aumentar progressivamente os ganhos significa que uma empresa está indo bem e a demanda por seus bens ou serviços está crescendo.

Quer se trate de preços de ações ou estimativas de ganhos, é sempre essencial obter o contexto. Por exemplo, ver que uma empresa vale US$5.000 por ação ou está prevendo 15% de crescimento de receita por si só não lhe dirá nada, a não ser que você compare com o desempenho passado. Se o preço das ações tem se movido consistentemente em faixas semelhantes ou o crescimento da receita no último trimestre foi de 20%, isso significa que a empresa está estagnada em vez de crescer. Além disso, se esta é uma grande empresa líder do setor (por exemplo, o maior produtor de aço), isso pode ser um sinal de que todo o mercado está desacelerando.

Inflação, poder de compra e vendas do varejo

A dinâmica do poder de compra do consumidor é outro bom reflexo do estado geral da economia. O alto poder aquisitivo indica uma economia estável, confiança do mercado (verifique o Índice de Confiança do Consumidor pelo Conference Board para referência)  e uma demanda potencialmente crescente por bens e serviços. Por exemplo, o relatório Purchasing Manager Index (PMI) é frequentemente usado por analistas de Wall Street que o consideram um bom indicador para as projeções do PIB. Outra medida generalizada dos gastos do consumidor é o Índice de Confiança do Consumidor pelo Conference Board.

O monitoramento de informações sobre bens e serviços adquiridos pelo setor varejista e empresarial por meio de dados de vendas no varejo também é uma métrica comum para complementar a análise da atividade econômica. Por exemplo, nos EUA, os gastos do consumidor representam mais de dois terços do PIB. Umaumento nas vendas significa que o mercado está confiante na situação atual e de curto prazo e está disposto a pagar por mais do que apenas as necessidades.  Por outro lado, quando os consumidores começam a se sentir incertos, eles restringem seus gastos.

Tal como acontece com qualquer outro indicador, os gastos do consumidor por si só não são precisos, uma vez que os consumidores e as empresas podem estar imprudentemente tomando empréstimos para continuar gastando.

Não podemos deixar de lado a inflação também, pois está entre as estatísticas macroeconômicas mais importantes, uma vez que uma inflação mais alta pode prejudicar os gastos do consumidor. Além disso, a dinâmica da inflação pode provocar medidas monetárias, como aumentos ou diminuições das taxas de juro, que podem afectar diretamente os traders de futuros, como mencionado anteriormente.

As melhores fontes de informação para os níveis de inflação geralmente são o Índice de Preços ao Consumidor, o Índice de Preços no Atacado e o Índice de Preços ao Produtor.

Força da moeda

Embora esse indicador de lagging possa ser atribuído à categoria anterior, já que afeta diretamente o poder de compra, ele merece atenção especial. A força da moeda é um sinal significativo da estabilidade de uma economia e geralmente muda em resposta a circunstâncias políticas e econômicas.

Quando a economia está instável e a incerteza prevalece, os investidores ficam desanimados e há uma retração do capital investido. O preço da moeda rapidamente reflete essa incerteza, diminuindo de valor. Como uma moeda fraca pode comprar menos, as importações ficam mais caras, o que significa que os custos para as empresas e consumidores locais aumentam, levando a uma diminuição no poder de compra.  Embora isso possa prejudicar a economia no curto prazo, isso também tem um lado positivo.  Uma moeda fraca torna os bens e serviços exportados mais competitivos globalmente, à medida que se tornam mais baratos para os compradores.  Além disso, estimula a demanda por bens domésticos, o que impulsiona a economia no longo prazo.

Por outro lado, um preço alto da moeda é considerado um sinal de uma economia forte (na maioria dos casos) e é visto positivamente pelos investidores. Impulsiona a economia, aumentando o poder de compra dos consumidores e das empresas.  Os países que são importadores líquidos (compram mais bens e serviços do exterior do que exportam) se beneficiam de preços mais baixos das importações. No entanto, os países exportadores líquidos podem experimentar uma diminuição da demanda por seus bens e serviços, uma vez que se tornam mais caros para os compradores.

É essencial sempre analisar esse indicador macroeconômico no contexto do perfil econômico de um país ou setor para entender como uma moeda fraca ou forte pode impactá-lo.

Situação do mercado imobiliário

O mercado imobiliário, incluindo a construção de casas, gastos com construção e compras de casas, é um indicador leading confiável do estado da economia e para onde ela está indo.

Entre os relatórios mais confiáveis sobre o assunto nos EUA está o relatório mensal de novas construções residenciais do Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano dos EUA. Ele pode ser um bom indicador do estado da economia, uma vez que um número crescente de licenças de construção emitidas e conclusões de construção pode indicar uma economia que abraça uma trajetória ascendente.

Organizações como a Associação Nacional de Corretores de Imóveis também emitem relatórios, como o comunicado de Vendas de Casas Existentes, que são muito úteis na previsão dos gastos do consumidor e são diretamente afetados por fatores econômicos, como as taxas de juros das hipotecas.

O declínio das vendas de casas pode indicar um enfraquecimento da economia ou mesmo uma crise potencial, como vimos em 2007.

O mercado imobiliário é um indicador leading, uma vez que seus desenvolvimentos se estendem por períodos prolongados de tempo.  Por exemplo, as licenças de construção são geralmente emitidas com seis meses de antecedência. O número de casas em construção indica uma demanda que se estenderá por muito tempo no futuro, uma vez que todo o processo de construção pode levar até um ano ou mais. Observe que a maioria dos construtores começará a trabalhar em projetos somente se estiverem confiantes nas perspectivas de curto prazo do mercado.

