Earn2Trade Blog
Trading de Futuros de Energia

Trading de Futuros de Energia – Estratégias e dicas para iniciantes

blog ad pt e2t

Os futuros de energia estão entre os mercados mais líquidos e operados do mundo. Considerando o crescimento populacional e o aumento natural das demandas de energia em todo o mundo, este setor tem tudo para crescer ainda mais. Hoje em dia, o mercado futuro de energia está mais desenvolvido e diverso do que nunca. Ele é considerado um nicho altamente lucrativo para qualquer participante do mercado, incluindo traders de curto prazo e investidores de longo prazo. Este guia aborda tudo que você precisa saber sobre o trading de futuros de energia, incluindo uma lista dos contratos futuros de energia mais operados, além de dicas de como navegar com sucesso neste mercado.

O que são contratos futuros de energia?

Futuros de energia são contratos derivativos com produtos energéticos como seu ativo subjacente. Os participantes do mercado podem comprar e vender commodities de energia por meio de futuros de energia a um preço predeterminado em uma data futura.

Os tipos mais populares de futuros de energia se baseiam em commodities como petróleo bruto, gás natural e eletricidade. A oferta e demanda é um componente notável do seu preço; no entanto, ao contrário de outras commodities, o setor de energia é mais sensível a eventos geopolíticos.

O trading de futuros de energia permitem que os investidores especulem ou garantam um hedge eficiente contra oscilações de preço ou riscos externos que possam afetar a commodity subjacente. Por exemplo, uma empresa de investimentos com um portfólio composto principalmente por ações de petróleo e gás natural deve fazer um hedge para diminuir os riscos da sua exposição por meio da compra de derivativos que se valorizariam em caso de queda no preço dessas commodities.

Outras empresas que operam futuros de energia incluem aquelas que buscam fixar os preços com antecedência para garantir um bom planejamento da sua produção industrial e maior tranquilidade nos processos operacionais. Por exemplo, suponha que uma empresa precise de vastos recursos petrolíferos para abastecer sua unidade de produção. Nesse caso, ela tentará garantir a quantidade necessária pelo melhor preço possível muito antes de a compra ocorrer de fato. Dessa forma, se o preço do petróleo subir repentinamente durante o ano, a empresa não sofrerá com qualquer aumento inesperado nos seus custos de produção.

Em comparação com outras commodities, o trading de futuros de energia é algo relativamente novo. Esses derivativos foram introduzidos nos anos 70 devido à necessidade de controlar a volatilidade do preço das commodities subjacentes e fornecer uma ferramenta de gestão de risco adicional ao arsenal dos traders, investidores e usuários finais. Ao longo do tempo, os futuros de energia se tornaram parte integrante do sistema financeiro moderno por conta da sua eficiência em manter os preços sob controle.

Contratos futuros de energia mais populares

CommodityTickerUnidade do ContratoOscilação de Preço MínimaMétodo de LiquidaçãoDetalhes do Contrato
Petróleo BrutoCL1.000 barris0,01 por barril (US$10,00)EntregávelCME
Gás NaturalNG10.000 MMBtu0,001 por MMBtu (US$10,00)EntregávelCME
EtanolEH29.000 galões0.001 por galão (US$29,00)EntregávelCME
CarvãoMTF1.000 toneladas0,05 por tonelada (US$50,00)Liquidação financeiraCME
RBOBRB42.000 galões0,0001 por galão (US$4,20)EntregávelCME

Você pode encontrar a lista completa de contratos futuros de energia operados na CME aqui.

Trading de futuros de energia vs. Outros derivativos

Um derivativo é um instrumento financeiro cujo valor deriva do ativo subjacente. No caso das commodities de energia, os ativos podem ser gás natural, petróleo bruto, carvão, etc.

Podemos dividir os derivativos de energia de acordo com o local onde eles são operados. Os derivativos tradicionais operados em Bolsa incluem futuros e opções. Outra categoria mais exótica de derivativos de energia inclui aqueles operados no mercado de balcão (OTC): swaps e contratos a termo.

Os derivativos de energia são populares entre todos os tipos de participantes do mercado, incluindo grandes empresas de produção, serviços, produtores de energia, fornecedores de energia, trading houses, empresas de investimentos, gerentes de ativos e outras instituições financeiras.

A extensa variedade de derivativos de energia fornece aos participantes do mercado muitas opções para escolher. Como esses contratos são muito diferentes uns dos outros, eles possuem diferentes utilidades.

