Earn2Trade Blog
O que é Trading de Alta Frequência

O que é Trading de Alta Frequência (HFT)?

O avanço da tecnologia revolucionou os sistemas de execução de operações de ações. As corretoras não foram as únicas a serem afetadas por essas mudanças. A tecnologia abriu inúmeras possibilidades tanto para instituições – como hedge funds e fundos mútuos – como para traders autônomos. Ao mesmo tempo, o segmento de investidores tradicionais ficou um pouco decepcionado. Isso porque o melhor preço de execução que eles podem obter por conta própria não é mais o melhor preço. Agora esses sistemas de Trading de Alta Frequência (HFT, na sigla em inglês) funcionam a um nível inatingível por pessoas comuns. Não é mais realista depender dos valores exibidos pelas corretoras para verificar os preços.

Esse sistema incrivelmente rápido também foi uma grande oportunidade para inúmeras startups. Grandes investidores estavam mais interessados em agir de maneira segura do que ser criativo. Enquanto isso, a nova geração foi capaz de se adequar ao novo modelo tecnológico; eles perceberam que há mais coisas envolvidas no trading do que seu capital. Programadores jovens perceberam que havia um novo nicho de mercado.

Você também pode gostar:

Trader patrocinado earn2trade

Como o Trading de Alta Frequência funciona?

Os algoritmos de Trading de Alta Frequência (HFT) mantêm a maioria das posições por apenas uma fração de segundo, vendendo os ativos quase imediatamente após a compra. Uma das vantagens da estratégia de HFT é que não envolve posições overnight. Essa característica praticamente elimina os requisitos de margem. As empresas que aplicam esse método oferecem uma boa alavancagem às corretoras. É possível, por exemplo, manter posições no valor de US$1 milhão e aplicar apenas um quarto disso. Eles têm 7,5 horas por dia, o que equivale a 27.000 segundos, para operar com esses fundos.

Para manter a precisão – e simplicidade –, vamos admitir que cada dia tenha aproximadamente 10.000 segundos disponíveis para o sistema abrir operações. Em cada uma dessas operações, o trader de HFT busca lucrar com o menor movimento de preço possível, aplicando apenas 0,00025% do valor total. Isso equivale a US$2,50 por transação, com base no valor disponível de US$1 milhão. Esse valor minúsculo não é nem considerado pela maioria dos investidores. No entanto, quando a operação é repetida 10.000 vezes, o valor total chega a US$25.000 por dia. Além disso, quase não há riscos em um sistema completamente automatizado. Nesse sentido, as microempresas que usam Trading de Alta Frequência são capazes de gerar uma faturamento de US$6.250.000 ao longo de um ano de 250 dias úteis. Ao compararmos o colateral de US$250.000 com a capacidade de lucro, vemos que esse negócio é uma oportunidade de investimento muito promissora.

Empresas de HFT vs. Hedge Funds

Muitos investidores ambiciosos tiraram proveito dessa nova tecnologia. Ela também chamou a atenção de gestores de hedge funds e fundos mútuos, embora isso só tenha ocorrido depois que o capital começou a entrar nessas empresas de Trading de Alta Frequência. Outra preocupação dos gestores de fundos é que as operações em alta velocidade entre as empresas de HFT apenas infla o volume, sem lhes dar informações suficientes para avaliar o valor real dos ativos por meio de uma análise técnica.

O conhecimento adquirido ao longo de anos de estudo e experiência tem enfrentando uma forte competição com os lucros das empresas de Trading de Alta Frequência. Isso faz com que a legitimidade dos lucros dessas empresas seja questionada, e muitos consideram que chegamos ao limite da manipulação de mercado. Isso porque essas empresas baseiam seus lucros no fato de que suas operações são mais rápidas do que operações executadas a partir de uma análise minuciosa por parte de traders profissionais.

O Flash Crash e as consequências

As reclamações não foram à toa. Empresas que usam HFT sofreram algumas restrições, o que levou a uma queda nos seus números. Durante a explosão inicial do HFT, os sistemas automatizados foram responsáveis por mais de 70% do volume total de operações. No entanto, no início de 2018, esse valor caiu para apenas 50%.

Hoje em dia, o Trading de Alta Frequência é usado como um meio de manter uma alta liquidez, o que também atenuou as preocupações dos gestores de fundos. As corretoras impuseram novas regras e requisitos de capital para esses provedores de liquidez. Atualmente, o lucro das corretoras se dá principalmente pelas comissões; eles são recompensados por ajudar a garantir a liquidez do mercado. Na Europa, por exemplo, essas empresas tiveram que se adequar à estrutura financeira existente, conforme estabelecido pelas normas da MiFID 2.

Trader patrocinado earn2trade