A dinâmica do mercado imobiliário também pode sinalizar possíveis mudanças em alguns mercados de commodities, como metais, por exemplo. A baixa demanda por  novas casas levará a uma baixa demanda por materiais de construção, reduzindo assim seus preços.

Preços das Commodities

Existe uma forte ligação entre o estado da economia e os preços das commodities.  Os preços dos metais básicos, por exemplo, estão intimamente ligados às perspectivas para a saúde econômica geral, uma vez que tendem a subir quando a economia está em boa forma e cair em tempos de recessão.

Por exemplo, os economistas até se referem ao cobre como “Doutor Cobre”, brincando que é um metal com um Ph.D. em Economia. A razão é que muitas vezes você pode prever pontos de virada na economia global apenas olhando para os preços do cobre, uma vez que ele é usado em muitas indústrias – de máquinas industriais pesadas a eletrônicos avançados. Como resultado, sua demanda pode ser indicativa de expansão ou contração na produção econômica.

E vice-versa – uma economia em crescimento, na maioria das vezes, leva ao aumento da demanda por commodities como petróleo e madeira, por exemplo.

Como um ativo de refúgio seguro, o ouro é outro bom indicador do estado da economia global. Quando seu preço sobe, é um sinal de que a economia pode estar entrando em declínio.

No entanto, olhar para a direção dos preços dos metais por si só nem sempre lhe dará uma representação justa do estado da economia global. Também é essencial considerar a taxa de quedas ou aumentos de preços. Pequenas mudanças podem ser naturais e resultado de um evento específico do setor ou do país. No entanto, se as quedas ou aumentos forem substanciais, o sinal para uma economia em encolhimento/crescimento é muito mais forte.    

Curva de rendimentos e indicadores de risco de recessão

A inclinação da curva de rendimentos revela as expectativas do mercado de títulos sobre as taxas de juros de curto prazo com base em fatores como atividade econômica e inflação.

O mercado de títulos é um excelente indicador leading e um indicador das expectativas do mercado. Olhar para a curva de rendimento pode dar a um trader um reflexo das perspectivas de mercado de curto e longo prazo. O desempenho das obrigações de curto prazo é frequentemente influenciado pelas decisões do banco central sobre a taxa de juro. Por outro lado, os títulos de longo prazo também são impactados pelas taxas de juros, principalmente por fatores como inflação e crescimento econômico.

Durante períodos de perspectivas econômicas positivas, o rendimento geralmente tem uma recuperação positiva. Por outro lado, quando as perspectivas econômicas pioram, o rendimento se achata.  Uma curva de rendimento invertida geralmente indica que o crescimento econômico cairá significativamente, aumentando a chance de os bancos centrais reduzirem as taxas de juros.

Manter o controle sobre os indicadores de risco de recessão é outra maneira confiável de prever as perspectivas econômicas e as possíveis ações monetárias que as abordam. Como resultado, pode ser um indicador precoce de possíveis aumentos/cortes nas taxas de juros.  

Existem várias maneiras de rastrear os riscos de recessão. O mais popular vem do Comitê de Datação do Ciclo Econômico do National Bureau of Economic Research (NBER), o medidor oficial da recessão nos EUA desde 1978. Outras métricas amplamente populares vêm do FRED e incluem indicadores baseados no NBER, a Regra Sahm e as Probabilidades de Recessão Suavizadas dos EUA.

O Conference Board também acompanha o risco de recessão por meio do Leading Economic Index (LEI) dos EUA.

Conclusão

O trading de futuros é um processo complexo, exigindo estratégias que levam em conta as perspectivas de mercado de curto e longo prazo. Enquanto as métricas de análise técnica são perfeitas para o primeiro, o segundo vai além de gráficos e estudos técnicos para cobrir também indicadores macroeconômicos. Nada é melhor para garantir uma visão adequada da situação do mercado a médio e longo prazo do que os dados macroeconômicos.

Fatores como as perspectivas econômicas mais amplas, perspectivas setoriais, gastos do consumidor, inflação, preços de commodities e muito mais podem servir como indicadores iniciais para o desempenho potencial dos ativos subjacentes para os contratos futuros em sua carteira.

No entanto, embora as descobertas acadêmicas sugiram que alguns indicadores macroeconômicos podem ser cada vez mais confiáveis para avaliar o desempenho do mercado de ações e futuros, é aconselhável usá-los apenas como fatores complementares em sua análise.  A maioria dos indicadores macroeconômicos não está apta a servir como a espinha dorsal de uma estratégia se aplicada como métricas autônomas, uma vez que podem estar defasados e seus sinais não são diretos, mas exigem um contexto mais amplo para uma interpretação precisa.

Devido a isso, a estratégia de trading de futuros perfeita é uma mistura de ferramentas de análise técnica e indicadores macroeconômicos. Em relação a este último, a lista acima é um bom começo.

Perguntas Frequentes

Qual é o melhor indicador macroeconômico?

Depende da sua estratégia de trading, preferências de ativos e os objetivos da sua análise. Para a análise das perspectivas econômicas mais amplas, métricas como crescimento e projeções do PIB, preços de commodities, curvas de rendimento, desempenho do mercado de ações e indicadores de risco de recessão são boas ferramentas. Os relatórios setoriais e as estimativas de resultados provaram ser indicadores suficientes para a análise a nível da indústria.

Onde encontrar os indicadores macroeconômicos?

Os melhores lugares para encontrar indicadores macroeconômicos são os sites oficiais das agências ou organizações responsáveis por divulgar os dados macroeconômicos específicos para o país ou setor de seu interesse. Certifique-se de usar um dos calendários de dados econômicos disponíveis gratuitamente on-line para se familiarizar com o cronograma de anúncios para as diferentes leituras macroeconômicas e sua classificação de impacto potencial.