Principais diferenças entre os derivativos de energia

 FuturosContratos a TermoOpçõesSwaps
DescriçãoContratos financeiros obrigando o comprador a comprar e o vendedor a vender um ativo a um preço e em uma data predeterminadosUm acordo entre as partes para comprar e vender um ativo subjacente em uma data futuro determinada e a um preço acordadoContratos financeiros dando o direito de comprar ou vender um contrato a um preço predeterminado dentro de um período determinadoUm contrato por meio do qual as partes concordam em trocar fluxos de caixa em uma data futura (um preço flutuante é trocado por um preço fixo ao longo de um período de tempo determinado)
RiscoSem risco para a contraparte, pois o pagamento é garantido pela câmara de compensaçãoRisco de inadimplência, pois é uma negociação privada e o pagamento depende totalmente da contraparteA quantia é geralmente restrita ao prêmio pago pela opçãoAo negociar com uma contraparte, você assume o risco quanto à capacidade dela de pagar a quantia devida no dia da liquidação
Operado emBolsa ou OTCNegociação privadaDentro e fora de BolsasOTC
ReguladoSimNãoSimSim
ObrigaçãoSimSimNãoSim

Onde os futuros de energia são operados?

Você pode operar futuros de energia em uma Bolsa formal ou no mercado de balcão (OTC).

O mercado mais popular para futuros de energia é a Chicago Mercantile Exchange (CME) – mais especificamente, a New York Mercantile Exchange (NYMEX). A NYMEX faz parte do CME Group, sendo especializada no trading de commodities de energia. Outros lugares populares incluem a TOCOM e a Intercontinental Exchange (ICE).

Ao operar nesses mercados, os traders abrem suas ordens em uma câmera de compensação central que combina os compradores e vendedores – o sistema é completamente automático. Ele é capaz de compensar grandes volumes de transações a uma velocidade altíssima e quase sem atraso.

Além dos mercados regulados, também é possível operar futuros de energia no mercado de balcão (OTC). Para fazer isso, o trader depende de uma contraparte para lidar com o processo. Essas contrapartes são intermediários financeiros qualificados, como uma empresa de investimentos ou uma corretora.

Traders comuns podem comprar e vender futuros de energia por meio das plataformas de basicamente qualquer corretora. Graças à sua alta liquidez, os futuros de energia são instrumentos suportados por praticamente todos os prestadores de serviços financeiros.

Quais são os futuros de energia mais operados?

A melhor forma abordar os futuros de energia mais líquidos é analisando as commodities subjacentes.

Petróleo Bruto

O petróleo bruto é o rei de todas as commodities. Ele está presente em diversos aspectos do nosso cotidiano, seja no plástico do seu celular, no sabonete do seu banheiro, no combustível do seu carro ou em suas maquiagens e cosméticos – o petróleo é usado em todo lugar. A commodity está sempre em alta demanda por ser tão essencial, o que causa um impacto positivo no seu preço.

O contrato futuro de petróleo (CL) é o quarto instrumento mais operado em todo o mundo. Na lista com os cinco futuros mais operados na CME, petróleo é a única commodity do grupo, que também inclui ações e taxas de juros como ativos subjacentes.

No entanto, o petróleo bruto não é um produto uniforme. Há diferentes tipos de petróleo, dependendo das características específicas da matéria-prima, incluindo o teor de enxofre, o campo de origem e a gravidade. É por isso que há contratos futuros de petróleo bruto com nomes diferentes, como Brent, West Texas Intermediate (WTI), Edmonton Light Sweet, Hardisty Western Canadian, entre outros.

Futuros de petróleo mais populares: CL, BZ e QM

Gás Natural

O gás natural é considerado uma commodity doméstica para o mercado dos EUA. A maior parte do preço dos instrumentos operados depende dos resultados da produção e do desenvolvimento de pontos de extração locais. Entre os estados líderes na produção de gás natural estão Texas, Alasca, Oklahoma, Pensilvânia e Louisiana. A avaliação da commodity se baseia em características específicas, como volume e qualidade de aquecimento.

Em geral, o gás natural permanece na lista dos 10 futuros mais operados na CME ao longo de todo o ano. No entanto, sua demanda atinge o ponto mais alto durante os meses de inverno e verão, quando as necessidades de climatização da população aumentam.

É o segundo maior contrato futuro de commodities do mundo por volume, ficando atrás apenas do petróleo.

Futuros de gás natural mais populares: NG, HH e QG

Gasolina Reformulada Blendstock para Mistura de Oxigênio

Se nunca ouviu falar da gasolina RBOB, você ficará surpreso ao descobrir que é o terceiro contrato futuro de energia mais operado do mundo. O RBOB é um produto refinado a partir do petróleo bruto, sendo utilizado principalmente para o transporte de etanol. Seus preços são positivamente correlacionados com os do petróleo bruto.

A razão para sua popularidade tem a ver com sua ligação com o petróleo; o produto RBOB é importado quando os produtores de petróleo não possuem os meios para refinar a gasolina e, portanto, precisam de uma alternativa. O RBOB é considerado o mais importante subproduto refinado do petróleo bruto.

Os futuros de RBOB são uma ferramenta útil para entender a visão dos investidores quanto ao petróleo bruto, clima, comportamento do consumidor e medidas reguladoras em termos do consumo de energia atual e futuro.

Futuro de RBOB mais popular: RB

Carvão

O carvão é a maior fonte de energia da nossa história, sendo usado para geração de calor, transporte e muito mais. Ainda hoje, o carvão continua sendo uma fonte de energia dominante em muitos países em desenvolvimento.

No entanto, conforme nos aproximamos do fim da era dos “combustíveis fósseis”, isso tende a mudar. Enquanto o petróleo continuará presente no nosso cotidiano sob diferentes formas, o carvão dará espaço para fontes de energia alternativas. Considerando as limitações do seu uso além da geração de energia, muitos analistas preveem que o carvão deixará de ser usado no longo prazo.

Essa tendência é visível até mesmo dentro dos volumes de negociação dos futuros de carvão mais populares. Embora ainda seja operada, a commodity está muito atrás do petróleo bruto, do gás natural e do RBOB em termos de volume diário de negociação.

Futuro de carvão mais popular: MTF

Biocombustíveis

O avanço da humanidade rumo à energia renovável torna os biocombustíveis uma oportunidade de investimento importante. Os contratos futuros mais populares na categoria de biocombustíveis se baseiam no etanol como commodity subjacente.

O etanol é um combustível renovável que pode ser produzido a partir de diversas plantas, e a matéria-prima para sua produção é conhecida como “biomassa”. Quando misturado com gasolina, o etanol pode aumentar a octanagem e reduzir os índices de monóxido de carbono. O resultado é uma energia mais limpa que emite menos poluentes e prejudica menos o meio ambiente.

Atualmente, muitos especialistas discutem se os biocombustíveis podem ser chamados de fontes de energia “verde”. Embora sejam melhores para o meio ambiente do que a gasolina tradicional – pois emitem menos CO2 e níveis equivalentes ou inferiores de hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio –, eles não são completamente inofensivos.

Isso significa que eles não estarão na vanguarda da revolução da energia renovável, embora certamente se beneficiem desse movimento.

Futuro de biocombustível mais popular: CU

5 dicas para operar futuros de energia

Muitos traders iniciantes são atraídos pela liquidez e oportunidade de lucro do trading de futuros de energia. No entanto, para operá-los é preciso ter domínio e um entendimento aprofundado das commodities subjacentes e suas aplicações.

Há diversos tipos diferentes de produtos energéticos, e cada um deles possui diversas aplicações finais. Tomemos o petróleo bruto como exemplo: considerando apenas a produção de combustíveis, ele é usado para refinar produtos como diesel, gasolina, propano, querosene de aviação e muito mais. Adicione ainda produtos têxteis, artigos esportivos, plásticos, eletrônicos, produtos de saúde e beleza, itens domésticos, suprimentos médicos – esses e outros itens entram na lista de aplicações do petróleo bruto.

Portanto, se estiver focando nos futuros de energia como seu setor de entrada, você deve estar ciente dos fatores essenciais que conduzem o preço das commodities para gerenciar melhor seus investimentos. Vamos analisar os fatores que mais afetam o preço das commodities subjacentes para ajudá-lo em sua jornada no setor de energia:

1. Oferta e demanda

Como qualquer outro ativo, os preços das commodities são conduzidos por forças naturais do mercado. Se houver um equilíbrio entre os compradores e vendedores, o preço permanecerá estável; se um dos dois prevalecer, o preço da commodity subirá ou cairá.

A oferta e a demanda de produtos energéticos são dependentes da situação da economia – tanto do consumo quanto dos setores industriais – e das necessidades da população. Por exemplo, se a economia estiver aquecida e as pessoas tiverem mais renda disponível, elas comprarão mais produtos. Considerando que o petróleo bruto é crucial para a produção de muitos produtos, para lidar com essa crescente demanda, os produtores também aumentarão a demanda de petróleo bruto.

Outro exemplo são os setores de turismo e lazer. Como o petróleo bruto é a base de todos os combustíveis para veículos e aeronaves, qualquer efeito adverso no setor de transporte causará oscilações no preço da commodity. Um exemplo notável foi quando as viagens aéreas foram interrompidas devido à pandemia da COVID-19. Isso gerou um aumento no armazenamento e diminuiu a demanda, criando uma disparidade no preço da maioria das commodities de energia. Como resultado, entre 17 de fevereiro e 20 de abril de 2020, quando o mundo sentiu pela primeira vez a magnitude da pandemia, o preço do petróleo bruto caiu quase 70%.

Para se manter atualizado quanto aos números mais recentes da oferta e demanda para produtos energéticos, fique de olho nos relatórios semanais de estoques da Administração de Informações sobre Energia (EIA).

2. Sazonalidade

O fato de que todos os produtos energéticos são usados para climatização de ambientes, seja para aquecer ou resfriar, indica que o efeito da sazonalidade afeta diretamente os preços.

Durante os meses de inverno e verão, a demanda de energia será mais alta que o normal. Por outro lado, durante os meses de outono e primavera, quando as temperaturas estão mais amenas, o consumo de energia é menor.

Além disso, temos um pico de viagens durante o verão, o que, combinado com o aumento da demanda de energia, afeta ainda mais o preço das commodities.

A vantagem do efeito da sazonalidade é que ele é relativamente estável, fácil de prever e se repete ano após ano. Isso significa que basta entender os princípios básicos para não ser pego de surpresa.

3. Situação geopolítica

O mercado de energia é um mercado internacional, o que significa que, como trader, você deve ficar de olho nos acontecimentos e nas relações entre os principais players da indústria em uma escala internacional.

Para fazer isso, você deve se familiarizar com as misturas energéticas dos principais mercados globais e descobrir quais países são importadores e exportadores de energia – e quais tipos. Embora isso pareça um pouco complicado no início, a verdade é que as grandes potências globais do setor de energia não são muito diversificadas.

Para começar, acompanhe os países da OPEP, os Estados Unidos, o Canadá, a China e a Rússia para petróleo bruto, gás natural e carvão. Você pode expandir essa lista com alguns países do Sudeste Asiático se quiser operar biocombustíveis e energia renovável.

Após se familiarizar com os perfis energéticos de cada um dos principais países, é preciso ficar de olho em políticas globais, restrições e conflitos em um nível macro, além de acontecimentos locais em cada um desses países. Dessa forma, você poderá prever melhor a dinâmica de oferta e demanda e fazer um hedge adequado para proteger seu portfólio de futuros de energia contra riscos geopolíticos.

4. O ciclo de produção e distribuição

Os principais produtos energéticos, incluindo petróleo bruto e gás natural, passam pelo chamado “ciclo de produção e distribuição”. A fase de produção inclui a extração da matéria-prima do solo, seu transporte, além do armazenamento em instalações especiais. A fase de distribuição do ciclo é quando o produto é entregue ao usuário final.

Basicamente, um cenário de alta demanda e baixa oferta leva a uma queda nos estoques, enquanto um cenário de alta oferta e baixa demanda resulta em um aumento nos estoques. Naturalmente, isso afeta o preço dos diferentes produtos energéticos. Para prever melhor as variações no preço, os traders devem ficar de olho nos dados de produção e distribuição.

As melhores fontes para isso são os relatórios semanais da EIA e API. Esses relatórios apresentam informações valiosas, incluindo desempenho das ações, perspectivas e tendências da produção, utilização das refinarias, relação entre importação e exportação, dinâmica da demanda e muito mais.

5. Dinâmica do mercado – estado atual e previsões

As oscilações de preço dentro dos produtos energéticos são geralmente causadas por uma combinação de dados atuais, previsões e suposições quanto ao estado futuro do mercado. Entre elas estão projeções de consumo do gás natural durante os meses de inverno, tendências de viagens das companhias aéreas e a demanda por seus serviços, etc. Com base nessas estimativas, os participantes do mercado podem comprar a quantidade que eles acreditam ser necessária.

Outro fator que entra nesta categoria é a previsão climática. As partes interessadas no mercado de energia monitoram as previsões climáticas, pois isso lhes permite descobrir possíveis anomalias durante os meses de inverno ou verão. Isso também ajuda a quantificar os efeitos dessas anomalias no preço das commodities. No entanto, com as previsões climáticas, a precisão tende a aumentar quanto mais próximo estivermos da estação específica, portanto os traders de energia devem acompanhar de perto os movimentos do mercado nesses períodos.

Considerações finais

A dinâmica dentro do mercado para as commodities subjacentes faz do trading de futuros de energia um campo interessante que tende a crescer ainda mais no futuro. Globalização, desenvolvimento econômico e tecnológico, crescimento populacional, mudanças climáticas – essas forças dominantes continuarão aumentando a demanda de energia, o que levará os produtores a buscarem novas formas de acompanhar esse movimento e aumentar a oferta.

Com o aumento na popularidade e na necessidade de uma transição para energias verdes, o que aumentará ainda mais o espectro de ativos investíveis dentro do nicho energético, os traders terão muitas oportunidades para aproveitar e lucrar.

O preço de uma commodity nunca chegará a zero. Ao investir em futuros de commodities, você não está comprando um simples pedaço de papel que diz que você possui um pedaço imaterial de uma empresa que pode falir.

Jim Rogers

A chave para tirar o máximo de proveito do trading de futuros de energia e aproveitar seu potencial é entender os principais fatores que influenciam o preço das commodities subjacentes e permanecer atualizado quanto às informações específicas do setor.